Rio de Janeiro, 06 de Dezembro de 2021

Alimentação e prevenção contra o câncer

A incidência da doença irá aumentar em 50% até 2020, ano para o qual são projetados 15 milhões de novos casos.
 
Esse aumento deve-se principalmente ao envelhecimento da população mundial, ao tabagismo, hábitos alimentares e estilo de vida poucos saudáveis.
 
O Informe alerta para que governos, profissionais da saúde, mídia e população em geral, realizem ações preventivas em prol da Saúde Pública. 
 
O objetivo é reduzir a prevalência da doença, tanto em países desenvolvidos como naqueles em desenvolvimento. As ações estratégicas de prevenção podem centrar-se em dois principais focos: tabagismo e alimentação.

 
Hábitos Alimentares e Estilo de Vida

O relatório "Food, Nutrition and the Prevention of Cancer" (1997) do American Institute for Cancer Research, estabelece a relação entre dietas ricas em vegetais, frutas, grãos integrais e feijões e a baixa incidência de câncer e outras doenças crônicas.
 
A mais recente recomendação do American Institute visa facilitar a adoção de uma alimentação saudável pela população e, indica o consumo de refeições compostas por 2/3 (ou mais) de vegetais, frutas, grãos integrais e feijões e 1/3 (ou menos) de proteína animal. A base da alimentação deve ser alimentos de origem vegetal, ricos em vitaminas, minerais, fibras e fitoquímicos que minimizam os riscos do câncer.

Segundo o American Institute for Cancer Research, uma alimentação saudável requer:
  • Um consumo mínimo, diário, de 5 porções de frutas e vegetais variados, preferencialmente os ricos em nutrientes que podem prevenir o câncer: os de cor amarelo-alaranjado e vermelho, frutas cítricas, folhosos de cor verde escuro e crucíferos (brócolis, couve-flor, repolho, rabanete, couve-de-bruxelas, couve-manteiga);
  • Usar alimentos naturais e integrais com pouco ou sem nenhum processamento;
  • Incluir no cardápio diário: leguminosas, grãos e cereais integrais tais como: trigo, cevada, aveia, linhaça, arroz integral, arroz selvagem, soja, feijões e ervilhas;
  • Elaborar refeições que tenham as carnes magras como guarnição e não como prato principal;
  • Limitar o consumo de gorduras, principalmente as de origem animal;
  • Consumir moderadamente as gorduras e escolher os óleos vegetais saudáveis (óleo de canola e azeite extra-virgem);
  • Reduzir o consumo de salgados, curados, defumados e churrascos;
  • Substituir o sal por tempêros naturais, alho, cebola, ervas aromáticas naturais e frescas (tomilho, manjericão, coentro, hortelã, erva-doce, etc) e gersal (sal com gergelim);
  • Evitar ou limitar o consumo de álcool para 2 drinks por dia (homens) e 1 drink (mulheres);
  • Controlar e manter o peso corporal sendo fisicamente ativo através da prática de exercícios moderados durante, pelo menos, 30 minutos 5 vezes por semana (caminhada, hidroginástica, danças).
 
 
 
Referências eletrônicas:

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE

AMERICAN INSTITUTE FOR CANCER RESEARCH
www.aicr.org/publications/nap/nap2.lasso
 
UNIVERSITY VIRGINIA - THE CANCER CENTER
www.healthsystem.virginia.edu/internet/cancer/nutritionprevention.cfm

HOSPITAL DO CÂNCER
www.hcanc.org.br/nutrionco.html

INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER http:
 
 
 
Por Dra. Marília Fernandes, Nutricionista - CRN 1693

Pós Graduada em Adm. Hoteleira

Especialista em Nutrição e Saúde Pública e Nutrição Esportiva

Aperfeiçoamento em Gerontologia

Consultora Nutricional Pessoal e Empresarial

fernandesmarilia@uol.com.br

(011) 9109 5819

 

Crédito:Dra. Marília Fernandes

Autor:Dra. Marília Fernandes

Fonte:Universo da Mulher