Rio de Janeiro, 25 de Setembro de 2020

Cresce o número de mulheres com acne

 
PELE ACNEICA É CADA VEZ MAIS COMUM ENTRE OS BRASILEIROS

Especialista afirma que o eminente número de casos é também devido à falta de cuidados diários.  
 
Dermocosméticos à base de ativos naturais, por exemplo, podem evitar o surgimento do problema e tratar quadros de lesões já existentes.
 
Quem nunca olhou no espelho e se deparou com uma pele oleosa e com muito brilho?
 
Para muitos, essa situação é constrangedora, pois parece que a pele está suja e descuidada.
 
De acordo com a Dra. Sheila Gonçalves, cosmetologa e diretora técnica da Medicatriz Dermocosméticos, as consequências da oleosidade excessiva vão além de um problema estético, ou seja, essa situação exige cuidados especiais a fim de evitar o surgimento, o agravamento e o aumento de quadros como seborréia, acne e cravos.
 
A cosmetologa tem razão.
 
Segundo dados divulgados pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, os casos de acne são o problema dermatológico mais comum na população brasileira, afetando 56,4% das pessoas.  
 
Por isso, afirma a especialista, o problema deve ser tratado com seriedade, sobretudo, entre as mulheres, cuja alteração hormonal, muito comum, pode acelerar o surgimento do problema em virtude de uma maior oleosidade da pele, além de uma hipersensibilidade aos hormônios masculinizantes chamados androgênios.
 
“É fundamental a consciência de que a acne é uma doença de pele e tem que ser tratada logo no aparecimento das primeiras lesões, pois, quando elas não são cuidadas adequadamente, podem surgir as cicatrizes, o que requer acompanhamento clínico mais prolongado.
 
Portanto, cuidados básicos diários e preventivos são imprescindíveis, de preferência com a utilização de dermocosméticos específicos que contenham plantas medicinais em sua formulação como a linha antiacne da Medicatriz, por exemplo, que previne e trata o problema.
 
“São produtos (máscara, loção tônica e suavizante, e sabonete esfoliante) à base de extrato natural de Arctium, óleo essencial de Melalecuca e argila verde, indicada para peles oleosas, seborreicas e acneicas, pois são ingredientes que proporcionam controle da oleosidade, reparação e equilíbrio do brilho da pele”, comenta a cosmetologa.
 
A associação de  alimentação versus acne sempre foi uma questão controvertida. Atualmente alguns estudos australianos e noruegueses afirmam que o consumo de alimentos com alto índice glicêmico (açúcares e gorduras) podem desencadear lesões acneicas.
 
Nutricionistas experientes também garantem que o consumo de hormônios derivados de animais como leite e carne pode influenciar no surgimento do problema. Alguns estudiosos, no entanto, contestam que a má alimentação está associada à acne.
 
Eles acreditam que o problema surgirá na pele de quem, de fato, está propenso ao problema. “Isso não significa que podemos ingerir chocolates, frituras, gorduras, dentre outros alimentos gordurosos, à vontade. Para ter uma pele saudável e bonita comer alimentos saudáveis é fundamental”, alerta a especialist
 
Como resultado da falta de cuidados diários com a pele, o Brasil possui um alto índice de casos de acne. Por isso, especialista recomenda a utilização de produtos naturais na prevenção e tratamento do problema.
 
Dra. Sheila Gonçalves - Diretora de Pesquisa e Desenvolvimento da Medicatriz Dermocosméticos, farmacêutica, consultora em cosmetologia, docente do curso de pós-graduação em Cosmetologia da Faculdade Oswaldo Cruz de São Paulo, foi colaboradora do livro “Cosmetologia Aplicada à Dermoestética” e pós-graduada no setor de cirurgia plástica da Universidade Federal de São Paulo.
 
 

Crédito:Cris Padilha

Autor:Maria Claudia

Fonte:Universo da Mulher