Rio de Janeiro, 24 de Setembro de 2020

Peeling ajuda a combater manchas, acne e cicatrizes da pele

A palavra peeling vem do verbo “to peel”, do inglês, que significa descamar, desprender, esfolar.
Este nome foi dado ao tratamento que propicia uma descamação da pele do rosto, de modo superficial, médio ou profundo, dependendo do problema e dos resultados que se deseja obter.
 
É indicado para marcas de acne ou catapora, manchas, rugas, cicatrizes e outras alterações da pele. Apesar dos benefícios que promove, é preciso cautela antes de se submeter a um peeling: existem tipos e intensidades diferentes de aplicação, que devem ser indicadas em cada caso por um profissional experiente.
 
“O peeling pode ser químico, no qual se utiliza diversas substâncias, como os ácidos retinóico, glicólico e mandélico. Pode também ser mecânico, através de equipamentos próprios”, afirma a Dra Maria Cristina Belotti, médica pós-graduada em medicina estética e especialista da Corporis Estética Médica. De acordo com a doutora, as substâncias podem ser aplicadas em conjunto ou separadamente em diferentes concentrações, necessidade que deve ser avaliada pelo especialista responsável.
 
Os principais efeitos da manipulação química são o desprendimento das camadas superficiais da pele e a renovação celular. “Depois de se limpar a pele, aplica-se o produto sobre ela por um tempo determinado. Em seguida, coloca-se uma máscara calmante a fim de aliviar sinais de desconforto. Quando o paciente sai da sessão, passamos bloqueador solar na área tratada”, explica a médica.
 
O peeling com ácido retinóico é um dos tratamentos mais usados contra marcas de acne. Contudo, a Dra Maria Cristina esclarece qual o caso em que ele pode ser útil. “O peeling não combate a acne ainda ativa nem suas inflamações, porém as marcas deixadas por ela”.  O ácido é eficiente também no combate às estrias, podendo ser usado nas regiões em que elas aparecem.
 
Já o ácido glicólico é indicado para o rejuvenescimento da pele, pequenas rugas, oleosidade e cicatrizes superficiais. A substância proporciona uma suave descamação, invisível a olho nu e com efeito progressivo. Mas para quem espera milagres, a especialista alerta.  “Nunca prometemos o desaparecimento total dos problemas com nenhum tipo de peeling, embora possamos melhorar bastante o aspecto da pele”, garante.
 
Devido ao risco de manchas irreversíveis, a exposição ao sol deve ser totalmente evitada após sessões de peeling. Além da precaução com o sol, podem ocorrer sinais de irritação da pele e vermelhidão, devido à descamação cutânea. “Apesar desses efeitos, eles não prejudicam a eficácia do tratamento”, afirma a médica.
 
Segundo a Dra Maria Cristina, o peeling mecânico, também conhecido como dermo-abrasão, é usado principalmente para tratar cicatrizes de acne. “Para isso, existe um equipamento chamado peeling jet, que possui uma ponteira de cristal que lixa a pele. O aparelho é indicado também para estrias e rugas”, complementa.
 
O tratamento é um dos poucos em que a procura é nivelada entre homens e mulheres, segundo a Dra Maria Cristina. “Ambos os sexos, principalmente da faixa adulta, nos procuram para cuidar da pele através do peeling. Os problemas mais recorrentes são manchas e marcas. Embora não exista garantia de total eficácia, geralmente os pacientes ficam satisfeitos com a melhora do aspecto da pele”.
 
 
 
 
CORPORIS - ESTÉTICA MÉDICA
Dra. Maria Cristina Belotti
R. Oscar Porto, 610 – Paraíso – Fone (11) 3884-8879
 
 
 

Crédito:Maria Cristina Belotti

Autor:Vera Moraes

Fonte:Vera Moraes Assessoria de Imprensa