Rio de Janeiro, 25 de Setembro de 2020

Lipoaspiração e Obesidade

Das promessas de emagrecimento mais procuradas pela população, tais como chás medicinais, adesivos cutâneos, dietas populares, pílulas que regulam o apetite e cirurgias de redução do estômago, a lipoaspiração é requisitada com grande freqüência por pessoas que estão acima do peso. No entanto, especialistas alertam que é ilusória a idéia de que procurar por clínicas de cirurgia plástica para fazer a intervenção vai resolver os problemas de quem deseja emagrecer.
 
Segundo a especialista em cirurgia plástica e Membro Efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Dra Deusa Pires Rodrigues, é preciso estar atento aos reais benefícios que a lipoaspiração proporciona. “É comum encontrar pacientes que procuram este tipo de cirurgia com o objetivo de perder peso. Contudo, é um erro pensar que a lipoaspiração é um método de emagrecimento. Durante a intervenção, só podemos retirar uma média de  3,5 quilos, o que é insuficiente  para emagrecer uma pessoa”, afirma.
 
De acordo com a médica, a gordura do paciente não pode ser aspirada em grandes quantidades, uma vez que parte do sangue do corpo é eliminada durante o procedimento da lipoaspiração. Se a retirada de gordura for excessiva, o paciente sofrerá uma perda sangüínea muito intensa, o que pode ocasionar quadros de anemia.
 
A lipoaspiração é um procedimento destinado a remover apenas gorduras localizadas, como as que se encontram debaixo dos braços, nos quadris e na região abdominal. É o tipo de gordura que dificilmente pode ser eliminado, mesmo com o auxílio de exercícios físicos e regimes alimentares. Portanto, os especialistas recomendam a pacientes acima do peso que procurem a cirurgia somente quando alcançarem o emagrecimento esperado, após um tratamento escolhido a critério de um médico.
 
De acordo com a Dra Deusa, a regra que vale para gordinhos adultos não serve para o público infantil. As crianças, ainda que tenham acúmulo de gordura no corpo, a ponto de comprometer seu bem estar físico e psicológico, não devem se submeter à lipoaspiração ou a qualquer cirurgia puramente estética. “Fazemos estas recomendações não porque o motivo da correção seja considerado fútil, mas porque as alterações de um tecido  antes de sua maturação final pode resultar em distorções”, afirma a especialista. Já em adolescentes, a lipoaspiração é mais aceita pelos médicos, contanto que o jovem operado não seja obeso.
 
Se o objetivo é emagrecer, portanto, é fundamental que o paciente, antes de procurar por clínicas de cirurgia plástica—que costumam prometer a solução de qualquer problema estético—procurem se informar com profissionais especializados e de confiança. “Somente pessoas qualificadas possuem condições de indicar qual o melhor procedimento para cada caso”, afirma a Dra Deusa.
 

DRA DEUSA PIRES RODRIGUES – Especialista em cirurgia Plástica

Membro  Efetivo  da  Sociedade  Brasileira  de  Cirurgia  Plástica 
Rua  Doutor  Neto  de  Araújo,  320,  conj.  105 - Vila  Mariana
(11)  5084-4193  /  (11)  5084-4193

 

 

 

 

Crédito:Tais Laporta

Autor:Dra Deusa Pires Rorigues

Fonte:Vera Morais Assessoria