Rio de Janeiro, 21 de Setembro de 2020

Pronta para o verão

Pronta para o verão
A celulite atinge 90% das mulheres, especialmente as mais jovens.
 
 
Cuidar dela custa caro e leva tempo na maioria dos casos. O ideal é passar por uma avaliação médica e, mediante o grau do problema, combinar mais de um tratamento, entre cremes, massagens e medicamentos
 
 

Horário nobre na TV. Uma atriz de corpo escultural, voz e pose insinuantes, desafia a telespectadora ao anunciar um “produto fantástico” para a celulite: “Você prefere uma pele de pêssego ou de casca de laranja?” E vai além: “Até quando vai continuar indo à praia de canga, sem exibir as formas que Deus lhe deu?”

 

Com o verão em cima e o biquini embolorado, o mulherio anota o telefone de vendas do elixir que porá fim aos terríveis buracos. Mas atenção: quando a solução é simples e promete operar verdadeiros milagres, desconfie.

 

A dermatologista Denise Steiner, diretora da Clinica Stöckli, é categórica: não existe um único tratamento que acabe com o problema. E se há uma predisposição genética é ilusório pensar em resultados definitivos.

 

Portanto, fique alerta. Nem todas as clínicas de estética são confiáveis. “A aplicação de injeções, por exemplo, só pode ser feita por médicos e a paciente tem, sempre, de ser informada sobre as substâncias contidas nessas injeções e seus efeitos colaterais”.

 

A celulite tem uma “atração fatal” pelo biotipo exuberante da brasileira: quadris largos, coxas grossas e bumbum avantajado. Mulheres esguias e de pernas finas, dificilmente são afetadas.

 

Mas que não se confunda celulite com gordura localizada. “A gordura se concentra em determinada parte do corpo mas não deixa marcas na pele. A celulite forma-se na camada mais profunda, no tecido gorduroso que está entre a pele e os músculos, formando um tecido irregular repleto de fibrose”.

 

Nos casos mais adiantados, surgem caroços e depressões, além da sensação de peso e desconforto.

 

As causas são várias e geralmente integradas. Entre elas, a médica cita fatores genéticos, hormonais (em especial a atuação do estrógeno, hormônio feminino) e vasculares. “A tensão pré-menstrual, retenção de água e situações permanentes de estresse influenciam na liberação de substâncias que alteram a parte hormonal”.

 

Os males da vida moderna, como sedentarismo, alimentação inadequada, fumo e álcool em excesso são agravantes. Para tratar desse mal é multidisciplinar, exige persistência, varia de um caso para outro e tem seus prós e contras, que devem ser sempre analisados pelo médico e seu paciente.

 

Denise Steiner comenta o que existe à disposição de quem quer livrar-se do problema:

 

MUDE OS HÁBITOS – O mais econômico de todos os recursos... O uso exagerado de açúcar aumenta o tamanho de células gordurosas e o excesso de sal retém água. Evite mel, refrigerantes, bebidas alcóolicas, frituras, alimentos gordurosos. Prefira: queijos brancos, carnes magras, frutas e legumes. O cigarro deve ser evitado por diminuir a oxigenação das células e prejudicar a microcirculação. É importante beber muita água (no mínimo, 2 litros por dia). Combine exercícios aeróbicos com musculação.

 

CREMES – Isoladamente propiciam uma pequena ajuda na fase inicial da celulite. Deixam a pele com uma textura mais fina e devem ser aplicados uma ou duas vezes ao dia, de forma disciplinada e com suaves massagens circulares, que favorecem a penetração dos compostos. A maioria não tem contra-indicação.

 

VIA ORAL – Apenas sob indicação médica podem ser usados diuréticos e medicamentos lipolíticos para metabolizar gordura e outros que ativam oxigenação vascular. O fato de o produto ser “natural” não significa que seja inofensivo. É preciso avaliar os efeitos da cada composto no organismo e possíveis efeitos indesejáveis.

 

IINTRADERMOTERAPIA – Mesoterapia re-batizada, consiste na aplicação de injeções. Sob indicação médica é feito um coquetel de substâncias que ajudam a estimular o metabolismo da gordura, melhorando a circulação. Mas atenção: procure profissionais confiáveis e informe-se sobre o que, exatamente, vai ser injetado no corpo para evitar alergias ou problemas mais sérios. Contra-indicações: gestantes e mulheres que estejam amamentando, doenças de pele, hipotireoidismo e obesidade mórbida.

 

ENDERMOTERAPIA – Um aparelho de sucção e rolamento massageia os tecidos, estimulando a circulação linfática e sangüínea. Contra-indicações: problemas circulatórios graves, inflamações, casos de câncer, gravidez e flacidez excessiva.

 

DRENAGEM LINFÁTICA – Pode ser manual ou mecânica e a idéia é eliminar o excesso de líquidos e toxinas do organismo, aumentando a circulação linfática e sangüínea. No caso da manual, a pressão deve ser delicada e feita somente por pessoas que tenham conhecimento da técnica. Contra-indicações: tumores (a ativação do gânglio pode disseminar as células cancerosas), pessoas com febre, inflamações, eczema agudo e outros. No caso da mecânica são usados eletrodos através de uma eletroestimulação seqüêncial. Contra-indicações: gravidez, diabetes, hipertensão, portadores de marca-passo, doentes cardíacos e que estejam usando progesterona, diuréticos e corticóides.

 

ULTRA-SOM – Indicado nos casos de muita fibrose, pois ajuda a desfazer os nódulos. Um aparelho específico que estimula a circulação sangüínea e linfática emite ondas de calor atingindo as células gordurosas. Contra-indicações: gravidez, pacientes com DIU, dermatites, próteses metálicas e lesões cutâneas.

 


 

Dra. Denise Steiner: R. Engº Edgard Egidio de Souza,420, Pacaembu,3825-9955/9968

*  6839-2000

Crédito:Vera Fiori

Autor:Vera Fiori

Fonte:O Estado de São Paulo