Rio de Janeiro, 24 de Setembro de 2020

O que fazer para evitar os efeitos do envelhecimento na pele?

A máxima "prevenir para não ter que remediar" combina perfeitamente com quem quer adiar o aparecimento dos sinais do tempo e evitar intervenções médicas invasivas, explica a Dra. Cláudia Marçal, dermatologista e CME (Continuing Medical Education) na Harvard Medical School

Não tem jeito. Prevenir é sempre melhor que remediar. E quando se trata de estética e saúde da pele, isso não tem nada a ver com neurose ou vaidade excessiva.

"Trata-se apenas de se cuidar da melhor forma possível. Afinal, a mulher se programa para fazer tanta coisa hoje em dia, desde tirar férias até ir ao dentista, então, por que ela não pode se planejar para tratar da própria beleza antes que a flacidez, as rugas e as manchas deem as caras?", questiona a dermatologista Dra. Claudia Marçal, CME (Continuing Medical Education) na Harvard Medical School e diretora médica do Espaço Cariz, em Campinas (SP).
 

Segundo ela, planejar a beleza inclui refletir sobre como o seu rosto vai estar daqui a 10, 20 anos ou 30 anos - olhar para a sua mãe e a sua tia ajuda bastante, já que a genética tem forte influência no envelhecimento.

"Esse autoexame junto com a análise clínica ajuda a paciente e o médico a se anteciparem à ação do tempo, da gravidade e da hereditariedade e decidir os tratamentos necessários para cada caso. Consequentemente, você acaba fazendo menos intervenções e usando até menos quantidade de produtos e de sessões, o que reduz os custos e garante resultados muito mais naturais", completa a Dra. Claudia Marçal.
Entre as partes do rosto que precisam de atenção redobrada por entregar - e aumentar! - a idade estão:

 

Bochechas
A perda natural de gordura e da massa óssea a partir dos 40 anos combinada com a queda na produção de colágeno faz com que as maçãs do rosto percam o volume e caiam, o que impacta no aumento da profundidade do sulco nasogeniano (que vai das abas do nariz aos cantos da boca) e na perda do contorno facial.

 

Contorno facial
A queda da pele da região da mandíbula provoca uma alteração do formato do rosto, fazendo com que o oval torne-se redondo ou quadrado.

 

Olhos
Todo esse movimento de redistribuição causado pelas bochechas faz com que haja um aumento da distância entre a pálpebra inferior e as maçãs do rosto. Como resposta, os olhos ficam mais fundos, criam uma sombra que faz as olheiras parecerem mais escuras e deixam a expressão cansada.

 

Nariz
A ponta cai, imprimindo o aspecto de nariz de bruxa.

 

Lábios
Eles afinam, perdem o arco do cupido, aquele V no topo da boca e responsável pela aparência jovem e sedutora. Os cantos também caem, deixando a expressão triste. Como resultado de tudo isso o batom dura pouco, quando não mancha os dentes e fica com aspecto de borrado.

 

O que fazer
"Para esses casos gosto muito do resultado oferecido pelo preenchimento com ácido hialurônico de alta viscosidade e pela hidroxiapatita de cálcio em pequenos volumes. Porém, antes de iniciar qualquer um deles acho imprescindível preparar a pele com uma combinação de tratamentos, como radiofrequência, laser fracionado, cremes e suplementos de antioxidantes, vitaminas, minerais e micronutrientes. É que ao melhorar a hidratação, o tônus e a elasticidade você consegue um resultado muito melhor, que aparece mais rápido e dura ainda mais tempo do que o previsto", finaliza a dermatologista.

 

 

Dra. Claudia Marçal
Dermatologista da Clínica de Dermatologia Espaço Cariz, com especialização pela Associação Médica Brasileira (AMB), membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e membro da American Academy of Dermatology (AAD), CME (Continuing Medical Education) na Harvard Medical School.


 

 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Maria Alice Amoroso Nunes

Fonte:Holding Comunicações