Rio de Janeiro, 23 de Outubro de 2019

Animais

Animais
Como seres a vida corre pelas veias. Há muitos desafios a serem enfrentados, obstáculos da nova globalização. Correr do medo e da falta de respeito de muitos é uma constante no mundo.
 
 
É hora de lutar pela sobrevivência numa sociedade cheia de dúvidas e incertezas, onde quem é mais forte vence e o mais fraco é passado. Eis a realidade que muito bem poderia ser a do nosso orgulhoso ser humano, mas que diz respeito neste caso ao mundo animal.
 

Quem achou muitas similaridades entre as duas formas de vida pode estar mais certo do que imagina. Principalmente pelo fato de que as dificuldades de uma sobrevivência existem para ambos e por isso mesmo todas as formas de vida são importantes e devem ser respeitadas e ensinadas a agir em permanente equilíbrio.

Uma vida que tem direito de se desenvolver. Um caminho que tem dever de ser trilhado, mas que muitas vezes é interrompido pela ganância do ser humano. Aquele que deveria protegê-lo é o primeiro a ameaçá-lo. Seja por dinheiro ou por diversão, vidas de seres são tiradas.

Aprisionar um animal é cessar sua liberdade e transformar a vida em uma rotina limitada. Sem cores, sem paixões e muito menos esperança, vidas são presas para dar lugar aos caprichos humanos. E romper com a vivência inocente de seres é tornar a racionalidade, nossa aliada, um inimigo fatal. É transformar uma convivência que tinha tudo para dar certo em um lamaçal de indecências morais.
 

Aquele que um dia bem compreender a verdade da decência com os animais terá pela frente uma gama de possibilidade de ter em sua vida mais amor, bom-humor e companhia.
 

Porém, enquanto o mundo ideal com respeito e sintonia não for real, nos resta tentar sofrer menos e agir mais diante de tanto descaso e falta de amor. E torcer para que o mundo descubra um dia que sem respeito e amor a vida não é plena e que só a união entre as formas de vida trará a verdadeira paz.
 
 

Crédito:Mayara Paz

Autor:Mayara Paz

Fonte:Universo da Mulher