Rio de Janeiro, 17 de Outubro de 2019

Sem medo de ser feliz

 
Passamos a vida em busca da dita cuja felicidade. Trabalhamos para sermos felizes, nos relacionamos para sermos felizes, ficamos ricos para sermos felizes. E quando nos sentimos finalmente felizes, encontramos mais um obstáculo entre nós e a divina felicidade: algo a ser conquistado. Por que isso?
Porque simplesmente temos medo de sermos alegres.

Ao que parece devemos nos sentir culpados por termos a felicidade perto de nós, como se algo de ruim fosse acontecer para aqueles que se intitulam plenamente contentes. Cuidado, não seja feliz!
 
 
Quem sabe o buraco que terá no seu próximo passou ou o jarro de plantas que cairá na sua cabeça quando virar a esquina. Sim, porque é muito perigoso ser feliz, não sabia? Ativa seu organismo, deu humor, seu raciocínio e até mesmo seu físico.

Ah, deixemos de bobices e partamos sem vergonha rumo à felicidade. A vida é curta demais para ficarmos preocupados, como hipocondríacos, com o mal que nos será feito. Afinal, o maior mal que podemos sofrer, será o de dor na barriga – de tanto rir.
 
Aproveitemos sim o que conquistamos, seja a saúde, o amor, o trabalho, a casa própria, sem medo de sermos felizes e de termos que nos justificar ao próximo. O fruto do trabalho é seu, a garra aplicada é sua, o empenho somente seu. Então, esqueça a inveja, o ciúme, o olho gordo e, sobretudo, o medo e seja feliz.
 
Acorde, espreguice-se e faça o que bem entender para ser feliz. Respeitado o espaço do outro, a felicidade não deve sofrer limites, então, seja feliz sem moderação. Abuse, use, farte-se com a felicidade e tudo de bom que a vida tenha a dar para você, sem medo de ser feliz.
 
 
 
 

Crédito:Mayara Paz

Autor:Mayara Paz

Fonte:Universo da Mulher