Rio de Janeiro, 23 de Outubro de 2019

Ser diferente é normal

Ser diferente é normal
Ser diferente é normal. Quem defende a idéia contrária ou é alguém perdido em si ou em relação ao próximo.
Por quê? Simples, todos nós somos diferentes. Ninguém é igual a ninguém em nenhum aspecto.
 
Há quem pergunte sobre as semelhanças. Sim, não há dúvidas que elas existem, mas não são suficientes para anular as diferenças. Elas acontecem, mas com toques pessoais, transformam-se em sutis, mas significativas diferenças.
 
Por isso afirmo, ser diferente é normal. Cabelos, cores, jeitos, espécies, cheiros, sotaques, dinheiro, classe. Escolha um item destes citados. Faça sua opção e comece a observar o mundo à sua volta. Verá que todos possuem características diferenciadas que nos transformam em seres incomuns.
 
O comum, por outro lado, não existe. Surpreso?  Digo isso após ter feito o meu exercício de observação. Vi que muitos se dizem comuns, mas não sabem que em suas vidas corre o sangue da anormalidade. Passe um dia a se observar e verá que nada sai idêntico ao seu vizinho. Os pensamentos se diferenciam as roupas, o corte de cabelo, a meia, os sapatos, os gestos, os conceitos, os pré-conceitos.
 
E, mais importante para nos tornarmos diferentes: o que temos dentro de nós mesmos.  Neste caso caberá a si uma tomada de consciência e uma posterior avaliação do seu próximo. Verá que diante de um mesmo fato, de um mesmo cenário, de uma mesma música, atenções se voltam ou são ignoradas, palavras são ditas enquanto outras são abafadas e, lágrimas correm por outras que não se movem. Atitudes são tomadas enquanto outras são aguardadas.
 
Com nossas diferentes semelhanças e diferenças simpáticas nos tornamos diferentes. E mesmo que não saibamos ainda lidar com isso, um dia saberemos caminhar rumo a um mundo mais diversificado. Pois poderemos unir nossas diferenças em busca de nossos sonhos semelhantes.  
 
 

Crédito:Mayara Paz

Autor:Mayara Paz

Fonte:Universo da Mulher