Rio de Janeiro, 25 de Maio de 2022

Ejaculação precoce também é um problema da mulher

Grande parte das pessoas imaginam que o mal da ejaculação precoce só atinge o público masculino, mas a realidade é outra. 
 
Tão grave quanto para os homens, as mulheres também sofrem com a rápida chegada do orgasmo do parceiro, transformando a vida sexual pouco satisfatória para ambos.
 
Sintomas como decepção, ansiedade, nervosismo, alterações psicológicas são freqüentemente encontradas nos homens que sofrem de ejaculação precoce, e acabam sendo detectados nas mulheres, já que especialistas da área admitem que este problema também reflete diretamente na insatisfação sexual delas.
 
A falta de comunicação entre os casais também dificulta bastante a solução do problema.
 
Segundo uma pesquisa realizada pelo Prosex (Projeto de Sexualidade do Hospital das Clínicas de São Paulo), 30% das mulheres brasileiras não conseguem atingir o orgasmo, e a falta de comunicação com o parceiro sobre os problemas sexuais é o grande vilão.
 
Além dos tratamentos psicológicos e médicos, novos medicamentos prometem melhorar a qualidade de vida de quem convive com este distúrbio.
 
Um deles, recém-chegado ao mercado brasileiro, é o Mandelay Clímax Control Gel,  aprovado pela Food and Drug Administration (FDA), dos Estado Unidos, e pela Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), no Brasil.
 
O produto promete ser uma nova solução para retardar a ejaculação. O gel tem como substância ativa a benzocaína, um anestésico tópico que aplicado diretamente no pênis diminui provisoriamente a sensibilidade dos homens, e conseqüentemente, retarda a ejaculação. Nas mulheres, o produto não influencia a sensibilidade.
 
Estima-se que 57% dos homens têm ou tiveram ejaculação precoce.
 
Apesar de o produto não garantir a cura do problema, o uso junto ao tratamento com urologistas e psicólogos pode ser a chave para melhorar a auto-estima e a qualidade na vida sexual, hoje tão almejada pelos casais.
 
Para a psicóloga Virgínia Marchini, de São Paulo, o incentivo da mulher agregado ao uso do novo produto pode ajudar no tratamento. “A melhora na qualidade de vida sexual leva o paciente a elevar a sua auto-estima, além de afastar a idéia de que aquilo sempre vai acontecer, o que prejudica bastante", afirma Virgínia.
 
Liberado para todas as idades, o medicamento não tem contra-indicação, não é oleoso, nem tóxico e pode ser usado com ou sem preservativo.
 
O gel Mandelay Clímax Control é importado pela empresa All American, representante exclusiva para a América Latina e vendido pelos telefones (11) 6161-8164 e 6161-5405.
 
Na versão bisnaga de 28,3 gramas, rende 30 aplicações pelo preço de R$ 84,35.
 
Dúvidas e informações podem ser esclarecidas no site : www.mandelay.com.br
(*)Pesquisa nacional realizada pelo laboratório Pfizer e coordenada pela psiquiatra Carmita Abdo, de São Paulo
 

Crédito:Fatima Nazareth

Autor:Renée Cristina da Silva

Fonte:Top Press Comunicação