Rio de Janeiro, 15 de Abril de 2024

A importância da doação de leite materno

O leite materno é um alimento fundamental para o desenvolvimento dos bebês e deve ser ingerido constantemente para evitar potenciais problemas de saúde, além de garantir todos os nutrientes para a criança.

Para uma mãe que trabalha com caixa de hidrante completa, a amamentação é um elemento fundamental para o desenvolvimento de seu filho, e estimular essa prática deve ser sempre uma questão de saúde pública.

Entretanto, por se tratar de um processo biológico, existem diversas condições que podem impedir a mãe de gerar o leite ou mesmo de gerá-lo em excesso. Por conta disso, doar leite materno se tornou uma questão de prioridade na sociedade.

Fatores psicológicos ou físicos que impedem a mãe de gerar leite criam a necessidade de conseguir o líquido de fontes externas. Ainda que existam substitutos artificiais, eles não têm os mesmo efeitos do leite materno natural.

Não existe nenhuma limitação para o consumo de leite materno de uma fonte diferente da mãe do bebê, seja ele:

  • Étnico;

  • Regional;

  • Social;

  • Cultural.

A verdade é que o leite materno pode ser usado por qualquer bebê, principalmente para ajudar os prematuros e aqueles que por alguma complicação acabam internados em seus primeiros dias de vida.

Algumas mães gostam de ter itens personalizados para seus bebês, utilizando gravação a laser em metal para itens de cuidados que serão usados no futuro, depois de a criança sair da internação.

Esse benefício ajuda os bebês a ficarem mais fortes e conseguirem superar as adversidades iniciais depois do nascimento, garantindo qualidade de vida e saúde para eles quando conseguem sair da unidade de tratamento e começar uma vida normal.

A oferta do leite materno como doação ajuda não só na recuperação da criança, mas também diminui o tempo de internação que ela passa, o que acaba ajudando os hospitais a manterem leitos livres para novas crianças que precisem.

Do ponto de vista financeiro, menos tempo internado gera menos gastos para o sistema de saúde, que pode investir em outros elementos importantes para garantir saúde e bem-estar para a sociedade.

O leite materno é o único alimento essencial durante os primeiros seis meses de vida de uma criança, e mesmo após esse período, ele continua sendo muito importante, com recomendação de que seja mantido até pelo menos dois anos de idade.

Aos poucos você pode inserir outros alimentos saudáveis para diversificar a alimentação da criança, mas ainda assim, durante muito tempo o leite materno é parte integral da alimentação.

Com soluções para limpeza de feridas, a mãe pode proteger o bico do seio de machucados que a impeça de amamentar, e por isso é importante tomar alguns cuidados com esse tipo de situação.

O leite materno vai muito além da nutrição, ajudando a fortalecer a imunidade da criança, bem como seu crescimento e desenvolvimento. Existem inúmeras doenças que podem ser evitadas com o consumo correto do leite natural.

Alergias, infecções e outras doenças têm um risco muito menor entre crianças que são amamentadas dessa forma, e problemas com peso e obesidade também têm um impacto direto nessa situação.

Por isso, o consumo do leite materno é uma questão que vai além da escolha dos pais, mas sim uma questão de saúde pública, otimizando a maneira como diversas crianças são nutridas todos os dias em locais com programas de segurança do trabalho.

A alta demanda de leite materno faz com que muitas instituições dependam de doações para conseguir oferecer esse alimento para crianças que por algum motivo não puderam recebê-lo de suas mães.

Existem doenças e lesões que podem impedir a amamentação, além da produção insuficiente ou mesmo alguma dificuldade do próprio bebê, como ter a língua presa e não conseguir pegar o bico do seio adequadamente.

A importância da doação de leite materno

A doação de leite materno é um gesto que salva vidas. Todos os anos, a coleta chega a cerca de 150 mil litros de leite humano, que são processados e distribuídos por todo o território nacional.

Um recém-nascido consome uma quantia relativamente pequena do leite por dia, o que faz com que cada litro de leite consiga alimentar até 10 bebês por dia, principalmente no caso dos prematuros, que têm um consumo muito pequeno.

Mulheres que estão amamentando costumam produzir por dia uma quantia maior que a necessária para o alimento do bebê, o que torna o ato de doar muito importante para ajudar novas crianças.

Além disso, é importante que as mães cuidem de sua saúde para ter mais disposição e força, o que muitas vezes é conquistado com o apoio de uma empresa de ginástica laboral.

É um ato solidário de amor, que pode ser realizado de forma rápida e prática, ajudando muitas vidas que estão chegando no mundo. Para conseguir doar adequadamente, o ideal é procurar o Banco de Leite humano de sua região.

Existem órgãos regulamentadores da área da saúde que podem ajudá-la a encontrar onde fazer a doação, garantindo que o excesso do leite materno não seja desperdiçado e assim você consiga ajudar ainda mais famílias.

Essa ação é fundamental para manter a saúde dessas crianças em desenvolvimento, e pode ser realizada com cuidado nos locais adequados, gerando um impacto maior na vida delas, com impressão de pastas personalizadas para guardar informações relevantes.

Doação de leite humano no Brasil

O Brasil é uma referência mundial em relação à doação de leite materno. A Rede de Bancos de Leite Humano, conhecida como rBLH, é um modelo usado pela própria OMS (Organização Mundial da Saúde) para diversos outros países.

A rede foi criada em 1998, em uma parceria da Fundação Oswaldo Cruz com o Ministério da Saúde, e tem como principal objetivo proteger e promover a amamentação e o aleitamento materno em um ambiente com acessórios para laboratório.

Com a coleta e distribuição certificada, as instituições que recebem o leite podem se assegurar de que o produto está em condições adequadas de consumo, permitindo que as crianças que têm alguma dificuldade para o aleitamento consigam se nutrir.

Esse processo também ajuda a contribuir para a diminuição no número de mortalidade entre recém-nascidos e crianças, uma vez que com o leite materno o corpo consegue se desenvolver de forma mais adequada.

A importância dessa rede é tamanha que uma agência foi criada para auxiliar outros países que passam pelas mesmas dificuldades e que não têm a estrutura correta para lidar com a doação de leite materno.

A instituição faz um importante trabalho de conscientização, não apenas coletando e distribuindo o leite humano para bebês prematuros e outros bancos regionais, mas também com informação.

Muitas mulheres têm dúvidas ou receio com relação a amamentação, e os bancos de leite humano são um excelente local para tirar dúvidas e colher orientações sobre todo o processo.

Depois de conhecer mais sobre isso, muitas mulheres passaram a se tornar doadoras, ampliando a capacidade do banco de gerar nutrição para bebês em todo o país e otimizar esses processos de forma adequada e com sustentabilidade.

A rede de bancos atualmente possui mais de 200 unidades em todo território nacional, além de contar com profissionais que trabalham com apoio de coleta domiciliar para doadoras que não podem ir até a unidade.

Além disso, os postos de coleta funcionam para diminuir ainda mais a perda do leite humano de qualidade e garantir que um grupo ainda maior de crianças seja beneficiado com esse tipo de ação.

Algumas empresas acabam apoiando os bancos para conseguir oferecer um recurso de qualidade para a população, como é o caso de empresa de outsourcing.

A rede brasileira ainda exporta para diversos países na América Latina e na Europa, sendo um importante apoio para o aleitamento materno no mundo todo e permitindo que crianças tenham seu desenvolvimento de forma completa.

O sucesso da rede de Bancos de Leite Humano se dá pelo alinhamento dos baixos custos de produção e manutenção com a alta tecnologia, que possibilita um armazenamento e transporte mais seguro do leite humano.

Essa tecnologia também permite que a instituição compreenda as necessidades particulares de cada bebê beneficiado com o leite humano, permitindo que essa alimentação seja muito mais eficaz.

A longo prazo, a taxa de mortalidade neonatal pode ser reduzida consideravelmente por conta de ações como essa, garantindo uma nutrição adequada para as crianças que tiveram alguma complicação e não podem contar com o leite materno de sua mãe.

Considerações finais

O leite materno é um dos itens mais importantes da vida de um bebê, e por isso sua doação é um gesto muito importante e que ajuda diversas crianças a viver com qualidade e melhorar de uma complicação hospitalar.

Por conta disso, pessoas que doam leite humano devem sempre procurar apoio em locais especializados para fazer o bem.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Jennifer Kaufmann

Fonte:Guia de Investimento