Rio de Janeiro, 26 de Novembro de 2020

Cuidados que ajudam na cicatrização pós-parto

Infelizmente, ainda há muitos mitos e falta de conhecimento a respeito da cicatrização pós-parto


Toda e qualquer cirurgia provoca marcas e cicatrizes. No entanto, possivelmente, as marcas da gravidez são ainda mais profundas, pois mudam completamente a vida de uma mulher. Embora o processo pós-operatório de qualquer outra cirurgia seja amplamente discutido e orientado, há grande falta de conhecimento a respeito da cicatrização pós-parto.

Estima-se que até 85% das mulheres que optarem por parto natural apresentará algum tipo de trauma local, seja uma laceração espontânea ou um corte cirúrgico, a episiotomia – uma prática que não é indicada na maioria dos casos.

A maior parte das lacerações ocorrem na mucosa da vagina e nos músculos do períneo. E como estes locais estão sempre em contato direto com urina e fezes, há risco de infecção. Outras complicações giram em torno da abertura dos pontos, dificuldade para ir ao banheiro e dores na relação sexual depois da recuperação.

Além do parto normal, também há também o parto cesária. Embora na rede pública ainda predomine o parto natural, 40% dos partos ocorrem por meio de cirurgias (cesárea), índice muito superior aos 15% recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Na rede privada, no entanto, este índice é ainda maior: chega a 84%. Nesses casos, como a cirurgia é feita em camadas, o processo de cicatrização é ainda mais importante.

Como cuidar da cicatriz pós-parto?

Sem dúvidas, manter a higiene local é regra número um para quem passou por qualquer tipo de cirurgia, ainda mais um parto. No caso da cesárea, lavar a cicatriz com água e sabão neutro de forma abundante é suficiente, além de deixar a área arejada.

Caso o médico indique, cremes e pomadas para cicatrização podem fazer parte da rotina da mulher no pós-parto em casos de infecção. Além disso, também pode-se usar antissépticos para evitar contaminações por bactérias. Bem cuidados, após quatro semanas, os pontos já costumam estar cicatrizados.

Vale destacar, ainda, que como a água é um importante elemento para as reações enzimáticas e para o metabolismo do corpo, hidratar-se constantemente é, sem dúvida, uma das maneiras mais eficazes de contribuir para uma rápida cicatrização.

Por último, a atenção com a alimentação é muito importante e seguir uma dieta equilibrada, com proteínas, bons carboidratos e vitaminas é essencial para o organismo operado e para a amamentação. Ainda em termos de cicatrização, há médicos, inclusive, que recomendam a ingestão de suplementos nutricionais, como a Prolina, que apresenta doses ideais de vitaminas A, C e E e outras propriedades que favorecem este processo.

 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Carolina Glogovchan

Fonte:Comunicação