Rio de Janeiro, 04 de Dezembro de 2021

Como parar de fumar

A maioria das pessoas que querem parar de fumar se apavoram com a possibilidade de engordar.
Enquanto um pequeno ganho de peso é esperado, o ganho excessivo pode gerar novos problemas de saúde e minar com a determinação de permanecer abstinente.
 
 
Fumar afeta o metabolismo e também queima calorias:
·  Cerca de 200 calorias/dia são queimadas no fumante pesado.
·  Em função da queima de calorias, o metabolismo aumenta paulatinamente.
·  Nicotina é um supressor do apetite.
 
 
Ao parar de fumar, um ganho de cerca de 3 Kg é esperado nos primeiros meses da cessação. Se os hábitos alimentares permanecerem os mesmos, pode-se contornar este problema com 30 minutos de caminhada por dia.
Parar de fumar coloca o organismo em "estado de choque" inicialmente.
O aumento do apetite é um efeito colateral da cessação na maioria das pessoas. As seguintes razões podem estar em jogo:
 
·  Cigarro como um supressor do apetite - fumantes freqüentemente substituem o lanche pelo cigarro. Nicotina é um estimulante cerebral e interfere na liberação da insulina. A insulina controla a glicemia e quando esta função é dificultada, a pessoa pode-se tornar discretamente hiperglicêmica - como resultado disso, corpo e cérebro diminuem os hormônios e outros sinais que são gatilhos para a sensação de fome. 
·  A comida como substituta do cigarro - logo que se para de fumar a "fissura por cigarro" é muito freqüente e desconfortável, podendo a comida ser usada como substituta. Ela não só preenche o vazio deixado pela falta do cigarro, mas também pode representar um conforto emocional e uma maneira mais fácil de encarar as manifestações da abstinência.
 
 
Estudos indicam que a mulher tem maior risco de voltar a fumar que o homem, como forma de evitar o ganho de peso.
Exercícios
 
Uma vez que parar de fumar lentifica o metabolismo, fazer exercícios diariamente é muito importante. Caminhar a passos rápidos por 30 minutos, 05 vezes por semana, geralmente é suficiente para prevenir o ganho de peso. O exercício é também uma boa maneira de se livrar da "fissura".

 
Ter sempre alimentos saudáveis à mão!
·  Vegetais em bastões – aipo, cenoura, pepino, etc.
·  Água - bastante!
·  Balas duras e sem açúcar.
·  Frutas frescas.
·  Iogurte light.
·  Chás descafeinados.
·  Barras de cereais light.
 
Remova os alimentos ricos em gordura e muito calóricos de casa para evitar tentações.
 
 
Evite o álcool

Não só porque é muito calórico, mas também, por servir de gatilho para o cigarro.
Para muitos, fumar e beber andam juntos, tal como a mão e a luva.
 
 
Uma coisa de cada vez
 
Muitos que param de fumar decidem, ao mesmo tempo, fazer uma grande "faxina" em suas vidas. Mas quando se abarcam muitos projetos ao mesmo tempo, corre-se o risco de falhar em todos eles.
 
Se você está parando de fumar, lembre-se:
·  Trate-se bem.  Parar de fumar é um enorme compromisso e você deve gratificar-se pelo progresso. Não subestime a magnitude da sua ação!
·  Seja paciente. Parar de fumar é um processo que demanda tempo.
·  Aceite a si mesmo. Você é bárbaro e tem grande potencial!
 
Se ganhar alguns poucos quilos no processo de parar de fumar, então, que seja. Os benefícios dessa atitude irão se estender por toda a sua vida, aqueles que você ama também serão favorecidos. Você pode abandonar o tabaco sem ganhar muito peso. Não deixe que o medo de engordar te mantenha acorrentado a uma dependência que poderá te matar. Dê-se essa chance.
 
Os quilos podem ser perdidos, os pulmões não!
 
 
 
 
Eu, Mônica Mendonça Lima*, Gerente de Promoção à Saúde da Intersaúde, tive o prazer de traduzir este texto disponibilizado na internet pela ex-fumante Terry Martin militante da causa anti-tabaco. O conteúdo é muito rico principalmente para aqueles(as) que querem parar de fumar mas ficam paralisados com a possibilidade de engordar. O texto em inglês está no endereço http://quitsmoking.about.com/od/weightgain/a/weightgainquit.htm .)
Saiba que parar de fumar é uma decisão muito importante para a sua saúde, talvez a melhor!
 

Crédito:Anna Beth

Autor:Marília Ramires

Fonte:Ricardo Viveiros Oficina de Comunicação