Rio de Janeiro, 04 de Dezembro de 2021

Inverno e doenças respiratórias: evite estresse e desconforto

Sabendo que o inverno é uma estação associada às doenças respiratórias, é bom ficar atento aos meios disponíveis para evitar o estresse e o desconforto nesta temporada de baixas temperaturas. 
 
Ao se definir o tratamento dos problemas respiratórios, como a asma e bronquite, deve-se identificar, por meio de uma avaliação detalhada, os hábitos e padrões emocionais que foram, ao longo dos anos, sempre aparecendo junto com as crises. Este é o alerta dado por André Tannus, fisioterapeuta yogue do Mukti – Consultório de Saúde Postural e Bem-estar, de São Paulo.
 
“Hoje, no meio médico é reconhecida a interrelação de áreas como a psicologia, neurologia, endocrinologia e imunologia. Segundo essas novas linhas de estudo e pesquisa, todas as doenças sofrem influências das emoções. Os pulmões, protegidos por uma grade de costelas, sofrem os sintomas físico-emocionais da doença em questão e colocam a postura da coluna em posição arqueada para frente” explica André. Com isso, os ombros se retraem e logo tomam a frente do peito e, uma série de dores e retrações aparecem em diversas partes do corpo.
 
O reequilíbrio postural e a minimização das dores e dos sintomas poderão ter maior eficiência se o paciente tratado perceber a necessidade de mudar alguns de seus hábitos cotidianos que o levam em direção à doença. Os exercícios do tratamento são propulsores de uma mudança maior dentro de si.
 
“Exercícios respiratórios são imprescindíveis para a saúde do organismo todo, porque é por meio de uma boa respiração que o sangue alimenta corretamente órgãos, músculos e células. Existem exercícios respiratórios específicos para nariz entupido, para espantar o frio nas mãos e nos pés, para alívio de sintomas da asma”, ressalta André.  O principal objetivo do tratamento da Fisioterapia de Reequilíbrio Postural é dar instrumentos práticos para lidar com o problema da maneira mais adequada para cada paciente, com exercícios de respiração e alongamentos, para que se possa lidar melhor com as emoções que agravam o quadro sintomático.
 
 
Os exercícios são selecionados a partir de avaliação para mudança do padrão respiratório, regularizando o ritmo das respirações e melhorando as dores e retrações dos músculos, das posições dos ossos e da circulação do sangue. Assim, pouco a pouco, ocorre uma significativa melhora no ânimo, alívio de tensões dolorosas da musculatura, aumento da auto-estima no tratamento e na própria condução de vida. 
 
 
 
Dicas para o dia-a-dia:
 
 
Mirella Duarte, psicóloga e professora de Yoga do MUKTI, dá outras dicas práticas para melhorar o quadro clínico e evitar os sintomas destas doenças respiratórias:
- No inverno a melhor dica é evitar leite e derivados porque causam muito muco. O ideal, além da alimentação saudável, é aumentar o consumo das hortaliças, porque auxiliam o bom funcionamento dos pulmões;

- Chá de hortelã ou de menta é ótimo para aliviar mal estar na garganta e nariz entupido;

- Inalação caseira com sálvia fresca é muito boa para asma, sinusite, bronquite ou qualquer outra inflamação;

- Se as narinas estiverem entupidas, deite-se de lado, respire profundamente por uns 3 minutos, que é o tempo que normalmente leva para desentupir. Faça esta respiração no lado que mais incomodar;

- Em crises de asma não deite. Fique sentado com o troco levemente inclinado para frente e peça para alguém o massagear as costas e as costelas com óleo de eucalipto. Trabalhe a respiração profundamente, o quanto puder, na expiração. Solte o ar pela boca assoprando o mais lento que conseguir;

- A massagem fisioterapêutica, ótima para bronquite, é chamada de tapotagem, e ajuda a soltar e eliminar todo o catarro dos pulmões. Outra bem utilizada é a reflexologia nos pés, mãos, antebraços, peito e costas.
 
 
 

Crédito:Anna Beth

Autor:Natália Haidamus

Fonte:Chris Assessoria de Comunicação