Rio de Janeiro, 15 de Novembro de 2019

O que o amor provoca?

O que o amor provoca?
Se passar por cima de você não precisa ser nem um trator, basta afetar sua sensibilidade e embotá-la.
 
Possuído pelo ciúme e pela intenção de tomar posse do terreno do amor. Não respeitando fraquezas, que, de tão inúmeras, cansam.
 
Como, então, distinguir jóias da Coroa - nossos sentimentos mais puros - de fantasias que nos fazem sonhar com o impossível?
 
 
 
Se a declaração de amor é pungente e arrebatadora?
Se a seus olhos parece sincera e convincente?
Será que você está a caminho de ser subjugado pelo amor?
 
 
Você deixa claro ao lado de quem deseja ficar o tempo todo quando a ilustre desconhecida o liberta de suas amarras achando tudo que o cerca fofo. Também se defende na tentativa de evitar desentendimentos tão normais na vida a dois.
Se ela te faz voar e encontrar sentido na vida, tem mais é que agradecer, pois ao tentar afastá-la acendeu um fogo que o fez arder em brasa - o amor eterno?
 
 
Não existe um amor ideal à prova de adversidades para mostrar seu afeto abertamente sem correr riscos, porque estamos aqui para testar nossas potencialidades e desenvolver a capacidade de negociar com os problemas à medida que aparecem.
 
 
A tarefa mais árdua é distinguir a paixão do amor já que a paixão nasce sob o estigma de abalar as estruturas e durar pouco como uma borboleta. A transição para o amor equipara-se à busca pela fonte da juventude, onde se espera encontrar a regeneração matando o amargor, o milagre da fé operando a alma e abrindo seu peito e ventre em cruz, para que a lança penetre profundamente e retire o pomo da discórdia.
 
 
Mas que remédio, se ainda vivemos uma fase de transição em que principiamos a sair de uma era em que não se consegue fugir da expiação para a regeneração? A célula-tronco é o primeiro sinal. Mil anos pela frente para a transição, já que o homem trata primeiro de mudar a matéria para depois tratar das coisas da alma.
 
 
A paixão faz com que ele se exiba: “olha o amor maravilhoso que eu tenho para te dar, ninguém nunca te amará como eu te amo, eu nunca amei ninguém antes assim. Sério, você não acredita, mas me deixe ser o seu homem. Me deixe penetrar no seu mundo, eu quero que você seja tão feliz quanto eu já sou ao seu lado. Permita que descubramos o que existe de proibido entre nós agora que resolvemos ficar juntos.
 
 
Para que revelemos esses fragmentos amorosos que nos atraem e nos realizemos com essa troca. Fraquezas representam, na maioria das vezes, desejos insatisfeitos e nós somos pessoas comuns que necessitamos nos divertir dando vazão às tolices que impregnam nossa mente.”
 
 
Jamais nos desconectamos do amor romântico embora acumulemos sofrimentos que, no curso da vida, demandam alguns ajustamentos para nos colocar em nossos devidos lugares para que aprendamos com a experiência. Mas o que nos atrai é o proibido, um dogma desde que Eva ofereceu a maçã a Adão.
Por ele ter tocado num ponto onde ela acreditava que nenhum homem haveria de chegar. De tão intangível, parecia um tabu por ser quebrado.
 
 
Se existe amor, há vontade em transgredir.
 
 
 

Crédito:Antonio Carlos Gaio

Autor:Antonio Carlos Gaio

Fonte:Universo da Mulher