Rio de Janeiro, 27 de Fevereiro de 2020

Alma gêmea realmente existe?

Saiba o que está por trás dos relacionamentos e conexões instantâneas que você estabelece com algumas pessoas

Muitas pessoas sonham em encontrar um relacionamento para compartilhar momentos pelo resto da vida, mas, nem sempre, esse acontecimento chega perfeito como é idealizado.

Constituir a relação dos sonhos pode parecer muito difícil para alguns, devido a motivos diversos. Ao se deparar com a dificuldade de encontrar o sonhado "amor verdadeiro", muita gente desiste e acha que esse sentimento é, na verdade, uma ilusão.

Porém, na realidade, o conceito de "alma gêmea" é bem mais real do que apenas os poemas e canções que embalam corações apaixonados. Pouca gente sabe, mas a dificuldade em encontrar o parceiro ideal pode ter muito mais a ver com o cérebro do que com o coração.

De acordo com o ThetaHealing, técnica que reprograma o cérebro com o objetivo de eliminar crenças limitantes e atrair energeticamente os desejos do consciente, todas as pessoas possuem conexões e atrações com indivíduos que, de certa forma, as completam.

A instrutora em ThetaHealing, Amanda Pissolati, acrescenta que para encontrar tais pessoas, é necessário atraí-las da maneira correta.

"Isso pouco tem a ver com sorte. Muita gente, possui a crença de que existe o par perfeito ou que o amor não foi feito para ela, entre outras coisas. Isso só faz com que seja muito frustrante esperar e acaba nascendo o sentimento de que o amor jamais existirá na vida dessa pessoa", acrescenta.

Amor próprio

Pissolati explica que para encontrar a conexão mais forte do ser humano, conhecida como Alma Gêmea, é necessário, acima de tudo, amar a si mesmo. "Estamos em constante evolução. E uma das partes mais importantes dessa evolução é conseguir localizar o amor próprio. Um dos principais motivos de uma pessoa não conseguir encontrar a sua alma gêmea refere-se, exatamente, a não amar a si mesmo antes".

A especialista esclarece que nenhuma pessoa consegue amar outra sem antes entender a si mesmo.

"Ela precisa entender que não existe uma maneira de alguém nos amar se não amarmos a nós mesmos antes. Nosso subconsciente atrai aquilo que acreditamos ser o ideal ou o que merecemos. Então, uma pessoa que não se ama verdadeiramente, não será capaz de encontrar o mesmo em outras pessoas e muito menos amar o outro também", destacou.

Como encontrar sua alma gêmea?

O primeiro passo para encontrar uma conexão importante é o autoconhecimento. Amanda revela que é importante se perguntar: "Eu estou pronto para um relacionamento? Estou preparado para amar e ser amado?". "Ao encontrar as respostas para essas perguntas, você entenderá se para seguir em busca do amor, é necessário evoluir mais ou se já está pronto".

Para auxiliar nessa evolução e autoconhecimento, a melhor opção pode ser o ThetaHealing. "Utilizando as ferramentas de reprogramação dessa técnica é possível eliminar crenças como a de que o amor não existe, de que nunca será possível encontrar alguém que vale a pena ou que ele não será recíproco. E, acima de tudo, o ThetaHealing dará a oportunidade de encontrar o amor próprio e ser feliz com o que acredita", concluiu.

 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Amanda Pissolati

Fonte:Universo da Mulher