Rio de Janeiro, 21 de Outubro de 2017

A Arte de Rogério Aparecido da Silva - Por Jamill Barbosa Ferreira

Independente da inspiração ou do tema, o pintor Rogério Aparecido da Silva cria uma arte sensível e visualmente mutável. É preciso analisar, sentir seus quadros.
 
Paranaense de Matelandia que atualmente mantém base em Foz do Iguaçu, Rogério dedica todo seu tempo para a pintura. Autodidata, quando garoto já desenhava muito e não demorou para usar tintas e telas. Sua pintura é forte, motivos inimagináveis, formas que atraem; tons de preto, cinza, amarelo, num momento noto algum toque timidamente vermelho, ou marrom; pinceladas estratégicas, justapostas, que formam o quadro, a arte, a alma. Quadros belos, atraentes.
 
 
Ilustrações: Rogério Aparecido da Silva por Anita Seiber.
Quadros (fotos de Christian Rizzi):
1 – "A Vocação de Madalena", 2001, 80x60cm, óleo em tela;
2 – "Os Amantes", 2000, 50X70cm, óleo em tela.
 
 
Figuras construídas com expressivas deformações, que, de acordo com a atmosfera do espectador, refletem força, determinação, beleza, melancolismo, tragédias e, sobretudo, a sensibilidade do próprio Rogério. O que você percebe? Luzes e sombras: quase uma aparição. As figuras perdem as proporções humanas e as cabeças somem, ou crescem, corpos se apresentam firmes e fortes nos desafiando, olhos misturam-se até atingir a plenitude de uma deformação disciplinada que é notada em seu estilo.
 
Rogério participou de dezenas de exposições coletivas e individuais no Paraná, ganhou prêmios. Seus quadros merecem reconhecimento porque, felizmente, não são apenas objetos decorativos. Seus quadros são arte e na arte nada é por acaso. Tudo com motivo, despertando análise, admiração e sobretudo orgulho de ver, perceber e sentir uma arte tão autêntica. Felizes os que têm um quadro do Rogério Silva na parede. Você quer um? Eu quero todos.
 
 
 

 
 

Crédito:Jamill Barbosa Ferreira

Autor:Jamill Barbosa Ferreira

Fonte:Universo da Mulher