Rio de Janeiro, 20 de Janeiro de 2020

Próteses de Silicone e Lipoaspiração vira febre entre as mulheres

ESBANJAR CHARME E BELEZA, GANHAR UM CONTORNO SEDUTOR SEM MEDO DE ERRAR COM CIRURGIAS PLÁSTICAS

 

Próteses de Silicone e Lipoaspiração vira febre entre as mulheres


Próteses de Silicone e Lipoaspiração continuam sendo a grande coqueluche do Verão.

 

Seios muito fartos ou pequenos, com maior flacidez, não importa. Graças à cirurgia plástica moderna, é possível melhorar e dar nova forma às mamas, a fim de conquistar a harmonia corporal, se sentir mais bela e elevar a auto-estima.

 

Especiais, modernas e anatômicas, as próteses tornam os seios mais atraentes. E a melhor parte da história é que elas são totalmente seguras e versáteis. As modernas técnicas de cirurgia plástica possibilitam aumentar, reduzir, levantar e dar nova forma às mamas.

 

A realização da cirurgia de mamas, também conhecida como Mastoplastia é um procedimento para correção dos seios. Não abrange apenas aspectos estéticos, mas também de saúde, como dores nas costas, desconforto, problemas nos sistemas circulatório e respiratório, entre outros. Os procedimentos da cirurgia plástica das mamas são a mastoplastia de aumento, de redução e de levantamento.

 

Aumento

É indicada às pessoas que têm insuficiência de volume mamário, e pode ocorrer naturalmente ou após a amamentação. O implante utilizado para esse fim é prótese mamária de silicone, pode ter textura lisa ou texturizada.

A cirurgiã plástica Dra. Edith Kawano Horibe, PhD pela Faculdade de Medicina da USP, esclarece que existem dois espaços para alojar o implante: sub-glandular e sub-muscular. O primeiro é o espaço mais comum e mais fisiológico. O segundo é reservado para casos em que o tecido mamário é muito escasso ou quando é necessário retirá-lo por estar doente.

“A via de acesso é por onde o cirurgião realiza as manobras cirúrgicas para feitura de um espaço de forma semelhante a da prótese, de tal modo que a mesma fique alojada livremente no espaço previamente determinado. Ela pode ser areolar, no sulco sub-mamário ou axilar. A escolha é feita por ocasião da consulta. De suma importância é avaliar o tamanho da prótese a ser introduzida”, explica a especialista.

A anestesia pode ser local ou geral; a duração da cirurgia é de 2 horas e a paciente pode sair do hospital no mesmo dia, se estiver em condições. É aconselhável o uso de sutiã modelador por   2 meses. Cuidados pós-operatórios são essenciais na estabilidade do resultado. Após sete dias, a paciente pode voltar às suas atividades normais de trabalho.

 

Redução

Sua principal indicação é para aliviar o desconforto físico e estético. As incisões são feitas nos lugares menos visíveis e a técnica operatória depende da forma e tipo das mamas, como a de T invertido, Lateral e Periareolar, as mais comuns.

Geralmente, a cirurgia é realizada sob anestesia geral, no entanto pode-se utilizar sedação e anestesia local. O preparo operatório consiste em uma avaliação física do local para definir o tipo de técnica a ser utilizada e também das condições gerais da paciente.

O tempo cirúrgico é de aproximadamente 3 horas e pode ter alta hospitalar no mesmo dia ou pernoitar. O período de recuperação é de 2 a 3 meses, mas a paciente pode voltar a sua atividade profissional após 15 dias. Na maioria das vezes, as mamas operadas respondem normalmente a lactação. É uma operação de meio e não de fim, cuja durabilidade do resultado depende das condições gerais de cada pessoa.

“É uma cirurgia de risco comparável a qualquer outra realizada em pacientes em condições normais de saúde”, alerta a médica.

 

Levantamento das mamas

Após a puberdade os seios são rígidos devido a quantidade de glândulas. Com o tempo  diminui e a gordura aumenta, resultando a ptose mamária, isto é, a queda da mama. Outro fator importante na aceleração desse processo é a gravidez.

            O procedimento de levantamento das mamas, ou mastoplastia de elevação, consiste em retirar o excesso de pele e tecido mamário existente, suspendendo o seio. Segundo Dra. Edith Horibe “as incisões são feitas ao longo das pregas naturais da mama e na aréola, além da incisão em forma de fechadura marcando a nova posição do mamilo. A pele da parte inferior da mama é removida e a aréola, o mamilo e o tecido mamário são deslocados para a posição superior”. Dependendo da extensão do procedimento, a cirurgia de elevação das mamas dura em média três horas.

 

Alguns cuidados são fundamentais para se chegar a bons resultados. Eles começam com a escolha de uma clínica de estética bem conceituada no ramo de cirurgia plástica e a escolha do cirurgião, além de cuidados já no pré-operatório e, principalmente, após a cirurgia, para se alcançar o resultado esperado.

 

Mas, não é só as mamas que andam mexendo com a vaidade feminina, a lipoaspiração também. Infelizmente, perder as gordurinhas não é do dia para a noite, requer tempo, força de vontade e disciplinas física e alimentar. Não adianta malhar um dia inteiro e só voltar na academia duas semanas depois, ou quando tiver um tempinho. Para perder as gorduras localizadas e ganhar nova forma, o corpo precisa ser estimulado freqüentemente, seja por meio de caminhada, ginástica ou tratamento estético.

 

A lipoaspiração não é um substituto das dietas, mas promove a remoção das gorduras que não respondem aos tratamentos de emagrecimento ou aos exercícios físicos. É o método mais rápido e efetivo de retirar as gorduras localizadas. Com ela é possível esculpir o corpo, realizando a lipoescultura, que consiste em retirar a gordura de algumas áreas (abdômen, costas, flancos, culotes e coxas), colocando em outras (nádegas, retrações naturais, depressões de celulite). “A melhor indicação da lipoaspiração é o paciente que apresenta gordura localizada e que está dentro da sua faixa normal ou um pouco acima do seu peso. Pessoas com sobrepeso também podem realizar o procedimento, mas a lipoaspiração não está indicada para o tratamento da obesidade”, afirma a cirurgiã plástica Dra. Edith Horibe.

“Trata-se de um procedimento muito seguro, desde que se obedeça aos preceitos médicos de segurança e que seja realizada corretamente. Oferece resultados rápidos, remodelação corporal definitiva e cicatrizes praticamente imperceptíveis”, comenta a cirurgiã plástica.

 

Dra. Edith Kawano Horibe

Cirurgiã Plástica, PhD pela Faculdade de Medicina da USP

Presidente da ICAM (Ibero-American Confederation of Anti-Aging Medicine)

Vice-Presidente da ABMAE (Academia Brasileira de Medicina Antienvelhecimento).

 

Crédito:Cris Padilha

Autor:Grazia Nicosia

Fonte:Universo da Mulher