Rio de Janeiro, 17 de Agosto de 2017

Não adianta se desesperar: emagrecer leva tempo

Não adianta se desesperar: emagrecer leva tempo

“Dieta de Hollywood”, “Dieta da Proteína”, “Emagreça dormindo”... Com tantos produtos e dietas novas sendo lançados todos os dias, fica difícil saber qual o melhor caminho para emagrecer e preservar a saúde.

Para esclarecer algumas questões sobre nutrição e perda de peso, a endocrinologista e nutróloga, Ellen Simone A. O. Paiva faz algumas considerações sobre o tema.

Com 24 anos de profissão, a médica defende a idéia de que “emagrecer é possível e prazeroso.

Pode, inclusive, ser duradouro e até definitivo quando encarado com a maturidade de quem quer ser saudável para ser belo.

A perda de peso ocorre com qualquer dieta de baixas calorias, mas a perda de peso duradoura só ocorre com dietas balanceadas e conhecidas de todo o mundo acadêmico”, afirma a médica, que também é titular do International Colleges for the Advancement of Nutrition, ICAN.

Ellen recomenda persistência e calma a quem está tentando emagrecer.

A seguir, acompanhe algumas das observações da médica a respeito de mitos que envolvem as dietas:

 

1)                Pular refeições é uma boa forma de emagrecer

Quando pulamos refeições, nós permanecemos em jejum por um longo período. Isso é prejudicial em vários aspectos. Primeiro porque dificilmente vamos conseguir comer corretamente na próxima refeição, uma vez que podemos estar com muito mais fome e seremos menos seletivos em nossa escolha alimentar. Segundo porque nosso organismo reage ao jejum com redução do gasto calórico e, conseqüentemente, isso dificulta a perda de peso.

 

2)                É possível  emagrecer comendo tudo o que se deseja

Todas as vezes que escolhemos alimentos mais calóricos, devemos reduzir o volume ingerido para conseguir perder peso. Às vezes, a redução de calorias inviabiliza a dieta, pois o pequeno volume ingerido nos causa muita fome. Por outro lado, é impossível aderirmos a um plano dietético, abolindo nossos alimentos prediletos. Por isso, a dieta deve sempre ser individualizada e discutida com o paciente.

 

3)                Comer depois da 8 da noite causa ganho de peso

Não há nenhum estudo criterioso que apoie essa idéia, assim como é polêmica e infundada a suspensão do carboidrato do jantar. O maior problema é o excesso de alimentos, à noite, e sua influência na qualidade da digestão e do sono noturnos.

 

4)                Certos alimentos, como berinjela, sopa de repolho e suco de limão, podem queimar gordura e fazer perder peso rapidamente

Não há alimentos que queimam gorduras. Todo alimento que será metabolizado pelo organismo  causa um gasto energético, mas isso não causa perda de peso. O efeito das sopas na perda de peso deve-se ao fato de serem refeições pouco calóricas. Por outro lado, são frugais e de absorção muito rápida, podendo predispor a sensação de fome precoce.

 

5)                Comer carne vermelha é ruim para a sua saúde e tornará mais difícil a perda de peso

Não há alimento ruim, há dieta ruim. A carne vermelha é um componente muito importante para a nossa saúde, uma vez que contém ferro em sua forma de mais fácil absorção. Os riscos para a saúde são o fato de algumas delas serem fontes de gorduras saturadas, em geral, e de colesterol, em particular, e nesse caso, serem muito calóricas.

 

6)                Fast foods sempre são uma escolha inadequada para a saúde e devem ser evitados quando estiver de dieta

Esses alimentos são, realmente, na maioria das vezes, inadequados à saúde. Isto, no entanto, não os tornam abolidos do cardápio. Hoje, preocupa-nos muito o grande consumo destes alimentos entre as crianças e adolescentes nas cantinas das escolas e nos almoços dos executivos e trabalhadores das grandes cidades. 

 

             7)               Pouca gordura" ou "sem gordura" significa que o alimento não tem calorias

Geralmente, as gorduras são os macronutrientes mais calóricos (9 calorias/grama) quando comparamos com as proteínas e carboidratos (4 calorias/grama). Então, os alimentos sem gorduras ou com baixo teor de gorduras têm menos calorias. Isso não significa que não contêm calorias.

 

 

Ellen Simone A. O. Paiva

Com 24 anos de profissão, a goiana Ellen Simone A. O. Paiva graduou-se em medicina pela Universidade Federal de Goiás, em 1981. Foi lá também que fez residência em Clínica Médica. Já em São Paulo, especializou-se, primeiro, em Endocrinologia, depois em Nutrologia, na USP. Com intensa atividade profissional e acadêmica é mestre na área de nutrição e diabetes pela USP. É, hoje, titular da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, SBEM, da ABRAN, Associação Brasileira de Nutrologia e do International Colleges for the Advancement of Nutrition, ICAN. É também a diretora clínica do CITEN - Centro Integrado de Terapia Nutricional.

 

 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Márcia Wirth

Fonte:Márcia Wirth