Rio de Janeiro, 27 de Julho de 2017

Como a mulher pode resolver?

Como a mulher pode resolver?

De acordo com o cirurgião plástico, Lecy Marcondes Cabral, aumentou a procura por este tipo de cirurgia por mulheres na faixa dos 50 anos, que desejam melhorar sua auto-estima

Falta de contorno na silhueta, ausência de volume na região glútea e culotes são problemas que afetam a maioria da população feminina, principalmente as mulheres que já tiveram filhos.

Quando tratamentos clínicos e estéticos não surtem mais efeito, deve-se considerar uma cirurgia plástica.

Criada pelo francês Illouz, em 1983, a lipoaspiração é uma opção a ser considerada para atenuar ou  resolver o acúmulo de gordura, que o tempo insiste em deixar no corpo feminino.

Pelo aprimoramento da técnica, seus bons resultados e segurança, a lipoaspiração tornou-se uma aliada da mulher para remodelar o corpo e atingir uma silhueta mais harmônica.

A lipoaspiração é a cirurgia plástica mais realizada em todo o mundo.

No Brasil, dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica apontam a realização de cerca de 30 mil procedimentos de lipoaspiração por ano.

Como toda cirurgia, o bom resultado está associado à  indicação precisa, capacidade profissional do médico e à infra-estrutura do local onde será realizada a cirurgia.

Considerações

Ao contrário do que muitos pensam a lipoaspiração não é feita para emagrecer, perder peso.

É realizada para remodelar o corpo, retirar a gordura localizada e assim melhorar o contorno corporal.

A gordura retirada durante a cirurgia poderá se utilizada para preencher ou até mesmo modelar outras áreas do corpo que possam apresentar depressão ou pouco volume de gordura, o que chamamos de lipoescultura.

De acordo com o cirurgião plástico Lecy Marcondes Cabral, outra consideração a ser feita é “que as melhores candidatas à lipoaspiração são aquelas pacientes próximas do peso ideal e que apresentam gordura localizada de difícil perda com exercícios”.

Um dado interessante levantado por Cabral é o de que a procura por este tipo de cirurgia por mulheres na faixa dos 50 anos aumentou.

“Anteriormente, a lipoaspiração era realizada nas pacientes com até 45 anos. Agora, a faixa de interessadas neste tipo de cirurgia cresceu muito e abrange pacientes com idade até mesmo superior a 50 anos, isto porque estamos remodelando a região glútea com a própria gordura da paciente, o que aumenta em muito a sua auto-estima nesta etapa da vida” afirma o cirurgião.

A seguir, o Dr. Lecy Marcondes Cabral esclarece as dúvidas mais comuns a respeito desta cirurgia.

Lipoaspiração ou Lipoescultura

- Hospitalização?

A cirurgia pode ser realizada em hospitais ou clínicas.

- Tempo médio de duração?

De 2 a 4 horas, dependendo do volume e regiões a serem lipoaspiradas.

- Anestesia?

Geral ou peridural com sedação. Em casos em que o volume a ser aspirado é pequeno, pode-se utilizar anestesia local.

- Anestesia/ sedação por quantas horas?

Em média se gastam 3 horas de cirurgia.

- Como é feita?

A lipoaspiração é realizada através de duas incisões: uma localizada na região suprapúbica e outra na região interglútea. As incisões medem 1 cm de comprimento. A lipoaspiração e a lipoescultura podem ser realizadas da região logo abaixo das mamas até o joelho, somente pelas incisões suprapúbica e interglutea.

- Não é indicada para quem: fumantes, hipertensas?

Se os exames laboratorias e a avaliação cardiológica estiverem dentro da normalidade, não há contra-indicação. Pacientes hipertensos, diabéticos ou que tenham sido submetidos a angioplastia ou a cirurgia cardíaca podem fazer lipoaspiração, desde que estejam controlados pelos seus médicos assistentes e sejam liberados pelos mesmos. Nestes casos mais delicados, a cirurgia é realizada, somente, em ambiente hospitalar e não em  clínicas.

Cuidados pré-cirúrgicos

- O que fazer antes: avaliação cardiológica, estar próximo ao peso ideal, quais os exames?

São os de rotina, para quem irá se submeter a uma cirurgia.

Cuidados pós-cirúrgicos

- Ocorrem inchaços e esquimoses?

Sim. O edema e as equimoses fazem parte do pós-operatório. O que temos feito para minimizar estes efeitos é colocar um dreno na região posterior e outra na região anterior, o que de certa forma tem "encurtado" o tempo de pós-operatório.

- Convalescença de quantos dias?

Dependerá do volume a ser lipoaspirado, geralmente a recuperação se dá entre 5 e 20 dias após a cirurgia.

- Uso de cintas compressoras por quanto tempo?

20 dias.

- Fazer drenagem linfática ou massagens, quanto tempo depois?

Assim que a paciente retira os drenos, ou seja, 48 horas depois da cirurgia, inicia-se a drenagem. Recomenda-se 10 sessões, ao término das quais a paciente é reavaliada. Se necessário, sucedem-se mais 10 sessões, realizadas diariamente. Ao término do 20 dias, a paciente não necessitará mais de drenagem e nem de usar a cinta compressora.

- Dirigir, quanto tempo depois?

Dependendo do volume aspirado e da recuperação, a paciente volta a dirigir a partir do sétimo dia.

- Tomar sol, quanto tempo depois?

De 3 a 6 meses.

- Fazer exercícios físicos, quanto tempo depois?

De 30 a 60 dias.

 

Lecy Marcondes Cabral

Com 23 anos de profissão, o paulistano Lecy Marcondes Cabral é mestre em cirurgia plástica pela Escola Paulista de Medicina, onde apresentou dissertação sobre o emprego da pele sintética para o tratamento de queimados. Integra o Corpo Clínico do Hospital e Maternidade São Luiz – onde também compõe a Comissão de Ética Médica – e do Hospital Israelita Albert Einstein. É o diretor da Clínica Integrada de Cirurgia Plástica São Paulo.

 

Crédito:Fatima Nazareth

Autor:Márcia Wirth

Fonte:www.plastica.com.br