Rio de Janeiro, 04 de Abril de 2020

O surgimento do travesseiro

O surgimento do travesseiro
No antigo Egito era costume dormir em travesseiros feitos de pedra.
 
A tradição se espalhou para todo o oriente, aos poucos. No século XII, as orientais colocavam uma espécie de tijolo sob a cabeça quando se deitavam. Segundo estudiosos, a prática era frequentemente adotada para não desmanchar o penteado das mulheres. Ao longo dos anos, o travesseiro evoluiu até se tornar macio e confortável, e confeccionado com diferentes materiais e formatos, para atender a cada tipo e gosto dos consumidores.
 
 
Travesseiros de molas - Inovação e Conforto
 
Em meados de 1950, houve tentativas de introdução de travesseiros de molas no mercado. Porém, como esses travesseiros eram copiados dos colchões de molas, não obtiveram sucesso, pois eram duros e barulhentos. Com a evolução dos colchões, houve novas tentativas, utilizando molas ensacadas em tecido. Este tipo de molejo é muito eficiente para os colchões, pois as molas são separadas e permitem uma adaptação personalizada ao corpo, além de diminuir o ruído. Mas, novamente, como o travesseiro é um produto que sofre pressões em todos os sentidos e deve apresentar um formato não retangular, as molas ensacadas nunca funcionaram para um bom travesseiro.
 
A idéia de utilizar molas em travesseiros sempre chamou a atenção de especialistas, pois seriam travesseiros de alta durabilidade, alta ventilação e com elasticidade controlada.
 
A solução veio em 1997 com o sistema“Spring Case”, patenteado pela empresa brasileira Duoflex. O sistema consiste de uma colméia de espuma macia, com furos onde se alojam as molas, totalmente separadas e independentes. As molas são superleves e têm formato de barril, podendo assim sofrer flexão lateral dentro de seus casulos na espuma, o que permite fabricar travesseiros que podem ser dobrados até 90 graus sem nenhuma deformação.
 
Este formato de barril também faz com que as molas ocupem o mínimo espaço quando comprimidas, já que cada espira se acomoda dentro da outra, tornando o travesseiro totalmente seguro. Os travesseiros de molas com o sistema “Spring Case” podem ter diversos formatos e suportes, e é muito difícil que o usuário consiga “sentir” as molas, já que são levíssimas e seu conjunto é que proporciona a sustentação da cabeça. Como as molas são independentes, há uma adaptação personalizada do travesseiro à anatomia da pessoa, fornecendo apoio a cada ponto da cabeça e pescoço, podendo oferecer conforto e maciez com total proteção e ausência de ruído.
 
 
Sobre a Duoflex
 
 
A Duoflex  que é especializada na fabricação de travesseiros, oferece opções para os mais variados gostos. Com know how de 14 anos, é a única no Brasil especializada em produzir travesseiros de alto padrão, tendo como metas principais a máxima qualidade e a satisfação das necessidades e desejos dos clientes. Atualmente, comercializa linhas de travesseiros de Molas, Látex, Memory Foam (visco elástico), Ventisoft, Espuma Tipo Látex e Espuma Tipo Látex Anti Ácaro (licenciada pela Actigard da Suíça).
 
Com o uso de alta tecnologia, tornou-se a primeira empresa brasileira e a segunda das Américas a produzir a espuma de Látex, material nobre e sofisticado. Além disso, é a única no Brasil com os exclusivos travesseiros de molas, que proporcionam conforto e maciez com total proteção e ausência de ruído, sendo considerados a grande tendência do mercado.
 
 
 
 

Crédito:Katia Camargo

Autor:Katia Camargo

Fonte:Universo da Mulher