Rio de Janeiro, 15 de Dezembro de 2017

Cenário Ideal para realizar cirurgias plásticas

Inverno: Cenário Ideal para realizar cirurgias plásticas

 
A maioria dos pacientes escolhe essa época para renovar o visual
 
 

Dietas radicais, exercícios físicos, sacrifício para emagrecer, tudo para ficar com o corpo em forma, mas nem sempre o resultado é possível de ser alcançado. E aí, a melhor saída é mesmo um tratamento estético. Por isso, os dias mais frios são propícios para quem deseja renovar o visual, ficar com o corpo mais bonito, partindo para as cirurgia plásticas . São vários os pontos favoráveis para a escolha do Inverno.  O primeiro deles é que as cirurgia plásticas exigem um cuidado criterioso no pós-operatório: evitar a exposição solar, pois prejudica o processo de cicatrização, podendo provocar manchas na pele e cicatrizes escurecidas.  Sem contar que há uma diferença de três meses entre o Inverno e Verão, onde o paciente tem tempo suficiente para se recuperar completamente, independente da cirurgia plástica escolhida.

 

 

 

Outro ponto favorável para a realização de uma cirurgia plástica no Inverno, é que no Verão, por exemplo, algumas pessoas retêm mais líquido, levando a um inchaço natural do corpo, causando incômodo ao paciente.  

 

Mas, a principal vantagem que esta estação apresenta é, sem dúvida, a possibilidade de se preparar para os dias mais quentes, quando todos querem apresentar uma performance corporal harmônica, em especial as mulheres que desejam desfilar seus corpos esculturais, vestir o biquíni e se expor nas praias com segurança.

 

Segundo a Dra. Edith Kawano Horibe, cirurgiã plástica, PhD pela Faculdade de Medicina da USP e presidente da ABMAE - Academia Brasileira de Medicina Antienvelhecimento, expoente em Gestão Antienvelhecimento e pioneira da Estética Médica outro ponto favorável à recuperação é a evolução tecnológica alcançada pela cirurgia plástica brasileira, considerada uma das melhores do mundo, cada vez menos invasiva.

 

Dentre as cirurgias mais procuradas durante o Inverno são:

 

  • Lipoaspiração: não é um substituto das dietas, mas promove a remoção das gorduras que não respondem aos tratamentos de emagrecimento ou aos exercícios físicos. É o método mais rápido e efetivo de retirar as gorduras localizadas.

 

Com ela é possível esculpir o corpo, realizando a lipoescultura, que consiste em retirar a gordura de algumas áreas (abdômen, costas, flancos, culotes e coxas), colocando em outras (nádegas, retrações naturais, depressões de celulite). "A melhor indicação da lipoaspiração é o paciente que apresenta gordura localizada e que está dentro da sua faixa normal ou um pouco acima do seu peso. Pessoas com sobrepeso também podem realizar o procedimento, mas a lipoaspiração não está indicada para o tratamento da obesidade", afirma a cirurgiã plástica Dra. Edith Horibe.

 

  • Próteses de Silicone: Especiais, modernas e anatômicas, as próteses tornam os seios mais atraentes. E a melhor parte da história é que elas são totalmente seguras e versáteis. As modernas técnicas de cirurgia plástica possibilitam aumentar, reduzir, levantar e dar nova forma às mamas.

 

A realização da cirurgia de mamas, também conhecida como Mastoplastia é um procedimento para correção dos seios. Não abrange apenas aspectos estéticos, mas também de saúde, como dores nas costas, desconforto, problemas nos sistemas circulatório e respiratório, entre outros. Os procedimentos da cirurgia plástica das mamas são a mastoplastia de aumento, de redução e de levantamento.

 

Aumento

É indicada às pessoas que têm insuficiência de volume mamário, e pode ocorrer naturalmente ou após a amamentação. O implante utilizado para esse fim é prótese mamária de silicone, pode ter textura lisa ou texturizada.

 

A Dra. Edith Kawano Horibe esclarece que existem dois espaços para alojar o implante: sub-glandular e sub-muscular. O primeiro é o espaço mais comum e mais fisiológico. O segundo é reservado para casos em que o tecido mamário é muito escasso ou quando é necessário retirá-lo por estar doente.

"A via de acesso é por onde o cirurgião realiza as manobras cirúrgicas para feitura de um espaço de forma semelhante a da prótese, de tal modo que a mesma fique alojada livremente no espaço previamente determinado. Ela pode ser areolar, no sulco sub-mamário ou axilar. A escolha é feita por ocasião da consulta. De suma importância é avaliar o tamanho da prótese a ser introduzida", explica a especialista.

A anestesia pode ser local ou geral; a duração da cirurgia é de 2 horas e a paciente pode sair do hospital no mesmo dia, se estiver em condições. É aconselhável o uso de sutiã modelador por 2 meses. Cuidados pós-operatórios são essenciais na estabilidade do resultado. Após sete dias, a paciente pode voltar às suas atividades normais de trabalho.

 

Redução

Sua principal indicação é para aliviar o desconforto físico e estético. As incisões são feitas nos lugares menos visíveis e a técnica operatória depende da forma e tipo das mamas, como a de T invertido, Lateral e Periareolar, as mais comuns.

 

Geralmente, a cirurgia é realizada sob anestesia geral, no entanto pode-se utilizar sedação e anestesia local. O preparo operatório consiste em uma avaliação física do local para definir o tipo de técnica a ser utilizada e também das condições gerais da paciente.

 

O tempo cirúrgico é de aproximadamente 3 horas e pode ter alta hospitalar no mesmo dia ou pernoitar. O período de recuperação é de 2 a 3 meses, mas a paciente pode voltar a sua atividade profissional após 15 dias. Na maioria das vezes, as mamas operadas respondem normalmente a lactação. É uma operação de meio e não de fim, cuja durabilidade do resultado depende das condições gerais de cada pessoa.

"É uma cirurgia de risco comparável a qualquer outra realizada em pacientes em condições normais de saúde", alerta a médica.

 

Levantamento das mamas

Após a puberdade os seios são rígidos devido a quantidade de glândulas. Com o tempo diminui e a gordura aumenta, resultando a ptose mamária, isto é, a queda da mama. Outro fator importante na aceleração desse processo é a gravidez.

 

O procedimento de levantamento das mamas, ou mastoplastia de elevação, consiste em retirar o excesso de pele e tecido mamário existente, suspendendo o seio. Segundo Dra. Edith Horibe "as incisões são feitas ao longo das pregas naturais da mama e na aréola, além da incisão em forma de fechadura marcando a nova posição do mamilo. A pele da parte inferior da mama é removida e a aréola, o mamilo e o tecido mamário são deslocados para a posição superior". Dependendo da extensão do procedimento, a cirurgia de elevação das mamas dura em média três horas.

 

Já para o rosto, além do tratamento de peeling, é bastante procurado a Mentoplastia. 

 

  • Mentoplastia: é a arte e ciência da cirurgia plástica em remodelar o queixo, conferindo melhor harmonia facial. O posicionamento do queixo, mais para frente ou mais para trás, é importante para determinar proporcionalidade à face.  Esta é uma cirurgia que pode ser associada à rinoplastia (plástica do nariz).

O queixo é um elemento importante para a harmonia do rosto. A pessoa que possui um queixo numa posição mais avançada ou retraída, com certeza se sente constrangida. Felizmente, hoje existem técnicas que corrigem esta região e proporcionam um formato mais simétrico e natural ao rosto. A mentoplastia (cirurgia plástica no queixo) mais comum é a que corrige o retro-posicionamento, ou queixo retraído como é conhecido, através da inclusão de uma peça de silicone ou de um segmento ósseo retirado da mandíbula. A escolha entre uma e outra técnica depende das condições anatômicas do paciente. A cirurgia, bem simples, é realizada com anestesia local e dura em média uma hora. Já para quem possui o queixo mais avançado, a técnica consiste em retirar um segmento ósseo excedente, o que causa um recuo no queixo e deixa o rosto mais harmonioso. Esta cirurgia também prevê anestesia local e dura em média uma hora.

 

Uma outra opção de cirurgia para esta época é a Cirurgia de Pálpebras (Blefaroplastia).

 

  • Blefaroplastia: A cirurgia das pálpebras é indicada quando estas estão flácidas e caídas, com excesso de pele ou bolsas de gorduras nas regiões inferiores ou superiores, que dão um aspecto cansado ao rosto. Não há idade certa para se submeter a essa cirurgia, conhecida também por Blefaroplastia.

As pálpebras contêm os músculos mais exigidos de toda a face, cumprindo funções múltiplas, como abrir e fechar os olhos, espalhar o filme lacrimal e proteger o globo ocular. Todas estas funções são realizadas por delicados músculos, envoltos por fina camada de tecido subcutâneo, glândulas e uma pele fina e sensível.

 

A Dra. Edith Horibe ressalta que talvez a aparência de fadiga é resultante de um conjunto de fatores, e não apenas as pálpebras caídas. Assim sendo, a Blefaroplastia talvez não resolva o problema, sendo indicado um tratamento clínico contra rugas e olheiras, bem como peelings para rejuvenescer a pele e obter um resultado harmonioso.

 

A técnica utilizada é a cirurgia a Laser, que tem a vantagem de cortar e coagular ao mesmo tempo os vasos sangüíneos (evitam hematomas), os vasos linfáticos (diminuem o inchaço) e os cotos nervosos (diminuem a dor), acelerando a recuperação em até 30% quando comparada à técnica tradicional (bisturi). Outra vantagem da técnica a Laser é que há a possibilidade de realizar a cirurgia transconjutival na pálpebra inferior, retirando as bolsas gordurosas  sem realizar incisões na pele, e, portanto, sem cicatrizes aparentes.

 

Alguns cuidados são fundamentais para se chegar a bons resultados. Eles começam com a escolha de uma clínica bem conceituada no ramo de cirurgia plástica e a escolha do cirurgião, além de cuidados já no pré-operatório e, principalmente, após a cirurgia, para se alcançar o resultado almejado.

 

Crédito:Cris Padilha

Autor:Grazia Nicosia

Fonte:Universo da Mulher