Rio de Janeiro, 23 de Setembro de 2017

Direitos da Mulher e Legislação

A mulher no século passado ultrapassou todas as fronteiras rompendo o limite que o preconceito e a desconfiança do homem a submetiam e rotulavam sua fragilidade, referindo-se como simples objeto, de sexo frágil.
 
A mulher impôs sua condição de igualdade e ampliou sua área de atuação.
 
A mulher conquistou espaços na sociedade antes nunca imagináveis.
 
Ingressou no mercado de trabalho competindo com o homem, ocupando cargos importantes em empresas e governos, vencendo provas esportivas, tomando decisões políticas representando o nome de seu país, participando de experiências científicas com notoriedade, realizando viagens espaciais, lutando em batalhas militares, dividindo o tempo entre as tarefas do trabalho e do lar, sendo trabalhadora, esposa e mãe.
 
E sendo mulher.
 
A consciência da mulher de hoje é coletiva e luta para despir a burka, para acabar com a violência que sofre em casa com seu parceiro, da condição de submissão em certas religiões e de todo preconceito machista.

A mulher chega ao século XXI, com muita luta, talento e charme, extrapolando a esfera deste planeta para alcançar o universo.

O universo sem limites, sem fronteiras e sem fim ...

Longa lista de Conquistas

A mulher mudou de patamar em cem anos, veja suas conquistas:

- Passa a ter direito de votar
- Entra nas Olimpíadas e, com o decorrer do tempo, aumenta sua participação na competição
- Entra maciçamente no mercado de trabalho
- Pode ser eleita governador
- Não pode mais ser impedida de matricular-se em cursos superiores
- Consegue apoio oficial para evitar a gravidez, inclusive com a ajuda de médicos para receitar contraceptivos
- Aposenta o espartilho e as cintas apertadas
- Passa a usar calças compridas
- Maquiar-se deixa de ser um hábito reprovável
- A mulher casada passa a ter os mesmo direitos do marido no mundo civil. Com isso, não precisa mais da autorização por escrito dele para ser contratada no emprego, matricular-se na faculdade, comprar e vender imóvel e dar queixa na delegacia
- Não pode mais ser deserdada pelo pai por ter sido "desonesta", leia-se ter perdido a virgindade
- Acaba o costume de manter a virgindade até a noite de núpcias
- Deixa de ser educada apenas para casar e ter filhos
- Desaparece a figura do chefe da família. O homem perde o poder legal de dar a última palavra dentro de casa
- Não pode mais ser devolvida ao pai pelo marido que a acusa de ter sido deflorada por outro
- Fica livre para decidir se quer adotar o sobrenome do marido
- Passa a cobrar fidelidade do marido e dar-se o direito de eventualmente trair
- Conquista o direito de fazer aborto em muitos países
- A Justiça não aceita mais a tese de legítima defesa da honra para inocentar homens que matam a mulher por ciúme ou traição
- Pode fumar e beber em público sem sofrer a desaprovação moral da sociedade
- Começa a exigir prazer nas relações sexuais
- Chega a cargos executivos nas grandes empresas
- Recebe salários mais próximos dos pagos aos homens.

 

O Universo da Mulher

 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Luiz Affonso

Fonte:Universo da Mulher