Rio de Janeiro, 24 de Outubro de 2019

Saiba como cuidar do pulmão de seu bebê

Saiba como cuidar do pulmão de seu bebê

 

Confira as medidas que fazem diferença na vida dos recém-nascidos e resultam em um desenvolvimento saudável

 


 

Desde antes do nascimento, o desenvolvimento do pulmão é muito importante e definitivo em termos de qualidade de vida. Ele começa na gestação e normalmente cresce até os sete anos de idade. Portanto, uma infância saudável e com certos cuidados é fundamental para evitar problemas futuros.

 

O pulmão do bebê nascido no tempo certo continua se desenvolvendo nos primeiros anos de vida. Ainda ocorrerá a formação de novos alvéolos, região responsável pela troca saudável de gases, e também haverá melhor sustentação da caixa torácica, que passará de cartilagem para óssea. Segundo a especialista dra. Marina Buarque de Almeida, da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia, o bebê nascido antes do tempo tem mais chances de enfrentar problemas pulmonares. “Quanto mais prematuro for, mais prematuro será o pulmão” (aqui vale citar link sobre matéria do pulmonar sobre displasia broncopulmonar, doença que pode acometer os pulmões dos bebês prematuros).

 

Logo após o nascimento o bebê pode ter problemas respiratórios de evolução benigna, como a taquipnéia transitória, quando o pulmão retém um pouco de líquido, que logo será eliminado naturalmente, mas dificulta a respiração nas primeiras horas de vida.

 

“Problemas infecciosos pulmonares nos recém-nascidos podem ser mais preocupantes, e às vezes, resultam de uma infecção da própria mãe“, explica a especialista.

 

Há uma série de determinantes no desenvolvimento e funcionamento dos pulmões. A dra. Marina Buarque de Almeida explica que tudo depende de variáveis: “Se a mãe teve uma gravidez saudável, um parto tranqüilo, não fumou durante a gravidez e nem se expôs ao tabaco e se a criança nasceu no tempo certo, são alguns fatores relevantes”.

 

 

Cuidados importantes

 

 

  • Pré Natal adequado (menor risco de parto prematuro, menor risco de infecções maternas que podem aumentar risco de pneumonias no bebê)
  • Evitar exposição da gestante ao tabaco
  • Parto (normal ou cesárea) sem sofrimento do feto
  • Evitar exposição do bebê ao tabaco

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Acontece - Chico Damaso

Fonte:Universo da Mulher