Rio de Janeiro, 17 de Outubro de 2019

Como conciliar a asma e os agitos da infância

É um erro afastar a criança com asma dos esportes. Toda atividade física, devidamente orientada, é boa para quem sofre de asma

 

 

Ano novo e a chegada do verão coincidem com a interrupção das aulas extracurriculares, como natação, balé e judô. No caso das crianças asmáticas, isso traz um certo inconveniente, pois são atividades que estimulam o processo respiratório. Com isso, muitos pais passam a maquinar formas de como compensar a falta dos exercícios físicos.

 

Para a dra. Zuleid Linhares Mattar, presidente da Associação Brasileira de Asmáticos de São Paulo (ABRA-SP), não há motivo para grandes preocupações. Afinal mesmo com o fim das atividades habituais, sempre é possível optar por brincadeiras ao ar livre, como em parques e praças.

 

Ela aconselha que as crianças se movimentem, subam em árvores, corram, brinquem de pega-pega, esconde-esconde, barra-manteiga e queimada. Estas atividades contribuem para a melhora da condição física, fazendo com que o asmático possa suportar com mais tranqüilidade os agravos da saúde. Com a resistência aumentada, ele adquire reservas para enfrentar as crises.

 

“O asmático é uma criança normal. Não é necessário que ele faça natação, se ele não gosta de nadar. Devemos pensar em exercícios pelo prazer e pelos benefícios da prática esportiva, e não como uma obrigação a mais na vida.”

 

Medicação e ambiente

 

Claro que a possibilidade de crises é um receio da família que cresce nas férias, pelo fato da criança passar a maior parte do tempo em casa. A especialista afirma que esta não é uma época típica de agravamento do problema.

 

“Há um aumento das crises no inverno, devido ao ar seco e frio”.

 

No verão, o maior cuidado deve ser com as viagens ao litoral, que precisam ser antecipadamente planejadas. “É muito comum que casas de praia fiquem fechadas o ano todo, fazendo com que o cheiro forte e o mofo tomem conta do local. Ao pensar em praia, peça que alguém areje a casa antes de ir para lá com a pessoa asmática”.

 

A medicação também não deve ser esquecida. Isso vale principalmente para as crianças, pois, sem o controle da doença, não serão capazes de acompanhar e se beneficiar das atividades físicas ou brincadeiras mais enérgicas.

Crédito:Cris Padilha

Autor:

Fonte:Acontece Comunicação