Rio de Janeiro, 02 de Abril de 2020

Os prebióticos ajudam desenvolver os anticorpos

O bebê quando nasce deve ser cercado de cuidados, principalmente nos primeiros seis meses de vida, quando seu sistema imunológico ainda é imaturo e está desenvolvendo seus anticorpos. Sendo assim, não há melhor alimento que o leite materno, porque além de fornecer todos os nutrientes necessários, contém anticorpos e prebióticos (um tipo de carboidrato) que contribuem para o fortalecimento do sistema imunológico do bebê.
 
 
Os prebióticos produzidos pela mãe são transmitidos ao filho pela amamentação e estimulam a proliferação das bactérias benéficas como as bifidobactérias e os lactobacilos no intestino. Essas bactérias protegem a saúde do bebê e exercem um papel importante no fortalecimento do sistema imunológico.
 
 
“O ganho em qualidade de vida para o bebê é extremamente reconfortante, porque os prebióticos, além de reforçar a imunidade, melhoram a consistência das fezes e a freqüência das evacuações, conseqüentemente, o bem-estar do nenê é muito maior”, comenta Camila Reale, nutricionista da Support.
 
 
Evidências mostram uma associação entre amamentação e a redução na incidência de doenças em recém-nascidos com os benefícios das substâncias imuno-modeladoras contidas no leite da mãe. O aleitamento também reforça a imunidade do bebê e diminui as taxas de infecções e alergias, principalmente se há histórico familiar.
 
 
 
Prebióticos e Probióticos
 
 
Os conceitos entre prebióticos e probióticos são algumas vezes confundidos. Na verdade, os prebióticos são alimentos não digeríveis, que seletivamente estimulam o crescimento e a atividade de bactérias benéficas no intestino, melhorando a saúde.
 
 
Já os probióticos são microorganismos vivos, adicionados aos alimentos, que afetam de forma benéfica o organismo, contribuindo para o equilíbrio da flora intestinal.

 

Crédito:Fatima Nazareth

Autor:Daiane Leide

Fonte:Burson-Marsteller Brasil