Rio de Janeiro, 13 de Novembro de 2019

Gestantes no verão

No verão, as grávidas sentem mais calor devido ao aumento de metabolismo inerente à gravidez. Isto deve ser compensado com uma melhor hidratação, que consiste principalmente no aumento da ingestão de líquidos. Além disso, a gestante deve usar roupas mais leves e soltas, condizentes com a estação.
 
A gestante durante o verão deve levar uma vida normal, tomando, evidentemente, determinados cuidados.
 
· Dieta -
A gestante necessita de uma dieta equilibrada, que contenha carboidratos, vitaminas, proteínas, gorduras e outros elementos indispensáveis para o bom desenvolvimento fetal e para a saúde materna. No verão, a gestante deve evitar alimentos pesados e de difícil digestão. Saladas, verduras, legumes acompanhadas de carne, peixe, frango são opções indicadas de pratos. A ingestão de líquidos, principalmente sucos de frutas naturais, deve ser maior nesta época do ano. Importante sempre lembrar que "grávida não deve fazer regime", a não ser quando haja indicação de seu médico assistente.
 
 
· Hidratação diária do corpo -
Para evitar o ressecamento da pele, a grávida deve hidratá-la diariamente. Para a face, usar creme hidratante especifico para seu tipo de pele com filtro solar. Já para as mamas e o corpo, devem ser usados produtos com fórmulas especiais. Qualquer que seja o tipo de hidratante prescrito, deve ser usado em finas camadas, duas vezes ao dia.
 
·Diversões -
A gestante deve divertir-se, principalmente no verão. Passeios ao ar livre, shows, jantares, teatro, cinema, piscinas, praias devem fazer parte da rotina, entretanto, andar de moto, cavalgar, esquiar, patinar são atividades proibidas na gravidez.
 
·Exercícios -
Mulheres que levavam uma vida sedentária não devem iniciar os exercícios durante a gestação. As que já faziam ginástica antes da gravidez e que apresentam bom condicionamento podem continuar na gestação, sempre com orientação de especialistas. No verão, a atividade física deve ser reduzida em 40%.
 
·Exposição solar -
A exposição solar não é contra-indicada na gestação, desde que os banhos de sol não sejam prolongados. A grávida, após exposição solar de aproximadamente 15 minutos, deve refugiar-se por tempo semelhante na sombra, isto é, deve-se sempre intercalar período de exposição solar com períodos ao abrigo do sol. Quando for para a praia ou piscina, deve ter os seguintes cuidados:
 
1. Usar viseira para proteção do rosto;
 
2. Aplicar bloqueador solar em gel para o rosto;
 
3. Aplicar gel bronzeador com filtro solar 30 para o corpo, principalmente abdômen;
 
4. Após a exposição solar, a paciente deve banhar-se com sabonete hidratante. Após o banho, é necessário aplicar creme ou loção hidratante para o corpo.
 
 
Estes cuidados são necessários devido ao aumento do hormônio melanocitico na gravidez, que pode acarretar manchas na pele, principalmente quando ocorre exposição solar sem proteção.
 
A grávida pode entrar normalmente na piscina ou mar devendo evitar os mergulhos, principalmente da borda da piscina, para evitar o choque do abdômen com a água. Após a realização de exercícios ou banhos de sol e piscina, a grávida deve fazer um pouco de repouso quando chegar em casa.
 
· Edema -
 
No verão, o edema de tornozelo e pernas é mais comum, para isto a gestante deve tomar os seguintes cuidados:
 
* Não deixar as pernas pendentes, sempre que possível;
 
* Fazer exercícios de movimentação dos tornozelos com extensão e flexão dos pés;
 
* Elevar os pés da cama em 10 cm;
 
 
 
Nos casos em que o edema não se restringe somente as pernas, isto é, quando a gestante apresentar edema de rosto, mãos ou dedos, seu médico deve ser comunicado.
 
· Cuidados ginecológicos -
 
A gestante deve usar apenas sabonetes neutros para sua higiene íntima,  evitar talcos e desodorantes vaginais. Utilizar calcinhas de algodão, não  apertadas e, se  possível,  despi-las para dormir. Cuidado especial deve ser tomado com a higiene perineal, principalmente após a micção e as  evacuações, realizando, sempre que possível, higiene com água e sabão neutro. Quando a secreção vaginal estiver aumentada, o obstetra deve ser comunicado, pois no verão aumenta a incidência de corrimento, o qual deve ser sempre tratado e nunca a grávida deve se automedicar.
 
 
O Dr. Paulo Rubens Cunha Giraldes pertence ao Corpo Clinico do Hospital Israelita Albert Einstein. Formado pela Faculdade de Ciências Médicas de Santos em 1975. Possui título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia - TEGO e título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela AMB. Foi professor Assistente da Disciplina de Obstetrícia da Faculdade de Ciências Médicas de Santos, do Departamento de Tocoginecologia (1980 a 1996). 1º Secretário da SOGESP - Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Estado de São Paulo - no período de 1991 a 1993.
 
 
 

Crédito:Anna Beth

Autor:Úrsula Costa

Fonte:Intermeio Comunicação Integrada