Rio de Janeiro, 16 de Agosto de 2022

Patriarcado

O patriarcado se trata de uma característica cuja aplicação se mostra presente há muito tempo dentro da sociedade. Fazendo então com que os seus impactos negativos sejam sentidos por gerações, impedindo até mesmo um certo desenvolvimento social.

Principalmente do público feminino, que por séculos acaba sendo um gênero que encontra diversas dificuldades para se manter socialmente, envolvendo assim campos variados, abordando os direitos da mulher em uma situação de múltiplas frentes.

Como o espaço que essa parcela ocupa no meio profissional, sendo historicamente menosprezada em relação ao público masculino. Com o passar do tempo, tal disparidade vem sendo combatida, no entanto, tais resultados estão longe de ser os ideais.

No que pode ser dito inclusive sobre os cargos a serem ocupados por essa audiência, sendo fácil encontrar uma mulher na posição de cozinheira residencial, mas não a participar de um cargo de gestão em uma grande empresa corporativa, por exemplo.

Não como se essa profissão fosse algo menosprezado, pelo contrário, mas até mesmo o profissionalismo avançado, na forma de uma chef de cozinha, sendo algo mais comum de se ver associado a um profissional masculino, a conseguir chefiar seu próprio restaurante.

Enquanto isso, o público feminino precisa lutar diariamente para conseguir um espaço igualitário dentro da sociedade. Isso em um combate de anos, que tornou possível que hoje as mulheres pudessem votar, trabalhar ou circular em qualquer espaço público.

Assim como atuar em cargos que antes eram vistos como algo predominantemente masculino, como quem atua com o serviço de transporte de veículos, sendo possível atualmente encontrar até mesmo serviços de motorista de aplicativo predominantemente feminino.

E se tal conflito precisa ser lidado até os dias de hoje, é por causa dos efeitos atemporais que o patriarcado apresenta na sociedade, trazendo danos para um público amplo, envolvendo até mesmo o público masculino, mesmo que em uma parcela menor.

Para entender essa relação, assim como atuar para tentar reverter esse problema, é preciso compreender a fundo quais são os efeitos do patriarcado na nossa sociedade, além da forma como esse conceito ocorre.

A configuração de um sistema patriarcal

Um sistema patriarcal é marcado pelo poder de soberania dado às figuras paternas, ou seja, dando maiores poderes ao público masculino, como uma parcela social a qual se destina qualquer tipo de liderança de destaque, assim como as decisões a serem tomadas.

Destacando-se inclusive essa questão do poder de liderança, em uma sociedade no qual o papel do público feminino acaba sendo taxado somente como uma audiência submissa, sem a liberdade para tomar qualquer tipo de atitudes, tendo suas vozes silenciadas.

Tudo por meio de um código social estabelecido por meio de regras que buscam manter esse poder político reservado somente ao público masculino, excluindo as mulheres de qualquer tipo de ação a ser tomada dentro da sociedade, mesmo aquelas que as atinjam.

O patriarcado acaba então por afetar diversos campos da sociedade, incluindo o meio comercial, no qual o papel do público feminino acaba sendo menosprezado, tanto no papel de cliente como de alguém profissional do mercado como um todo.

A ponto de ao se fazer negócios com qualquer tipo de companhia, como uma empresa de portaria para condomínio, ser comum ver somente homens ocupando certos tipos de cargos, como a posição de porteiro em um prédio, seja ele comercial ou residencial.

Isso graças às características presentes em uma sociedade patriarcal, sendo um sistema marcado por uma estrutura social onde no qual o poder de dominância masculino acaba por se expandir para diversos ramos da sociedade, excluindo as mulheres na mesma medida.

No entanto, até mesmo o público masculino sofre das consequências desse tipo de sistema, já que o patriarcado acaba por estabelecer um conjunto de responsabilidades que os homens dentro dessa teoria teriam que arcar de forma sozinha, diante seu papel social.

O que envolve atitudes simples, como pagar sozinho a conta de um restaurante, mas também ações de maior impacto, como ser a figura responsável por cuidar financeiramente de toda sua família, além de servir como alguém a proteger e liderar o seu grupo social.

Sem poder contar com qualquer tipo de colaboração com suas parceiras femininas, o que acaba por atingir toda a estruturação financeira de tal família, na mesma medida em que retira do grupo feminino a possibilidade de ter uma carreira profissional própria.

Fora o perfil de dominância que se encontra no patriarcado, que durante anos continua a privilegiar um padrão social específico, envolvendo homens brancos, de alta posição social, heterossexuais e cisgêneros, ou seja, que se adequam ao gênero atribuído no nascimento.

Perpetuando desta forma um sistema de tamanha exclusão, operando com um total afastamento do público feminino em relação a qualquer tipo de decisão a ser tomada socialmente, o que envolve definições políticas, econômicas e sociais.

Contudo, apesar de poder ser taxado como um sistema social machista, isso não significa que o patriarcado seja um sinônimo deste tipo de comportamento negativo.

Qual a diferença do patriarcado ao machismo?

O machismo está associado a um comportamento socialmente prejudicial, no que se destaca uma aversão ao público feminino, buscando então rejeitar qualquer tipo de igualdade social, tratando as mulheres como uma parcela inferior aos homens.

Um comportamento que surge como uma ameaça direta à parcela feminina da sociedade, impactando a posição da mulher socialmente em diversos espaços, desde o campo político até aos cargos ocupados em uma empresa terceirizada de limpeza de escritório.

Inclusive, são justamente essas características machistas da sociedade umas das principais causas do número de crimes cometidos contra as mulheres anualmente. Tal como o índice de casos de feminicídio, envolvendo assassinatos causados por se tratar de uma mulher.

Tal como aponta o levantamento de dados feito pelo Fórum Brasileiro de Segurança, que aponta um índice de 1319 mortes no Brasil no ano de 2021 envolvendo crimes com esse tipo de motivação.

Esse teor negativo do machismo acaba se proliferando dentro de um sistema patriarcal, no qual os impactos na vida da mulher vão além de uma agressão direta, envolvendo também uma diminuição total do papel feminino na sociedade, como uma exclusão estrutural.

Isso ao ponto de impactar a vida das mulheres em diversos campos, entre eles:

  • Carreira profissional;

  • Relacionamentos;

  • Estrutura familiar;

  • Direitos sociais.

Envolvendo assim um número amplo de permissões sociais que acabam sendo destinadas unicamente ao público masculino, impactando assim qualquer tipo de atividade que possa ocorrer na sociedade.

Como na necessidade de um serviço de segurança para festa ter uma atenção maior a presença das mulheres em um espaço de confraternização, por causa do índice maior de ataques e agressões que ocorrem diante desse público, em contraste com os homens.

A relação entre o patriarcado e o machismo existe por um período longo de tempo, no entanto, isso não significa que tais efeitos não possam ser revertidos, sendo preciso apenas adotar novos comportamentos, que surjam como resposta aos impactos do patriarcado.

Como dar fim a esse sistema?

Por contar com longas raízes na sociedade, dar fim ao sistema patriarcal não é tão fácil como cuidar de uma praga em uma plantação, conforme foi visualizado por uma empresa de aerolevantamento, ao observar os impactos causados em um espaço de terra.

Para dar fim ao patriarcado, é preciso adotar algumas atitudes específicas, entre elas:

Estudar melhor o tema

Da mesma forma que é preciso ter um diagnóstico correto para encontrar o tratamento ideal para lidar com uma doença, para reduzir os efeitos negativos do patriarcado e posteriormente até mesmo dar fim a ele, é preciso conhecer as suas características.

Buscando entender quais são os comportamentos associados a esse tipo de sistema abusivo, o que envolve os mais diversos tipos de campos dentro da sociedade.

Análise social

Após ter conhecimento sobre as características do patriarcado, é preciso comparar tudo aquilo que está escrito nos livros com o que pode ser visto na sociedade em que vive. Algo mais intuitivo para o público feminino, que diariamente sofre desses impactos.

Diagnóstico pessoal

Para terminar o comportamento patriarcal da sociedade, primeiro é importante observar as suas próprias características, de forma a evitar qualquer tipo de atitude que possa ser de base machista, na qual o próprio indivíduo possa estar perpetuando.

Estimular a diversidade

Após otimizar o seu comportamento individual é preciso expandir tal adequação também para o campo social como um todo, incluindo principalmente uma abertura maior para o conceito de diversidade, estimulando a presença da mulher nos mais diversos campos.

Uma empresa de manutenção em telhados industriais, por exemplo, pode desenvolver um programa de contratação ao público feminino, de forma a garantir uma presença maior da parcela feminina dentro do seu campo profissional.

A partir desse tipo de atitudes é possível dar início a um processo de resposta contra os efeitos da sociedade patriarcal, de forma a garantir que futuramente todas as mulheres tenham chances igualitárias em qualquer campo, seja profissional ou pessoal.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Jennifer Khauffman

Fonte:Guia de Investimento