Rio de Janeiro, 06 de Dezembro de 2021

Os benefícios da alimentação saudável para a saúde mental

Além de prejudicar a saúde como um todo, má alimentação traz consequências no trabalho, prejudicando inclusive a produtividade

Comer bem, praticar atividades físicas e balancear o tempo que se passa trabalhando com o lazer: são medidas simples que podem elevar significativamente a qualidade de vida.

Mas você sabia que uma alimentação inadequada pode ser extremamente prejudicial à saúde mental? E que pode, ainda por cima, reduzir em até 20% a produtividade e eficiência de um colaborador?

Este é um dado da Organização Internacional do Trabalho, que vem levando as empresas a buscarem ajuda em programas especializados para proporcionar uma melhor nutrição aos funcionários.

"Combater estes males se tornou uma preocupação e também um desafio dentro das organizações", afirma Fernanda Mondin, head de nutrição da OrienteMe, healthtech especializada em saúde corporativa. Ela cita uma pesquisa realizada por profissionais da Saúde da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e da Faculdade de Ciências Médicas de Botucatu, indicando que o número de dias de trabalho perdidos em função da obesidade e doenças associadas (como diabetes) pode variar de 3,9 a 10,6 por ano.

A nutricionista alerta que alimentação saudável não é sinônimo de tratamento para a saúde mental. "A dieta pode ser usada como adjuvante de uma terapia específica, nunca como tratamento exclusivo de um transtorno mental diagnosticado", reforça ela.

A especialista preparou uma lista com quatro benefícios da alimentação saudável para a saúde mental.

Confira:

1 - Controle e redução de ansiedade
Alguns alimentos ajudam a regular a flora intestinal e aumentam a produção de serotonina, também conhecida como hormônio da felicidade, promovendo o relaxamento e ajudando a combater a ansiedade. Entre eles estão aqueles ricos em magnésio, ômega-3, fibras, probióticos e triptofano, como banana, castanha do Pará, amendoim e chocolate amargo (acima de 70% de cacau em sua composição).
Além disso, é importante também diminuir o consumo de alimentos ricos em açúcares e farinha de trigo branca, já que estão associados com alterações na glicemia e na produção de serotonina.

2 - Aumento de energia e disposição
O que comemos também têm relação direta com a energia que colocamos nas atividades que fazemos. Os carboidratos são importantes, mas devemos evitar aqueles produzidos com farinha branca porque se transformam rapidamente em açúcares - o que não é a opção mais saudável . Para ter mais energia e por mais tempo, é interessante investir em carboidratos integrais, como aveia, cereais em geral e batata doce.

3 - Melhora da memória
O acúmulo de várias atividades, somadas aos momentos de pressão, estresse, avanço da idade ou rotina com alimentação desregulada interferem no organismo e portanto, podem intensificar os danos ao nosso cérebro e nossa memória. "Existem maneiras de fazer com que os neurônios do cérebro conservem as informações sensoriais recebidas e ajudem a nossa memória a ter um melhor funcionamento, e uma delas é a alimentação saudável", diz a especialista.
Entre os alimentos recomendados, estão salmão, leite, ovos, nozes, tomate, brócolis, suco de uva e azeite de oliva.

4 - Combate às doenças crônicas
Refeições balanceadas podem auxiliar na prevenção de doenças crônicas, como hipertensão, diabetes, obesidade e cardiovasculares. Inclusive, 30% das causas de morte no Brasil estão diretamente relacionadas a doenças do coração, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia. Para evitá-las, recomenda-se evitar ao máximo alimentos ultraprocessados, como salsicha, linguiça, presunto, salame e afins. Refrigerantes e bebidas alcoólicas também estão na lista dos vilões da saúde, assim como frituras e doces em excesso. Para caprichar nos cuidados, adote uma alimentação rica em frutas, legumes, cacau, folhas verde-escuras e, claro, água. "Hidratar-se também é essencial", afirma ela.

Todos sabem que existe a relação entre alimentação saudável e a saúde mental; e elas caminham juntas, muito mais do que as pessoas imaginam. Em tempos difíceis, como estamos enfrentando atualmente, fica ainda mais complicado ter as duas frentes controladas, mas com pequenos hábitos alimentares saudáveis e mudanças na rotina é possível atingir o equilíbrio.

"Recentemente, lançamos ao mercado nosso mais novo braço de negócio, a nutrição, pois queremos ajudar as empresas e seus colaboradores a atingirem o equilíbrio e melhorarem, cada vez mais, a própria saúde", finaliza Fernanda.


Sobre a OrienteMe

A OrienteMe é uma plataforma inovadora de Saúde Emocional e Nutrição que mapeia o grau de risco da população da empresa, realiza o atendimento aos colaboradores de forma personalizada com psicólogos licenciados e disponibiliza o painel corporativo em tempo real para as empresas acompanharem a evolução da saúde mental de seus colaboradores.

É a única plataforma no Brasil que oferece atendimento psicológico ilimitado (disponível no app e site).

Vencedores do prêmio Creator Awards da WeWork e atende a maior seguradora do Brasil e a maior empresa de telemedicina americana.

Para saber mais, acesse: https://orienteme.com.br/

   

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Michel A. Gildin Acherboim I

Fonte:MGApress