Rio de Janeiro, 31 de Outubro de 2020

Dicas para a superação de problemas

Como encontrar a força necessária para se recuperar de adversidades?

Especialista em psicologia positiva ensina dicas para desenvolver a resiliência

Todas as pessoas enfrentam situações difíceis em diversos momentos da existência. E agora não poderia ser diferente. De uma hora para outra, o surgimento do novo coronavírus (covid-19) mudou drasticamente a vida da maior parte da população mundial em 2020.

O desemprego em massa, por exemplo, cresce vertiginosamente em meio à pandemia. Para se ter uma ideia, 3,5 milhões de brasileiros entraram com pedidos de seguro-desemprego entre os meses de março e julho.

Esses números nada animadores deixam claro: hoje, mais do que nunca, é fundamental aprender maneiras saudáveis de superar os obstáculos. “Desenvolver uma coleção de habilidades positivas é o que nos ajuda a lidar melhor com os desafios, nos recuperar mais rapidamente deles ou, pelo menos, começar a seguir em uma direção certa”, explica Flora Victoria, mestre em psicologia positiva aplicada pela Universidade da Pensilvânia.

A união de várias dessas competências é o que podemos chamar de resiliência. Mas quem é considerado resiliente, afinal? Todo indivíduo que, quando sofre algum abalo, rapidamente volta ao seu bem-estar original.

Segundo a especialista, de uma maneira bastante simples, a resiliência é a nossa capacidade de retornar ao estado anterior depois da exposição a alguma situação de estresse. “E é claro que isso ocorre em diversas situações do dia a dia. No trabalho, nos estudos e nos relacionamentos com amigos, familiares e parceiros, as pessoas que cultivam a resiliência se recuperam mais rápido de circunstâncias adversas, como a que estamos passando atualmente”, conta Flora.

A estrada para cultivar a resiliência

De acordo com a American Psychological Association (APA), existem 10 passos que você pode seguir e encontrar a resiliência psicológica necessária para se recuperar. “São comportamentos simples de serem colocados em prática. Porém, unidos, eles podem surtir um grande efeito para a mudança”, pontua Flora, que também é Embaixadora da Felicidade no Brasil pela World Happiness Summit.

Ela lista cada um deles:

1) Aprenda a se divertir e a relaxar: quando o corpo está são, a mente também fica sã. Fazer atividades que você gosta e cuidar de si ajuda a manter a mente e o corpo prontos para situações que exigem resiliência.

2) Prepare-se para o melhor cenário: vale mais a pena se alimentar de esperança do que de medo. Tente visualizar o que você quer em vez de se preocupar com o que teme.

3) Compreenda que tudo é uma questão de perspectiva: tempestades não cabem em um copo d’água, não é mesmo? Tente ver a situação estressante em um contexto mais amplo e mantenha uma perspectiva de longo prazo.

4) Veja a si mesmo de forma positiva: só você tem o poder de resolver todos os seus problemas. Desenvolver confiança em suas capacidades e seguir os seus instintos ajuda a criar resiliência.

5) Procure meios de autodesenvolvimento: pessoas mais fortes são aquelas que realmente treinam para vencer. Mesmo em contratempos, procure aprender algo a cada dia para continuar crescendo de alguma forma.

6) Tome decisões em vez de fugir: deixar para depois só aumenta o estresse. Então, realizar medidas é melhor do que ignorar problemas ou simplesmente desejar que eles desapareçam.

7) Lute por seus objetivos: meta realista é a que pode ser cultivada a partir de agora. Crie objetivos realizáveis e faça algo todos os dias para que você chegue mais perto deles, mesmo que a conquista pareça pequena.

8) Aceite que a mudança faz parte da vida: dê menos murros em ponta de faca. Deixe de lado as circunstâncias que você não pode mudar e concentre-se naquilo que você sabe que consegue alterar.

9) Evite o pensamento catastrófico: lembre-se que as crises são passageiras. Procure olhar além do presente e pense que, no futuro, as coisas vão melhorar.

10) Conecte-se com outras pessoas: o apoio e a gratidão compensam. Por isso, é importante construir bons relacionamentos com familiares, amigos e outras pessoas importantes em sua vida.

 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Ana Carolina Soares

Fonte:Engaje! Comunicação Inteligente