Rio de Janeiro, 26 de Novembro de 2020

O quanto estamos conhecendo de nós mesmos ao viver uma pandemia?

Saúde mental, pandemia e a natureza humana revelada: a importância do autoconhecimento em tempos de estresse.

O quanto estamos conhecendo de nós mesmos ao viver uma pandemia?

Há quem engordou, há quem emagreceu, surtou, perdeu o emprego, se despediu de pessoas queridas, inventou uma nova atuação ou até mesmo reinventou-se na vida.

Presenciamos uma diversidade infindável de situações. Mas sem dúvida, todos vivemos uma oportunidade de nos conhecermos um pouco mais.

Quem sou eu? 

Quem somos ao vivermos uma dificuldade?

"O mundo parou", essa foi uma frase comum no início da pandemia. O que acontece quando uma pessoa para? Costumamos dizer que quando um indivíduo que está agitado pausa, por um breve instante que seja, ele tem uma janela de oportunidade para reconhecer o que está acontecendo com ele mesmo.

Ao desacelerar pode-se interromper os automatismos, hábitos, comportamentos impulsivos e tomar consciência do que está acontecendo no corpo, com os pensamentos e emoções. E ao se relacionar de forma mais lúcida com o que se está vivendo, o indivíduo passa a perceber as outras pessoas e a experiência de estar vivo com um novo olhar.

O problema é que a maioria de nós, nunca foi ensinada a parar e perceber a nós mesmos. Antes mesmo da pandemia, já vivíamos uma epidemia na qual os custos na economia global com distúrbios de ansiedade e depressão chegavam a 1 trilhão de dólares ao ano, segundo a OMS.

A pandemia portanto, exacerbou o impacto na saúde mental e podemos esperar um impacto ainda em curto, médio e longo prazo. Como podemos nos desenvolver como pessoas para viver em situações de incerteza, estresse, pressão e lidar com as mais variadas adversidades?

Existem muitas maneiras que de tão rotineiras, nos passam despercebidas.

A própria OMS elenca algumas possibilidades, que apesar de simples, precisam ser treinadas e cultivadas, como a estabilização e regulação da nossa atenção, o engajamento em nossos valores de vida, deixar ir o que já passou ou se desprender da ansiedade por tentar controlar o futuro, abrir espaço para o descanso e para as emoções e ser gentil consigo mesmo e com os demais.

Essas idéias e conceitos estão presentes na história da humanidade em diferentes culturas.

Hoje, o treinamento da habilidade de se perceber e conhecer a si mesmo tem sido sistematizado a partir de programas que têm sido estudados cientificamente em hospitais, empresas e escolas desde o final da década de 70. É o que se popularizou com o nome de Mindfulness, a partir, principalmente do biólogo molecular Jon Kabat-Zinn da Faculdade de Medicina da Universidade de Massachusetts.

Dentre os benefícios de mindfulness e compaixão para a saúde mental, estão a melhora da regulação atencional e emocional, favorecendo que as pessoas não fiquem presas em pensamentos ou emoções, podendo senti-las, somente pelo tempo necessário, sem a necessidade de suprimi-las, ou de se afundar nelas.

Além disso, as pesquisas ilustram mudanças funcionais e estruturais no cérebro, indicando  que o treino sistemático pode contribuir para o desenvolvimento destas habilidades.

Outro fator bastante estudado como um resultado positivo destas intervenções é a melhora dos vínculos, habilidades empáticas e relacionamentos interpessoais, contribuindo para relações mais harmoniosas e assertivas.

Um ponto positivo destas intervenções é que elas são uma estratégia não medicamentosa para o manejo de diversas condições de saúde mental, tendo inclusive efeito idêntico à farmacoterapia para algumas condições clínicas, como por exemplo a prevenção de recaídas de depressão, em pessoas que já passaram por dois ou mais episódios depressivos, com efeitos duradouros por dois anos. Um exemplo destes estudos pode ser visto na íntegra aqui.

No Brasil, os programas de mindfulness começaram por volta de 2010, com um grupo muito restrito de pesquisadores principalmente no estado de São Paulo, ainda em contextos acadêmicos e começaram a ser oferecidos em contextos clínicos e para o público em geral em meados de 2014, quando também houve a primeira formação profissional em mindfulness oferecida no Brasil.

Os fundadores do Centro de Promoção de Mindfulness - CPM são parte destes acadêmicos pioneiros que disseminaram os estudos de mindfulness no Brasil, e ajudaram na criação da primeira formação profissional em mindfulness no país, tendo sido também o primeiro Centro de Mindfulness a oferecer estes programas para a população em geral. 

Desde então, mais de 5.500 alunos participaram dos nossos cursos e treinamentos e mais de 600 profissionais de mindfulness foram capacitados no Brasil, pelos nossos professores.

No contexto da pandemia, o CPM ofereceu lives com meditações e ensinamentos diários e gratuitos de março a outubro, com a intenção de contribuir para o manejo da ansiedade, do estresse e para o desenvolvimento humano da população.

Durante o mês de maio, realizamos o CPM para todos,  um evento beneficente com o intuito de conectar as pessoas de maneira que elas pudessem cuidar de si e ajudarem a pessoas em situação de vulnerabilidade, por meio de suas doações.

Para a realização desse evento, oferecemos uma programação  com mais de 65 cursos ao longo de todo o mês de maio, com mais de 40 especialistas das áreas de saúde mental, saúde física,  meditação, bem-estar, arte e desenvolvimento humano que também doaram seu tempo para que todo o valor arrecadado fosse doado integralmente para  refugiados, moradores de rua e indígenas.

Continuamos espalhando uma mensagem de paz e efetivamente, além de beneficiar quem participa dos nossos cursos, beneficiar outros por meio dessa participação!

Estamos encerrando um ano que foi muito desafiador.

Teremos mais uma semana de encontros online de Mindfulness gratuitos, durante a semana do dia 23 a 27 de novembro, às 19h pelo Zoom ou pelo instagram. Por isso, demos o nome a essa semana de Peace Week, onde os nossos alunos ganharão desconto e parte das nossas vendas será doado à instituição Missão Paz, responsável pelo acolhimento de refugiados. Vamos juntos nos preparar para um novo ciclo de paz, compaixão e solidariedade em 2021?
 
Para conhecer o CPM acesse: www.cpmindfulness.com.br.
Ou ligue para: (11) 94836-2294

 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Redação

Fonte:Universo da Mulher