Rio de Janeiro, 24 de Setembro de 2020

Combatendo a celulite

Combatendo a celulite
As causas  da celulite não são ainda bem conhecidas. Uma coisa é certa, não se trata simplesmente de um problema de excesso de gordura, embora seja quase sempre tratada como tal - daí os fracos resultados que se obtêm com as dietas e tratamentos para emagrecer.

Por outro lado, muitas mulheres magras têm celulite e algumas só dão por ela depois de uma dieta de emagrecimento.A celulite é um fenômeno tipicamente feminino, relacionado com o funcionamento do sistema hormonal e com certos momentos da vida da mulher - puberdade, gravidez, menopausa e síndrome pré-menstrual. Pensa-se que há uma predisposição genética para sofrer de celulite e sabe-se que fatores como a má circulação, hábitos alimentares errados e uma má higiene de vida agravam a situação.

A idade também não ajuda, porque o envelhecimento natural do organismo abranda a vitalidade das trocas celulares e afeta a firmeza dos tecidos da pele, que sustenta o tecido adiposo.

 
 
 
O que é, então, a celulite?

O aspecto noduloso da pele que a caracteriza, vulgarmente conhecido por casca de laranja, deve-se a uma distribuição anormal da gordura no tecido subcutâneo. Esta, ao concentrar-se mais numas zonas do que noutras, dá uma aparência irregular à superfície. Tanto a gordura normal como a celulite, se formam no tecido adiposo, situado abaixo da camada mais profunda da pele, com uma diferença: a gordura instala-se nos adipócitos (células gordas), ao passo que a celulite é um processo que afeta toda a área envolvente - adipócitos, vasos sanguíneos, nervos e fibras. Não há tipos de celulite diferentes. Ela pode é manifestar-se de formas diversas e desencadear múltiplas complicações, conforme as características físicas e genéticas de cada pessoa e a forma como se lida com o problema.

 
 
Como se forma a celulite

Este esquema resume o mecanismo de formação da celulite e as suas manifestações. Mesmo que haja à partida um fator predominante, acaba por gerar-se um ciclo vicioso em que todos estão presentes em maior ou menor grau.

 
 
Prevenir é o melhor remédio

Não podemos alterar o nosso código genético, mas podemos evitar a celulite adotando um estilo de vida saudável e fugindo de maus hábitos que favorecem o seu aparecimento. Uma alimentação correta, atividade física suficiente e bons cuidados com a pele são essenciais para manter a situação controlada. Introduza, aos poucos, estes hábitos no seu dia-a-dia:

1. faça uma alimentação equilibrada e variada. Se comer um pouco de tudo, há menos hipóteses de exagerar nos alimentos considerados ruins

2. faça do pequeno-almoço a refeição forte do dia, almoçe bem, mas sem exageros e, à noite, coma pouco e só coisas leves. Assim o organismo elimina os excedentes e não faz reservas inúteis.

3. não salte refeições, para manter o sistema digestivo e os intestinos a funcionar com regularidade.

4. evite o sal, que provoca retenção de líquidos. Substitua-o gradualmente por temperos com ervas aromáticas, azeite e limão.

5. descanse, durma bem e evite o stress na medida do possível.

6. evite o tabaco, o álcool e o café, que intoxicam o organismo e perturbam as trocas celulares.

7. se trabalhar sentada levante-se de vez em quando, estique-se e ande um bocado para estimular a circulação nas pernas. Evite sentar de pernas cruzadas.

8. não use roupas muito justas nem sapatos muito apertados

9. faça exercício físico. Todas as modalidades são boas, sendo que as atividades aeróbicas queimam calorias e a ginástica localizada ajuda a remodelar e a tonificar a  silhueta. Habitue-se a andar e a passear a pé

10. Use diariamente, a partir dos 30 anos, um bom creme de corpo para prevenir a flacidez. Veja nossas sugestões da seção Use e Abuse

 
 
Tratamentos específicos

Quando a celulite é já antiga e resistente, pode-se reforçar o plano de ataque com tratamentos mais fortes em institutos ou clínicas de estética. Todos eles têm como objetivo mobilizar os líquidos retidos e as gorduras localizadas, para que o organismo consiga eliminá-los naturalmente através da circulação sanguínea e linfática.

Drenagem linfática (eficaz em casos de retenção de líquidos), pressoterapia, envolvimentos de algas, hidromassagem, envolvimentos em ligaduras térmicas que alternam o calor e o frio (para dar firmeza), mesoterapia (injeção local de extractos de plantas) e endermologia (uma massagem feita com um aparelho especial, com bons resultados em celulite muito resistente) - são alguns bons exemplos. Para escolher o mais adequado, é essencial o diagnóstico e a orientação de um profissional. Nenhum deles oferece resultados definitivos sem uma boa manutenção. Não há milagres anti-celulite e nem mesmo recorrendo à estética ou à lipoaspiração se pode abrandar a vigilância, sob pena de voltar à estaca zero.

 
 
É preciso fazer dieta?

Só quando a celulite está associada a excesso de gordura. Uma dieta de emagrecimento, que consiste basicamente em diminuir a quantidade de calorias da alimentação, resolve um verdadeiro problema de peso, mas não a celulite. Perder muito peso de repente pode até deixar a pele flácida e piorar a situação. Convém fazê-lo gradualmente, para dar tempo à pele de se adaptar à perda de volume, acompanhando o processo com exercício e bons cremes firmantes para garantir a resistência dos tecidos. Se o seu problema são uns quilinhos a mais que se acumularam por desleixo, basta fazer algumas correções na alimentação para se livrar deles. O segredo é variar: uma alimentação monótona tem sempre os mesmos excessos e falhas e desperta desejos súbitos de disparatar.

 
 
O papel dos cosméticos

Estes produtos devem ser vistos essencialmente com uma ajuda no “acabamento”, ou seja, do aspecto, da textura e da qualidade da pele.

Fazem falta em qualquer programa de tratamento da celulite, porque o aspecto antiestético desta, deve-se em grande parte ao relaxamento do tecido cutâneo. A grande vantagem dos cosméticos é a reunião, numa só fórmula, de várias ações específicas: reforço das fibras de colágeno e elastina do sistema de suporte da pele, para combater a flacidez cutânea, ativação da microcirculação e da drenagem dos líquidos e gorduras. Conseguem assim melhorar substancialmente o aspecto irregular da epiderme e chegam, em alguns casos, a reduzir alguns centímetros no contorno da silhueta - só que isto não se deve a nenhum efeito emagrecedor, mas sim à melhoria da capacidade de sustentação da pele.

Incluir um creme desses nos cuidados diários do corpo a partir dos 30 anos é uma boa medida contra a celulite, desde que se tenha consciência dos seus efeitos reais, que são apenas cosméticos. E certamente não compensam a falta de ginástica e de uma dieta saudável.
 

Crédito:Anna Beth

Autor:Anna Beth

Fonte:Universo da Mulher