Rio de Janeiro, 13 de Novembro de 2019

Amar é ... perdoar

O amor é basicamente do coração,
mas todos nós temos tentado desviar-se
do coração, porque ele é lógico,
não é racional.
 
O coração não tem lógica,
mas tem sensibilidade, perceptividade.
E se a questão de escolha
entre a mente e o coração se levanta,
dê razão ao coração, porque a mente
é uma criação nossa e está sujeita a erros.
 
Se você ama uma pessoa, então você
não interfere na privacidade dela.
Você deixa intocada a privacidade dela.
 
A exigência básica do amor é:
"Eu aceito a outra pessoa como ela é".
 
O amor nunca tenta mudar a pessoa
em função da gente. Você não tenta moldar
a pessoa e deixá-la do seu jeito - o que tem
sido feito em todos os lugares do mundo...
 
Se você ama a pessoa, não existem condições.
Se você não ama, quem é você para impor condições?
O ciúme é algo feio que está por trás
desta coisa linda que é o amor.
Se apesar do ciúme o amor ainda permanece,
então você tem algo valioso em sua vida,
que vale a pena.
 
Por que ser possessivo?
A possessividade mostra simplesmente uma
coisa - que você não consegue confiar.
A confiança é certamente um valor
mais alto e importante no amor.
O amor é lindo quando acompanhado de confiança,
porque o amor não pode existir sem a confiança.
 
Estarem juntos é aprendizado enorme - em perdoar,
em esquecer,em compreender que o outro
é tão humano quanto você.
( OSHO )

 

Crédito:Fatima Nazareth

Autor:Fatima Nazareth

Fonte:Osho