Rio de Janeiro, 15 de Novembro de 2019

O passado deve ficar no passado? Por Kátia Horpaczky

O passado deve ficar no passado? Por Kátia Horpaczky
"E se procurarem saber porque é que todas as imaginações humanas, frescas ou murchas, tristes ou alegres, se voltam para o passado, curiosas de nele penetrarem, acharão sem dúvida que o passado é o nosso único passeio e o único lugar onde possamos escapar dos nossos aborrecimentos quotidianos, das nossas misérias, de nós mesmos"

Anatole France, in 'A Vida em Flor'
 
 
 
Por que temos a tendência de querer remexer no passado, reviver situações, pessoas, lugares?
 
O que buscamos com isso?
 
Será que estamos insatisfeitos com o nosso hoje, temos pendências a resolver e, por isso, ficamos tentados a remexer no baú de nossas emoções?
 
Acreditamos realmente que podemos reescrever nossa história no passado para melhorarmos o nosso hoje?
 
Será essa uma tentativa válida? Como isso afeta as pessoas que fazem parte da nossa vida hoje?
 
Pensei nisso quando soube, recentemente, de um relacionamento que acabou porque uma das partes reencontrou um amor do passado. Na verdade, uma história de amor que não aconteceu no passado, o famoso "era para ter sido e não foi".
 
Como será reatar antigos relacionamentos, trazer pessoas que um dia fizeram parte da nossa vida e inseri-las em nossa vida atual?
 
Tentar reviver o passado é, muitas vezes, uma profunda insatisfação com nossa vida atual. Por isso, passamos a colocar no passado toda a nossa felicidade. O amigo, o amor, o comportamento e por aí vai.
 
Quando olhamos para o passado e só vemos coisas boas, queremos toda essa sensação no presente que pode não estar bom. Queremos agora aquela sensação boa que tivemos quando ouvíamos aquela música, quando tínhamos aquele relacionamento. Mas, será que o passado foi tão bom assim? Será que ele foi perfeito? Sabemos que não existe perfeição.
 
Quando buscamos trazer para o presente o que está no passado ou quando passamos a achar que bom "era naquela época", é preciso ficar atento ao presente. O que está nos deixando insatisfeitos agora que faz com que queiramos trazer o passado de volta para nossas vidas?
 
Muitos conhecem histórias de amores da juventude que se reencontram muito tempo depois e os envolvidos decidem revivê-la para fazer com que ela dê certo agora. Boa parte das vezes dá errado. São inúmeras as histórias de casais que tentam retomar no presente histórias que aconteceram no passado. E, para isso, em nome de sensações e sentimentos que ficaram lá atrás provocam no presente separação, desconfiança e dor.
É natural lembrar do passado. Afinal, todas as nossas experiências é que ajudaram a formar quem somos no presente e isso não pode ser desprezado.
 
É preciso estar atento apenas sobre que tipo de relação temos com nosso passado.
Querer retomar experiências anteriores como se fosse a solução dos problemas atuais pode ser um erro.
Pense nisso.
 
 
 
(*) Katia Horpaczky é Psicóloga Clinica e Organizacional, Psicoterapeuta Sexual, Familia e Casal, Especialista em Workshops Vivenciais e   Jogos Organizacionais, Arte-Terapeuta, Practitioner em N.L.P. pelo Southern Institute of N.L.P. e pela Society of Neuro Linguistic Programming. Treinada com a metodologia de OUT DOOR TRAINING pela Dinsmore
.
Tel: (11) 5573-6979
 
 

Crédito:Kátia Horpaczky

Autor:Kátia Horpaczky

Fonte:Universo da Mulher