Rio de Janeiro, 04 de Abril de 2020

Brechó de design

Brechó de design
Você sempre teve vontade de ter um móvel assinado por um dos grandes nomes do design internacional mas nunca teve dinheirinho extra para investir nesse objeto do desejo? Pois agora muita coisa está mudando: o design clássico está sendo reproduzido no Rio. Peças que têm mais de 50 anos caíram em domínio público. E caíram também de preço.

Ainda assim, algumas peças originais são praticamente inatingíveis. A poltrona La Chaise, de Charles Eames, em fibra de vidro com pés de madeira, custa cerca de 10 mil dólares e é quase uma escultura. Mas quem quiser muito ter uma em casa vai desembolsar R$ 10 mil se comprar a peça...reciclada!

Mais novo hit entre os profissionais do mercado de decoração, os ateliês que reciclam e restauram móveis de design são a nova moda na praça. O arquiteto Caco Borges adora.

— Mesmo restaurados, os móveis ficam com aquela insuperável pátina do tempo Não têm cara de novinho. E vale a pena porque o acabamento é ótimo, já que as peças são antigas, feitas dentro dos padrões estabelecidos por quem os fabricou originalmente.

No Arquivo Contemporâneo (Rua Eduardo Pederneiras, 390, Recreio. Tel.: 2497-3363), de Ivo Wanderley e João Caetano, os ambientes claros e bem decorados são um convite ao consumo. Além de peças recicladas, que eles adquirem no Arquivo Vivo, de São Paulo, existem peças novas também, da Dotto, Tepperman e Probjeto, mas que representam apenas 30% de todo o acervo.

— Além de termos peças prontas, também restauramos os móveis de design de clientes, que pagam 75% do preço de tabela — explicam.

Os arquitetos Mauricio Nóbrega e Guilherme Scheliga ficam felizes quando podem realizar o sonho do cliente comprando peças de design por preços mais baratos. Scheliga conta que restaurou as Barcelonas da década de 70 de um de seus clientes no Arquivo Vivo e ele ficou radiante com o resultado.

— Esses móveis assinados sempre custaram uma fortuna e acho ótimo existir uma nova opção para adquiri-los. Aproveitei para comprar oito cadeiras Bertoia para minha sala de jantar, que saíram pela metade do preço — conta.

Já no Espaço Belmonte (Rua do Lavradio, 34, Centro. Tel.: 3970-0836), do arquiteto Luciano Cavalcanti, os móveis de design se misturam a outras peças mais antigas. No mezanino está sendo montado o ateliê Mobília de Arthur Cavalieri e Sergio Menezes, que há três anos se dedicam a garimpar móveis que tenham um design bonito.

— Temos peças com e sem pedigree. Ao mesmo tempo que trabalhamos com o design de Tenreiro e Saarinen, temos também anônimos de alta qualidade. Mantemos uma equipe que desmonta, lustra, pinta e reforma as peças mas não aceitamos encomendas de clientes. E a vantagem é que o preço é cerca de 40% menor do que nas lojas convencionais — afirma Menezes.

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Anna Elizabeth

Fonte:Universo da Mulher