Rio de Janeiro, 02 de Abril de 2020

Aos 82 anos, Lúcia vai fazer as provas do Enem

Curso de Medicina

Aos 82 anos, Lúcia Lydia Brandão Chebat resolveu que idade não tem que ser sinônimo de inatividade.
 
 
No início do ano, ela decidiu realizar um sonho antigo: cursar a faculdade de Medicina.
 
Para isso, Lúcia — que não gosta de ser chamada de “dona” — inscreveu-se no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). E, ao ter a inscrição confirmada, quase chorou de emoção: tinha em mãos o passaporte para o tão desejado vestibular.
 
— Dei o primeiro passo. Agora vem as provas. Tenho as datas na cabeça: 5 e 6 de dezembro — contou Lúcia.
 
A vontade de dedicar-se à Medicina — ela sonha em ser sanitarista — surgiu há pouco tempo.
 
No passado, Lúcia trabalhou como cronista.
 
Aposentou-se em 1978 e então fez um curso de massoterapia, atividade que exerceu até pouco tempo atrás.
 
— Agora, quero saber o que posso fazer para contribuir com a cidade em termos de saúde pública — disse ela.
 
Para isso, Lúcia não desanima, mesmo quando ouve algum comentário sobre os seus 82 anos:
 
— Na minha idade as coisas não são fáceis se você não tiver uma vontade férrea.
 
E, mesmo com todo o conhecimento acumulado ao longo da vida, ela ainda quer aprender muito mais.
 
— Tenho muita curiosidade. Quero saber o máximo que puder no tempo que ainda tenho aqui. O corpo começa a dar sinais de cansaço, mas a cabeça continua funcionando a todo o vapor — afirmou Lúcia.
 
 
Ajuda fundamental

Na preparação para o Enem, Lúcia tem contado com uma ajuda considerada fundamental: a universitária Bárbara Maria Pinto da Fonseca, de 32 anos.
 
Ela tem ajudado Lúcia nas aulas virtuais de Física e Matemática, matérias nas quais a vestibulanda tem mais dificuldades.
 
— Vou acompanhá-la de perto até o Enem e torcer muito para a Lúcia passar e realizar o seu sonho. Essa vitalidade da Lúcia é um exemplo para mim — contou Bárbara.
 
As duas conheceram-se há uma semana. Bárbara ouviu uma conversa de Lúcia sobre o Enem. As duas, então, começaram um bate-papo que não terminou até hoje. Quem vê as duas juntas percebe que a diferença de idade de 50 anos entre as duas não influi no relacionamento.
 
— Nem parece que nos conhecemos há tão pouco tempo. Eu sinto como se ela já fosse parte da minha vida — disse Bárbara.
 
Lúcia devolve os elogios:
 
— Essa menina é um anjo. A paciência que ela tem comigo é enorme. Está me ajudando demais.
 
 
 
 
 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Redação

Fonte:Universo da Mulher