Rio de Janeiro, 02 de Abril de 2020

Inverno: alimente-se bem sem entrar em conflito com a balança

 
  
A estação mais fria do ano está chegando.
 
Para variar, vem recheada de tentações gastronômicas.
 
O grande número de opções no cardápio é um convite à comilança, problema agravado pelo fato de o apetite aumentar naturalmente com as baixas temperaturas.
 
É que no frio o organismo precisa de mais energia para produzir os níveis ideais de calor. O resultado é que, não raramente, o inverno se vai e deixa uns quilinhos adicionais de lembrança.
 
 
Segundo a nutricionista do GANEP Nutrição Humana e mestre em nutrição pela Faculdade de Medicina da USP, Luciana Zuolo Coppini, há um grande equivoco quanto à alimentação durante este período.
 
“Sob nenhuma circunstância, comer em demasia é bom, em especial quando se trata de produtos gordurosos. É verdade que necessitamos nos alimentar um pouco mais no inverno. No entanto, é essencial ter critérios para escolher o alimento adequado e a sua respectiva porção”.
 
 
Adaptando a alimentação no inverno
 
A alimentação adequada é uma grande aliada da boa saúde, visto que uma dieta irregular pode ser fator determinante ao surgimento de doenças graves como hipertensão e obesidade, além de contribuir com eventos cardiovasculares.
 
Portanto, é necessário entender que, em qualquer época do ano, é fundamental manter um cardápio equilibrado - sempre com a presença de carboidratos, proteínas, fibras, vitaminas e minerais.
 
Para aproveitar todos esses nutrientes e manter a forma e a boa saúde, Luciana Coppini aconselha:
 
Não coma alimentos gordurosos em grandes quantidades. Feijoada, fondue, calabreza, bacon e chocolates são deliciosos, mas devem ser consumidos moderadamente. Alimente-se várias vezes durante o dia, mas sem exageros. Não concentre as refeições no café, almoço e jantar”.
 
Dar mais sabor e sofisticação às refeições de inverno também não é complicado.
 
Sopas de legumes sem creme de leite, canjas feitas com frango sem pele, chás e leite quente podem ser preparados de modos criativos, transformando-se em verdadeiras iguarias da culinária. 
  
Aos fãs do famoso fondue, é relevante informar que o quitute é rico em calorias e deve ser consumido, no máximo, uma vez por semana.
 
“O ideal é que seja um sabor por vez, isto é, o de carne em uma semana, o de queijo na outra e assim por diante”, ressalta Luciana.
 
E para aqueles que abandonam a atividade física sempre que esfria, ela adverte:
 
“Além de ótimos à eliminação do excesso de calorias, os exercícios revigoram, contribuem ao alongamento e bem-star do corpo e dificultam o aparecimento daquelas dores musculares típicas do frio”.
 
 
Dicas para o inverno
 
 
Sopas: legumes batidos, ao invés de creme de leite; adicionar farelo de trigo, pois além de dar mais sabor, contribui à sensação de saciedade, regula a função intestinal e controla os níveis de colesterol
 
 
Chocolate quente: utilize leite desnatado e achocolatado diet. O melhor é dar preferência aos chás
 
 
Queijos: prefira os brancos e lights
 
 
Fondue: prepare com leite desnatado e queijos magros e substitua o pão por legumes
 
Carnes de porco: substitua por carnes mais magras (peixes, frango sem pele) preparados na pressão ou grelhadas
 
Frutas: morangos, tangerina, laranja e maracujá são típicos do inverno. Devem consumidos constantemente já que são boas fontes de vitamina C
 
Chás: ótimas opções para esquentar o corpo, além de deliciosos e diversificados
 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Luiz Affonso

Fonte:Universo da Mulher