Rio de Janeiro, 19 de Agosto de 2017

Prontas para casar

Noivas conectadas usam e abusam da Internet para organizar a maratona de casamento, trocar ideias e reduzir preços de serviços

Elas não veem a hora de se vestir de branco e dizer sim diante da família e dos amigos, como fizeram suas mães, tias e avós.
 
A diferença é que as noivas passaram a planejar tudo, do noivado à lua de mel, com ajuda da Internet.
 
Algumas gostaram tanto que viraram cerimonialistas profissionais.
 

Amália Lino é participante da lista de discussão Noivas Rio e da comunidade homônima noFacebook.
 
Ela começou a moderar conversas com opiniões e desabafos antes de casar. “As noivas têm um espaço só delas, para contar experiências, dar indicações e contra-indicações”, explica.
 
Após subir ao altar em 2015, ela segue na lista. “Algumas noivas se envolvem tanto que não conseguem largar a magia do casamento”, diz a nova organizadora.
 
A cotação de preços e serviços com fornecedores já é comum para os noivos.
 
Além de consultar sites de empresas, casas de festas, bufês, e marcar visitas por e-mail, os casais usam MSN, Google Talk e Skype para tirar dúvidas e tomar decisões.
 
Nas listas de discussão e comunidades em redes sociais, o noivo e, principalmente, as noivas conhecem casais e fazem negociações conjuntas para economizar.
 
Emanuelle Missura criou em 2004 a comunidade Casar é Fácil, hoje com 14 mil membros.
 
“Pela quantidade de tópicos, a comunidade virou uma enciclopédia de casamento”, diz. As dicas viraram livro e a ex-noiva virou empresária. “Nem todo mundo entende a noiva. Acham que ficamos repetitivas. Na comunidade, o assunto não se esgota”, defende.
 
Outra novidade na indústria de casamentos é a criação de sites pessoais e blogs que acompanham o planejamento da festa.
 
Usando plataformas como o Wordpress ou portais como o Viva Noivos, o casal registra cada passo do planejamento, dá opinião sobre serviços que experimenta e conta um pouco de sua história.
 
Fotos, ilustrações e mapas aparecem nas páginas para antecipar aos convidados o clima da festa.
 
“Nunca tive blog, mas estou construindo o site com meu noivo porque a Internet tem sido fundamental na organização”, explica Manoela Gomes, que tem site Viva Noivos.
 
A página ainda pode conter dados sobre a cerimônia, o pedido de casamento e os padrinhos.
 
Enquetes são usadas como termômetro para medir a empolgação dos interessados no tipo de música, nos pratos do bufê.
 
Também entram os links para listas de presentes, confirmação de presença e detalhes da lua-de-mel.
 
Portais como o www.organizeseucasamento.com.br hospedam as informações sobre o enlace com direito a contagem regressiva também.
 
O site é o único brasileiro que permite administrar a lista de convidados online e sem custo.
 
 
CONVITE PELO YOUTUBE
 
A Internet pode ajudar muito antes da cerimônia: no encontro dos casais.
 
“São muitos os pares que se conheceram pela Web. Para a maioria das noivas, é tudo novidade. A Internet permite trocar experiências entre noivas. “Além de se ajudar e compartilhar ansiedades, elas encontram centenas de opções de prestadores de serviço”, resume Leonardo Chanea, da equipe do portal Viva Noivos.
 
Ferramentas de colaboração são as estrelas dessa nova forma de casar.
 
Na hora de escolher o modelo do convite do enlace, o engenheiro paraense Pedro Ivo Dantas e a bailarina mineira Marina Magalhães escolheram o YouTube.
 
Acostumados a se comunicar pela Internet, eles produziram e publicaram um videoclipe.
 
O link foi enviado a amigos e parentes convidados. “Foi uma conjunção de fatores: era barato, prático e original. Achei que tinha tudo a ver com a gente e com nossa ideia para o casamento”, explica Pedro.
 
A ideia se encaixa no conceito de bom, bonito e barato, apostam as participantes da lista de discussão Noivas Rio.
 
O grupo de e-mails é usado para cotar e comprar em conjunto.
 
Com grandes pedidos, a negociação com fornecedores fica vantajosa e as próprias noivas se organizam para distribuir e entregar as compras.
 
 
 
 

Crédito:Carla Maria Saldanha

Autor:Tamara Menezes

Fonte:www.odia.com.br