Rio de Janeiro, 12 de Dezembro de 2019

Diabetes leva à perda dos dentes e predispõe ao surgimento de cáries e infecções

Visitas regulares ao dentista e o controle da glicemia ajudam a evitar danos maiores. Saiba mais e previna-se

Está comprovado que o diabetes leva ao surgimento da periodontite, doença inflamatória e infecciosa que provoca a perda dos dentes. Isso porque, nestes pacientes, a circulação sanguínea da boca é prejudicada. "A periodontite figura no ranking das principais complicações causadas pelo diabetes, juntamente com a doença renal, acidentes vasculares, problemas cardíacos e visuais", afirma Bruna Ghiraldini, Doutora em Implantodontia e coordenadora de P&D da S.I.N Implant System.

Além da maior propensão ao surgimento da periodontite que, no caso dos diabéticos evolui rapidamente caso não seja tratada, o paciente portador da doença tem diminuição no fluxo salivar, ficando mais sujeito ao aparecimento das cáries. E, ainda, como o diabetes afeta o sistema imunológico, o indivíduo fica suscetível a contrair infecções causadas pela presença de fungos e bactérias na boca.

"É fundamental o diabético cuidar da saúde bucal, pois a relação entre as doenças gengivais e o diabetes é uma via de mão dupla", afirma a dra. Bruna. "Isso quer dizer que, quando há desordens na boca, esses problemas contribuem para elevar a glicemia. E quando a glicemia sobe, o risco de aparecer doenças na cavidade oral aumenta muito", explica ela.

Para prevenir os problemas associados ao diabetes, é necessário que o paciente vá ao dentista a cada seis meses. "Em alguns casos, porém, recomendamos um intervalo menor, a cada três ou quatro meses", alerta Ghiraldini.

Durante as consultas, o profissional costuma avalia se há cáries, sangramentos gengivais e sinais de infecção, além de solicitar um raio-x anualmente, para controle da parte óssea. Isso porque o diabetes interfere nos mecanismos de formação do tecido ósseo e do colágeno, o que deixa os ossos mais frágeis. "Em resumo, o cuidado com os pacientes diabéticos é redobrado, principalmente com aqueles que já têm outros problemas associados à doença", diz a Dra. Bruna.

Diabéticos e implantes dentários 

O diabetes alterado aumenta o risco de se desenvolver doenças gengivais graves, o que ocasiona a perda dos dentes. “Como regra geral, sangramentos persistentes na gengiva podem ser sinal de periodontite", alerta a especialista.

Mas existe como remediar. Quando a periodontite está em estágio avançado e ocorre a perda dos dentes, o paciente diabético pode recorrer aos implantes dentários, desde que a taxa de glicemia esteja sob controle. "Nesse caso, os implantes são o tratamento mais indicado, pois substituem as raízes naturais dos dentes e o paciente volta a ter sua atividade mastigatória normalizada, além dos benefícios para a autoestima, explica a Dra. Bruna. "É importante lembrar, porém, que nestes indivíduos, devido a fatores circulatórios e imunológicos, a cicatrização tende a ser mais lenta, por isso é importante um pré e um pós-operatório cuidadoso", conclui.

Em alguns casos, o profissional avalia se existe a necessidade de prescrição de antibióticos previamente, para minimizar os riscos de infecção na fase do pós-cirúrgico - já que nestes indivíduos a cicatrização é mais lenta.

Diabetes e saúde bucal

Problemas causados:

  • Periodontite ou doença periodontal;
  • Infecções fúngicas e proliferação de bactérias na cavidade bucal;
  • Acúmulo de placa bacteriana nos dentes (tártaro);
  • Maior incidência de cáries;

Como evitar:

  • Fazer uma boa higiene bucal, com escovação e uso de fio dental após as refeições;
  • Manter a glicemia sob controle;
  • Visitar o dentista  regularmente, no mínimo a cada seis meses;
  • Realizar acompanhamento com endocrinologista, para controle da doença;
  •  

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Bia Marques

Fonte:Key Press