Rio de Janeiro, 13 de Novembro de 2019

5 dicas para construir uma piscina na sua casa

A construção de uma piscina é o sonho de muitas pessoas que possuem uma casa própria ou planejam a compra de uma.

No entanto, trata-se de um desejo cujo custo é alto, e que demanda muito planejamento e informações para a concretização.

De uma maneira geral, as piscinas são complementos importantes para as casas, capazes de valorizar significativamente os imóveis, e por isso devem ser encaradas como projetos a longo prazo.

Em outras palavras, qualidade é melhor do que velocidade nas obras, e o investimento em materiais de boa procedência e equipes técnicas especializadas se mostram fundamentais.

Além disso, outras dicas podem ser úteis, especialmente para aqueles que pretendem construir uma piscina mas não sabem muito bem por onde começar.

As recomendações são importantes para obras mais eficientes, pois ajudam a evitar custos adicionais e outros imprevistos. São elas:

1. Invista em planejamento, pesquisas de preços e materiais

A construção da tão sonhada piscina começa com o planejamento da obra, que inclui a pesquisa detalhada sobre os procedimentos e materiais envolvidos, com seus respectivos custos. O ideal é começar buscando o máximo possível de inspirações e informações.

Nessa etapa, é importante se perguntar as motivações por trás da construção desse espaço de lazer na casa, levando em conta:

  • Quem utilizará a piscina com mais frequência;

  • Se haverá crianças entre os usuários, e a faixa etária;

  • Se os moradores gostam de algum esporte aquático;

  • Se haverá idosos ou deficientes físicos entre os usuários.

Ao responder essas questões, levando em conta o espaço disponível, é possível escolher o estilo de piscina que melhor se adapta ao imóvel e aos usuários.

Outras questões práticas devem ser previstas, como a localização da piscina, o posicionamento e a própria abertura do terreno, com a profundidade e dimensões escolhidas. 

Para evitar problemas no assentamento, que precisa ser firme e completamente horizontal, é importante que a composição do terreno seja estudada. 

O posicionamento adequado é bastante relevante para a instalação da maquinaria, que mantém a piscina em funcionamento.

Também é importante escolher um local que não tenha raízes de árvores que possam dificultar a escavação do terreno.

A proximidade com plantas é outra questão que pode dificultar a manutenção da piscina, com a queda de folhas e sujeiras na água.

Por sua vez, a instalação de sistema de aquecimento de piscina valoriza ainda mais a área de lazer, sendo essencial para o uso do espaço com conforto em qualquer horário ou estação do ano.

De uma maneira geral, recomenda-se o planejamento da área de lazer como um todo.

É comum que estes espaços sejam compostos não só pelas piscinas, mas também por uma área de convivência e um local para refeições, com churrasqueira, fogões à lenha e até fornos, quando há espaço para tanto.

Outra ideia é o investimento em um jardim ou horta. Eles podem até ser montados em uma estrutura para jardim vertical, acrescentando modernidade e o total aproveitamento de espaço.

Um investimento que nem sempre é incluído no início, mas que pode fazer toda a diferença na composição do espaço de lazer é a iluminação.

Presente tanto no interior quanto no exterior das piscinas, a iluminação é importante para a orientação dos usuários, ajudando a evitar acidentes como trombadas com as paredes, quedas ou escorregões

Hoje em dia encontram-se no mercado diferentes modelos e estilos de refletor para piscina.

O importante é incluir todos os detalhes no planejamento, evitando gastos fora do orçamento e mantendo a qualidade das escolhas.

2. Entenda sobre as opções de dimensões e tipos de piscina

É evidente que as medidas das piscinas são definidas de acordo com o espaço disponível, as características específicas do terreno e a opção de acabamento escolhida.

No entanto, principalmente nos casos em que há espaço de sobra, é fundamental avaliar o tamanho desejado para a piscina, porque esse fator influencia diretamente no orçamento.

Sendo assim, uma dica é o estudo dos tamanhos considerados padrão, que podem atender bem às necessidades.

Geralmente recomendam-se piscinas com cinco metros quadrados para 4 ou 5 pessoas, mas isso pode variar de acordo com o formato (se ela terá formas retas ou curvas) e a profundidade desejada.

O ideal é que um profissional avalie a situação para oferecer orçamentos com boas opções.

Atualmente outra decisão comum, especialmente quando se tem bastante espaço, é entre as piscinas convencionais ou naturais.

As piscinas convencionais costumam ser mais econômicas na construção, têm boa durabilidade e fácil manutenção.

Já as piscinas naturais são uma escolha que demanda maior investimento, mas tem vantagens para o meio ambiente e o bem-estar.

3. Entenda sobre acabamento e impermeabilização das piscinas

No Brasil, os três tipos mais comuns de piscina são em fibra de vidro, alvenaria com pastilhas ou azulejos e alvenaria com vinil.

A piscina de fibra de vidro é a mais comum, geralmente vendida pronta, no formato de preferência. Ela costuma ser a opção com custo mais acessível, e também é a mais rápida de ser construída, pois só demanda instalação.

As piscinas de alvenaria podem receber acabamento em pastilhas, revestimento cerâmico para piscina ou vinil. Ao contrário das piscinas em fibra de vidro, elas são construídas do zero, e podem demorar mais até ficarem completamente prontas.

Entretanto, as piscinas de alvenaria dispõe de infinitas opções de personalização de tamanho, cor e formato. Vale lembrar que a aplicação de revestimentos costuma levar mais tempo do que a instalação de vinil.

Contudo, todos os modelos demandam a impermeabilização de piscinas, etapa anterior à aplicação dos revestimentos. Ela garante que a pressão da água, de dentro para fora da área da piscina, não irá danificar a estrutura.

Os impermeabilizantes regularizam a superfície e contam com fibras flexíveis e resistentes às possíveis movimentações no terreno, evitando a ocorrência de rachaduras e infiltrações.

Tanto nos revestimentos da área interna das piscinas, no caso do modelo de alvenaria, quanto nos pisos na área externa, recomenda-se o uso de argamassa colante especial e rejunte apropriado. Essa medida também evita infiltrações e os problemas decorrentes dela.

O polimento de pisos na área externa ajuda a garantir que os revestimentos em concreto ou pedras continuem bom estado, com o nivelamento e brilho adequado.

O procedimento não tem funções estéticas apenas, pois também ajuda a tornar a superfície do entorno das piscinas mais densa e resistente à abrasão e impactos.

Principalmente nos casos em que crianças, idosos ou estão entre os moradores da residência, todo cuidado é pouco.

A instalação de chapa antiderrapante ajuda a garantir mais segurança contra escorregamentos, e telas de proteção evitam afogamentos.

4. Considere a manutenção adequada das piscinas

Ao construir uma piscina é fundamental considerar a necessidade de manutenção das construções e a própria água da piscina, que dependem de tempo e dinheiro.

Principalmente no início, pode ser interessante contratar um especialista para avaliar a maneira adequada de cuidar da piscina e ensinar as melhores práticas aos moradores.

É preciso entender como é feita a revisão dos níveis de pH e cloro da água, a troca de areia do filtro, entre outras ações importantes.

Com o tempo, alguns trabalhos de manutenção podem ser realizados por conta própria, como a limpeza manual ou a colocação de ionizador de piscina, para a eliminação de sujidades.

Para facilitar a conservação da piscina algumas dicas também podem ser úteis, como a instalação de cobertura, que impede a entrada de sujeira.

Um aspirador automático pode tornar as limpezas mais simples, assim como a manutenção da piscina cheia e limpa também no inverno.

5. Faça um planejamento financeiro

Tendo em mente o investimento necessário para construir a piscina ideal, a dica final é priorizar um orçamento doméstico completo.

É importante detalhar salários, despesas fixas (como aluguel e contas) e variáveis (como compras e outras necessidades). Possíveis dívidas a pagar também entram no orçamento.

Então, é possível ter mais clareza sobre a disponibilidade de recursos para investir na obra ou metas de economia para conseguir dar seguimento nas atividades, o que vale não só para piscinas, mas para construções e reformas em geral.

A organização financeira vai ajudar na construção de uma área de lazer exatamente conforme o planejado. Além disso, é primordial para evitar endividamentos, empréstimos ou gastos no cartão de crédito.

Ao final, a antecipação e o planejamento são fatores chave para a projeção e execução de uma bela piscina, de qualidade e que atenda às necessidades e gostos dos usuários.

Desta forma, os projetos são adaptados às realidades dos seus idealizadores e desenvolvidos sem gastos exorbitantes ou imprevistos estruturais.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Redação

Fonte:Universo da Mulher