Rio de Janeiro, 13 de Julho de 2020

Dicas de Moda e Estilo para o dia a dia

Manu Carvalho ensina, passo a passo, como comprar e escolher peças ideais para cada tipo de corpo
 
 
Saber o momento ideal para fazer compras, fugir do consumismo, aproveitar as dicas do vendedor, não ter pressa para experimentar as roupas e sempre ter peças coringas para todas as ocasiões fazem muita diferença no cotidiano das pessoas.
 
O ato de guardar as peças no guarda-roupa também é muito importante, para que as roupas sempre estejam impecáveis para serem usadas a qualquer momento.
 
Uma roupa posta em um cabide, com espaço entre as outras que estão no guarda-roupa, ficará sempre retinha e sem dobras.
 
A stylist ainda ensina que tipo de roupa vestir em cada ocasião e como esconder as imperfeições do corpo com peças coringas.
 
Entenda os segredos e as dicas preciosas de Manu Carvalho para você aplicar no seu dia a dia.
ESTILO
 
Nos dicionários, estilo vem explicado de diversas formas como modo pessoal e singular de executar algo; conjunto de tendências, gostos, modos de comportamento característicos de um indivíduo ou grupo; modo de se expressar; conjunto de traços que identificam uma determinada manifestação.
 
Ter estilo, mais do que estar na moda, é traduzir o que realmente se é, por meio de roupas que se tornam a “segunda embalagem”, do cabelo, da maquiagem, da casa e das escolhas feitas.
 
O estilo, quando é legítimo, transmite a opinião da pessoa e sua atitude. É importante observar que o estilo das pessoas muda constantemente, não só porque a moda se transforma, mas porque o estilo de vida das pessoas muda.
 
Estilo tem a ver com a personalidade, o modo de ser e a vida da pessoa.
 
Tudo isso é traduzido em um resultado estético interessante, nem sempre bonito, porém sempre curioso.
 
De acordo com o escritor americano Gore Vidal, “style is knowing who you are, what you want to say and not giving a damwn" (estilo é saber quem você é, o que tem a dizer e não ligar a mínima).
 
Estilo é algo que se conquista com exercício, observação e ousadia. Sabe aquelas pessoas sobre as quais todo o mundo diz: “nasceram com estilo, nasceram sabendo”?
 
Será que elas nasceram gostando, sentindo-se livres para brincar, testar, aprender e evoluir?
COMPRAS
 
O melhor momento
 
Algumas ocasiões são mais propícias para as compras, por exemplo, em começo de coleção, em liquidação e quando efetivamente precisamos de novas peças.
 
Comprar no início de uma coleção é um desafio, já que a estação ainda não começou e só sendo um visionário fashion mesmo para enxergar as possibilidades do próximo verão em dias frios.
 
Ou descobrir o que tem de mais bacana para o próximo inverno em dias quentes de verão.
 
De qualquer forma, essa é a melhor hora para fazer compras, todas as peças na loja, todas as numerações disponíveis, todas as cores, tudo a seus pés.
 
Já na liquidação é possível encontrar descontos encantadores de 30, 50 e 70%, que podem valer muito a pena. Porém a falta de numeração e a quantidade mínima de peças podem dificultar as compras.
 
Além dessas duas ocasiões, há ainda aquelas situações como um compromisso especial, um casamento, uma entrevista de trabalho, uma festa ou um encontro.
 
Quando isso acontece, o ideal é comprar com o máximo de antecedência, uma vez que comprar roupa com pressa traz alguns malefícios, como garantia de nervosismo, escolhas equivocadas e preços altos, por isso, muito cuidado!
Check list
 
Na hora da compra, é fundamental levar em consideração alguns pontos, como do que você gosta, do que não gosta, o que funciona para você e do que realmente está precisando.
 
Quem tem estilo e essa consciência consome melhor.
 
O bom de entender de si, do seu corpo e do seu estilo é que dá para comprar menos e melhor.
 
Quem tem essa equação resolvida acaba consumindo com mais qualidade e menos quantidade.
 
Dessa maneira, a cada estação, é só complementar com novidades e acessórios. Isso se adquire com a experiência, a maturidade e com o tempo. Ninguém nasce sabendo, é um exercício e uma conquista que sempre dá para aprimorar.
 
A vendedora
 
Ao entrar na loja, é preciso dar uma olhada geral nas araras e descobrir todas as possibilidades de combinação dos looks.
 
As pessoas devem levar ao provador as peças que estão planejando comprar para experimentar com calma.
 
“Não gosto de ter a vendedora ao meu lado, emitindo opiniões. Prefiro-a no estoque, procurando peças com numerações e com as cores de que preciso”, diz a personal stylist Manu Carvalho.
 
“Se a vendedora tiver dicas de moda ou ajudar na escolha das peças, é ótimo trocar ideias. O bom vendedor é aquele que nos ajuda a encontrar o que procuramos com a melhor relação custo-benefício”, complementa a stylist.
 
No provador
 
É preciso parar e experimentar as roupas com calma, sem pressa e sem tentar ajeitar a roupa com o corpo.
 
As pessoas devem olhar o look de frente, de lado e de costas, lembrando sempre que são vistas de todos os ângulos.
 
Na hora de analisar se a peça ficou boa, o consumidor deve avaliar se a roupa ficou bonita no corpo, como é seu caimento, se é ou não confortável, e prestar atenção ao comprimento das barras e das mangas, além de checar as proporções e se as cores da peça escolhida combinam entre si.
Cesta básica
 
Algumas peças sempre foram consideradas coringas, que toda mulher deveria ter no guarda-roupa: terno preto, vestido tubo preto, saia reta preta, scarpin preto e camisa branca.
 
Atualmente, entretanto, não existe mais apenas um modelo de mulher e a moda é usada como ferramenta de expressão.
 
Seria preciso seguir diversas listas para se ter um guarda-roupa com roupas ideais para cada ocasião.
 
Cada estilo exige diferentes peças básicas que possam ser usadas nas mais variadas ocasiões.
 
Fora o fato de cada mulher ter diversos estilos dentro de si, um que combina com cada momento diferente.
Os clássicos
 
Qualquer estilo pode se beneficiar dos clássicos, roupas atemporais que nunca saem de moda.
 
As linhas desses looks são eternizadas na história, na música e no cinema.
 
A função dessas peças é deixar a composição bonita de maneira simples, tornando-as especial.
 
As peças coringas
 
Algumas peças que ajudam qualquer guarda-roupa e combinam com os mais variados estilos:
- ternos: preto, branco e cáqui;
- tailleurs: preto, branco e cáqui;
- camisa branca;
- twin sets e cardigans coloridos;
- casaco 7/8 e trenchcoat;
- jaqueta perfecto;
- camisetas branca e preta;
- regatas branca e preta;
- calça jeans;
- calça skinny;
- calça pantalona;
- sandália rasteira;
- sapato de salto fino;
- escarpin;
- bota de cano alto;
- tênis simples;
- sandália tipo chinelo;
- bolsa maxi;
- carteira;
- bolsa a tiracolo.
 
GUARDA-ROUPA
 
A melhor maneira de arrumar o guarda-roupa é deixar os itens em locais de fácil acesso, para que se encontre rapidamente o que procura.
 
O móvel pode ser organizado por cor, tipo de peças, estação ou por frequência de uso. Uma dica para encontrar as roupas mais facilmente é que as peças fiquem sempre organizadas e bem expostas. Dessa maneira, inclusive, nenhuma peça é esquecida.
 
É preciso prestar bastante atenção ao guardar as roupas, já que a boa conservação da roupa depende da forma como ela é organizada no armário. As roupas devem ser guardadas tentando-se manter seu estado original, para não deformá-las. Isso se deve à qualidade ou à natureza do material.
 
Alguns exemplos:
- os tecidos planos podem ser pendurados em cabides;
- as malhas não devem ficar penduradas, pois a fibra pode esticar e muitas vezes não volta para o lugar, o que deforma a roupa;
- os casacos devem ser pendurados em cabides com os ombros estruturados para mantê-los no lugar;
- as meias não devem ser enroladas uma na outra, pois perdem a elasticidade;
- o mesmo serve para biquínis e lingeries;
- os cintos, principalmente os de couro e materiais sintéticos, devem ficar pendurados retos, não devem ser enrolados;
- os sutiãs de bojo devem ficar abertos um em cima do outro, para não amassarem ou dobrarem e perderem a estrutura do bojo;
- as botas de cano alto devem ter algum enchimento para manter os canos em pé, para não amassá-los;
- no caso das bolsas é preciso analisar se elas ficam naturalmente em pé ou deitadas. Seguir o estado natural da bolsa é a melhor maneira de guardá-la e conservá-la.
 
Casacos e malhas pouco usados podem ser guardados em capas e sacos. O ideal é o de TNT, material que permite ventilação às peças.
Cabides
 
Os melhores cabides são os que acompanham a natureza da roupa e cada uma pede um cabide específico. Alguns exemplos:
- cabide básico de ganchos, fino e com espumas para não estragar saias e tops e também para pendurar calças;
- cabide de alfaiataria, com ombro mais largo, para acompanhar e manter a estrutura da roupa;
- cabide acolchoado, para tops em materiais mais delicados;
- cabides para saias com ganchos revestidos de espumas para não estragar a peça.
Gavetas
 
Nas gavetas deve ser colocado tudo o que é menor, como lingerie, moda praia e meias, além das roupas de malha, para não estragá-las.
 
O ideal é não empilhar muitas camisetas e malhas, para não amassar nem derrubar a pilha.
 
DICAS DE EXPERT
O QUE VESTIR
 
Para entrevista de trabalho
Nesse caso vale o ditado "menos é mais". O foco é o trabalho, então a roupa deve ser discreta. Para acertar na escolha, é preciso ponderar a profissão e a empresa em que será feita a entrevista, já que cada área permite diferentes tipos de vestimenta.
 
Para uma festa corporativa
O foco sempre deve ser o trabalho e suas qualidades profissionais. Por outro lado, uma festa é uma ocasião que possibilita usar cores mais alegres, materiais diferenciados e acessórios mais chamativos. Só não vale decote, roupa justa ou muita pele a mostra.
 
Para receber convidados em casa
O ideal é que a roupa seja especial para prestigiar o evento e seus convidados e, ao mesmo tempo confortável, para que todos possam se sentir realmente em casa. Esse é o momento de usar um salto mais confortável e uma joia discreta.
 
Para um primeiro encontro
É melhor não arriscar muito na roupa em um primeiro encontro, para não aumentar o nervosismo. Pense na sua roupa e cor preferidas, que a façam sentir bem. Esse é o momento de usar peças com bom caimento, que a deixem segura e confiante. Caso compre uma roupa nova para a ocasião, faça isso com certa antecedência e pense em valorizar seus pontos fortes, além de minimizar os de que não gosta. Lembre-se também de não exagerar no look nem nos acessórios.
 
REGRAS DE TRAJE
 
1.       Esporte
Roupas simples e informais. Mulheres podem usar vestidos, calças, camisetas, tops e as bolsas podem ser maiores. Os homens podem vestir calças de sarja, jeans, camisa polo, camisetas e mocassins.
 
2.       Passeio, esporte fino ou tenue de ville
Look um pouco mais formal, o tenue de ville significa roupa de cidade. As mulheres devem usar o cocktail dress, que é o vestido na altura do joelho, tops e saias. Durante o dia, as cores claras sempre caem muito bem; à noite, as escuras ficam melhor. As bolsas devem ter tamanho entre médio e pequeno, o salto dos sapatos deve ser do médio ao alto.
 
É aconselhável que os homens usem gravatas após às 18 horas. Durante o dia, o terno claro tem melhor caimento e pode ser usado com sapatos marrons. Já à noite, o terno deve ser escuro, combinando com sapatos pretos.
 
3.       Passeio completo ou social
Nesse caso devem ser usadas roupas formais. As roupas femininas devem ter tecidos nobres e sofisticados, bolsas menores e saltos altos. As joias também são mais elaboradas. Os homens devem preferir terno escuro, camisa social, gravata e sapatos pretos.
 
4.       Traje a rigor, black tie ou tenue de soirée
Essa é a roupa de gala. As mulheres devem trajar vestidos longos ou curtos sofisticados em materiais nobres, que possuam detalhes ou brilhos. As bolsas para essa ocasião são minúsculas e devem ser acompanhadas de saltos altos e meias finas. A maquiagem e o cabelo são mais elaborados. A ocasião permite um look mais dramático. O homem deve usar smoking, que exige camisa branca com pregas na frente, gravata borboleta e faixa na cintura. Normalmente se usa o traje preto com detalhes em cetim. Entretanto, no calor, é possível usar o chamado smoking summer, que é o mesmo traje, mas com o paletó branco.
 
TIPOS DE CORPO – QUESTÕES E SOLUÇÕES
 
 
1.       Cheio de curvas
A ideia é alongar o corpo e tentar marcar a cintura, o que suaviza a silhueta.
O que usar:
- peças que caem com leveza;
- tops com o comprimento da barra no ossinho do quadril e saia na altura do joelho;
- tops que mostram colo e braços;
- pernas à mostra;
- calças mais secas;
- looks monocromáticos ou tons bem parecidos;
- linhas verticais, que convidam o olho a fazer esse movimento e por isso dão a ideia de alongamento.
 
2.       Com poucas curvas
Nesse caso é preciso potencializar as poucas curvas, criando pequenos volumes.
O que usar:
- tops mais largos, como batas e camisas;
- casacos mais largos, como paletós e casacos 7/8;
- calças mais largas, como pantalonas e calças tipo boyfriend;
- bolsos nas roupas, tanto em camisas e jaquetas quanto em bermudas e calças;
- roupas com elástico na cintura, que acabam dando mais volume em volta do elástico;
- sutiãs de bojo.
 
3.       Mulheres baixas
É preciso alongar o corpo.
O que usar:
- looks monocromáticos ou tons bem parecidos;
- linhas verticais;
- linhas simples;
- poucos detalhes;
- acessórios proporcionais — se eles forem muito grandes, podem fazer a pessoa parecer menor do que é;
- cintura alta, que alonga as pernas;
- saltos médios e altos.
 
4.       Mulheres altas
Nesse caso a ideia é minimizar a altura.
O que usar:
- linhas horizontais, que convidam o olho a fazer o mesmo movimento e dão a impressão de alargamento e encurtamento;
- parte de cima e de baixo da roupa contrastantes, o que também cria um corte horizontal e efeito contrário ao do monocromático;
- saltos médios e rasteitros.
 
5.       Quem tem barriga
É preciso minimizar essa área.
O que usar:
- camisas e tops mais longos, como batas e tricôs, que não vão por dentro da peça de baixo;
- linhas simples e sem pregas;
- linhas verticais;
- decotes tipo império em tops e vestidos, aqueles que marcam o peito e descem soltos;
- calças mais secas para afinar a silhueta;
- looks monocromáticos.
 
6.       Quem tem muito quadril e perna
Para esse perfil podemos mostrar as curvas sem enfatizá-las muito e alongar a silhueta, além de buscar o equilíbrio entre ombros e quadris.
O que usar:
- linhas simples e sem detalhes;
- tops que caem suavemente na peça de baixo;
- tops que caem paralelamente ao quadril;
- tops com alguma força nos ombros, para tentar equilibrar a linha dos ombros com a dos quadris;
- cores mais escuras nessas áreas;
- peças de baixo com cintura mais baixa para tirar a ênfase do culote;
- linhas verticais;
- silhueta mais seca.
 
7.       Quem tem muito busto
A ideia é suavizar a área e disfarçar o tamanho.
O que usar:
- decotes equilibrados, nem muito abertos que exponham, nem tão fechados que sufoquem;
- tops mais escuros;
- tops com pouco tecido e poucos detalhes;
- gola em V para alongar o colo;
- tops e vestidos tipo cache-coeur com amarração frontal, que tem o mesmo efeito de alongar o colo;
- colarinhos verticais e mais finos;
- cintos mais finos, que também ajudam a suavizar a silhueta.
 
8.       Quem tem pouco busto
É preciso potencializar a área, tentar aumentar esse volume.
O que usar:
- sutiã com bojo e enchimento;
- tops com linhas horizontais;
- tops com detalhes na gola e no busto;
- bolsos na altura do busto;
- tops e jaquetas mais sequinhas;
- decote império, que realça o busto.
 
9.       Quem tem ombro estreito
É preciso aumentar a área do ombro.
O que usar:
- ombreiras ou ombreirinhas;
- detalhes nos ombros, tanto para dar volume como para chamar a atenção;
- golas elaboradas;
- golas no sentido horizontal, como a tipo canoa.
 
10.    Quem tem ombro largo
Nesse caso, a ideia é tentar minimizar o tamanho da área.
O que usar:
- mangas tipo raglã, que são na diagonal e suavizam os ombros;
- gola em V, que suaviza a área;
- peça de baixo com mais volume para tentar equilibrar com a linha dos quadris.
 
11.   Quem tem braços fortes
Deve-se suavizar os braços.
O que usar:
- cobrir com mangas curtas, 3/4 e compridas;
- a manga morcego também é uma boa opção, pois tem mais espaço para os braços;
- a manga de quimono é outro modelo que também dá mais espaço para os braços.
 
 
CORES – O QUE ELAS REPRESENTAM
 
A cor é um dos aspectos mais relevantes de uma imagem. Antes mesmo de enxergar a forma, as pessoas visualizam a cor. Ela pode ter um efeito extraordinário sobre o bem-estar das pessoas, segundo a tradição hindu.
 
As cores têm o poder de influência, podem descrever emoções e até já viraram termos do cotidiano, como “está tudo azul”, “a coisa está preta”, “vermelho de raiva”, “verde de fome”, “dia cinza”, “amarelou”, entre outras expressões. As cores deixaram rastros na história, o movimento hippie contava com cores suaves e intermediárias; já o yuppie, com cores primárias e fortes. Os anos 90 trouxeram tons neutros e a década foi responsável por uma grande mistura de cores.
 
O azul-marinho transmite confiança, por isso é um clássico nos uniformes de escolas, da Marinha e da Aeronáutica. O verde-claro, por sua vez, imprime calma e esperança, cor muito usada em hospitais e prisões.
 
Confira abaixo uma lista com as cores e seus significados.
 
Vermelho
Cor do sangue, de vida, de amor. É quente. Ligada à terra e fonte de energia, a cor vermelha transmite a ideia de estado de alerta e tem apelo de fetiche (batom e rosas vermelhas).
 
Rosa
Traz a energia do vermelho e a suavidade do branco. Seu efeito calmante traduz feminilidade, harmonia, comunhão, equilíbrio, ternura, fragilidade e conforto, além de resgatar lembranças de infância, sonhos e fantasias.
 
Laranja
A cor representa vitalidade, força, calor, alegria, intensidade, além de ser estimulante.
 
Amarelo
Cor alegre, brilhante e forte. Traz ânimo, disposição e otimismo, estimula a criatividade e a inspiração.
 
Verde
Ligada à natureza, a crescimento, equilíbrio e vida. É uma cor serena e confortante.
 
Azul
Cor do céu, da divindade, da comunicação e da paz. Costuma ser associada ao masculino e transmite autoridade e credibilidade. É a cor da diplomacia e também da sofisticação, por isso o termo “sangue azul”.
 
Azul-turquesa
Representa a água, elemento associado aos sentimentos, à intuição e à emoção. Transmite autoconfiança e pensamento independente.
 
Violeta
Cor forte e penetrante, traz equilíbrio e espiritualidade. Ligada a realeza e autoridade.
 
Branco
É a soma de todas as cores. Transmite pureza, paz e tranquilidade.
 
Preto
Ausência de cor. É uma cor que muitas vezes funciona como escudo. Transmite sobriedade, elegância e mistério. Como toda cor escura, tende a diminuir a superfície, por isso a cor preta dá ideia de emagrecimento.
 
A personal stylist Manu Carvalho fechou parceria com Vanish e desenvolveu um conteúdo bacana com dicas de moda e estilo.
 
 
 
 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Mariana Bevilacqua

Fonte:Ketchum