Rio de Janeiro, 26 de Julho de 2017

A saúde é fundamental à beleza

A saúde é fundamental à beleza
As discussões sobre qual seria o nível de magreza aceitável para as modelos vieram à tona quando pressões do governo regional de Madri fizeram com que modelos que apresentassem um índice de massa corporal (IMC) - obtido dividindo o peso pela altura ao quadrado - inferior a 18 fossem dispensadas da principal semana de moda espanhola.
 
A justificativa para a medida, adotada em seguida por Índia e Israel, é que adolescentes estão tentando copiar a aparência magérrima de algumas modelos e desenvolvendo, com isso, distúrbios alimentares.
 
‘Viver de regime’, ‘usar indiscriminadamente inibidores de apetite, laxantes e diuréticos’, ‘jejuar’...
 
Esses comportamentos podem ser evidenciados por qualquer um numa amiga, prima, colega de trabalho...
 
Mais do que uma modernidade, estes sinais podem se constituir em indícios de algum tipo de transtorno alimentar e servem como alerta para um problema mundial que atinge 1% da população feminina entre 18 e 40 anos.
 
Os transtornos alimentares são, hoje, uma verdadeira "epidemia" que assola sociedades industrializadas e desenvolvidas acometendo, principalmente, adolescentes e adultos jovens.
 
De um modo geral, o pensamento das pessoas que apresentam algum distúrbio alimentar se caracteriza por uma obsessão pela perfeição do corpo. “Reduzir excessivamente a ingestão de alimentos, eliminar refeições, passar uma semana inteira bebendo líquidos...
 
Estas atitudes mais se parecem com auto-flagelação do que com uma dieta. A auto-imposição de grandes sacrifícios e de metas absurdas não favorecem o processo de emagrecimento”, afirma a  endocrinologista e nutróloga Ellen Simone Paiva, diretora-clínica do CITEN.
 
Beleza é saúde
 
A dieta ideal é aquela que emagrece e alimenta ao mesmo tempo. Todas as vezes que optamos por seguir uma dieta muito restrita, perdemos muito ‘mais do que as gordurinhas’ que nos incomodam tanto.
 
“Perdemos saúde e perdemos beleza. Perdemos gordura sim, mas perdemos também componentes muito importantes para a beleza e juventude, como o colágeno, que dá saúde e beleza ao cabelo e à pele. E não adianta ingerir cápsulas de colágeno, pois serão totalmente ineficientes”, explica a médica.
 
Outro problema comum entre os que fazem drásticas restrições calóricas é o aparecimento da desnutrição, pois é impossível garantir a ingestão dos micronutrientes básicos, como as vitaminas e os minerais. Entre os maiores riscos nutricionais estão a falta de  ferro, cálcio e vitaminas.
 
“As mulheres são mais vulneráveis, pois menstruam todos os meses e as perdas de ferro não repostas resultam em anemia, o cálcio não ingerido resulta em massa óssea insuficiente para garantir as perdas naturais da maturidade e todas as vitaminas em falta na puberdade, se traduzirão em menor potencial antioxidante no futuro, impossível de serem repostas através das mega-dosagens de vitaminas, atitude totalmente ineficiente e muitas vezes arriscada”, alerta Ellen Paiva.
 
Então, o que fazer?
 
“Reconhecer que todos os seres humanos precisam se alimentar, pois são os alimentos que nos fornecem energia e nos dão disposição para o desenvolvimento das atividades diárias. Saber que a melhor forma de perder peso é se alimentando corretamente”, aconselha a nutróloga.
 
Pular refeições para emagrecer é uma conduta muito comum, principalmente, o jantar, ‘com o receio de que o corpo não metabolize os alimentos com a mesma agilidade da hora do almoço’, pura bobagem! “Todas as vezes que pulamos refeições, deixamos de ser seletivos e abusamos na próxima refeição. Mas o pior não é isso. Todas as vezes que fazemos jejum prolongado, nosso corpo ‘lê’ essa situação como escassez de alimentos e se protege, reduzindo a queima calórica”, explica a especialista.
 
Outro grande mito é a retirada do carboidrato do jantar.  Não há vantagem alguma nisso. O ganho de peso não ocorre pela presença deste componente de nossa dieta. O ganho de peso ocorre quando o total calórico ingerido no dia todo é maior do que nossa queima calórica. Da mesma forma que a perda de peso não ocorre com a  suspensão do carboidrato das dietas. Ocorre sempre que se consegue ingerir menos calorias do que se gastou. “Isso é muito mais fácil e seguro de se conseguir com a adoção de uma dieta balanceada”, defende a endocrinologista Ellen Simone Paiva.
 
Como o processo de emagrecimento saudável é lento, ao invés de criar um código de punições é melhor seguir a lista de boas práticas de alimentação, conciliando o emagrecimento com a preservação da saúde.
 
Rol do emagrecimento saudável
 
1) Consuma alimentos variados em 3 refeições e 2 lanches ao dia. Pular refeições não emagrece e prejudica a saúde;
2) Não subestime um quilinho a mais, corra atrás de perdê-lo antes que ele se transforme em cinco quilinhos;
3) Pratique atividades físicas todos os dias. Na falta de tempo, inclua na sua rotina a prática de andar a pé, subir escadas e dançar. Arrumar seu quarto também queima calorias;
4) Coma arroz e feijão diariamente, acompanhados de legumes e vegetais folhosos;
5) Coma de 4 a 5 porções de frutas, todos os dias, em seu estado natural;
6) Adicione em seu cardápio refeições com carboidratos integrais como pães e arroz;
7) Reduza a ingestão de açúcar associado às gorduras como os sorvetes, chocolates e tortas. Isso não significa abolir a sobremesa dos seus sonhos. Ela só não pode ser uma rotina na sua vida;
8) Na hora do lanche, priorize as frutas ao invés de biscoitos, bolos e salgadinhos;
9) Coma pouco sal.  Evite alimentos enlatados e embutidos como salame, mortadela e presunto, que têm muito sal. Evite também adicionar sal à comida já preparada;
10) Beba leite desnatado e consuma produtos lácteos com baixo teor de gordura, pelo menos 3 vezes ao dia.
 
 
 
Ellen Simone Paiva
 
Médica especializada em endocrinologia e nutrologia. Mestre em Medicina na área de nutrição e diabetes pela USP. Titular da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, SBEM e da ABRAN, Associação Brasileira de Nutrologia. Diretora clínica do CITEN - Centro Integrado de Terapia Nutricional.

 
 
CITEN
 
O CITEN - Centro Integrado de Terapia Nutricional – é uma clínica voltada à terapia nutricional de doenças crônicas em nível ambulatorial. Está apto a atender adultos e crianças, pois conta com equipe multidisciplinar altamente qualificada composta por médicos, nutricionistas, psicólogos e psicanalistas, devidamente credenciados junto às sociedades e instituições de classe nacionais e internacionais. Os cuidados com o contínuo desenvolvimento tecnológico – sejam em termos de tratamentos médicos como de equipamentos e de recursos instrumentais e medicamentosos – também merecem destaque no CITEN.
 
SERVIÇO:
CITEN - Centro Integrado de Terapia Nutricional
Endereço: Rua Vergueiro, 2564.
Conjuntos 63 e 64
Vila Mariana
São Paulo-SP
CEP: 04102-000
Atendimento: De segunda a sexta.
Horário: 08h30min às 18h30min horas.
Telefone: (11) 5579 1561/5904 3273.
 
 

Crédito:Márcia Wirth

Autor:Ellen Simone Paiva

Fonte:Excelência em Comunicação