Rio de Janeiro, 29 de Março de 2017

Longevidade saudável

A juventude não é eterna nem a ciência descobriu a fonte do enjuvenescimento.
 
Envelhecer é inevitável, mas com os avanços da Medicina Antienvelhecimento já é possível retardar a velhice e manter os indivíduos saudáveis na Terceira Idade sem a manifestação de doenças degenerativas. Graças ao conhecimento do corpo humano, hoje vive-se mais e com muito mais saúde.
 
Em geral, por preconceito, atribuem-se ao idoso inúmeras deficiências físicas e mentais. Entretanto, o que vemos ocorrer com o ser humano nos últimos vinte anos é um notável aumento da sobrevida saudável. Nos tempos atuais, longevidade e beleza são conceitos intimamente ligados à saúde e ao bem-estar.
 
A Medicina  Antienvelhecimento teve início, nos Estados Unidos, na década de 1990.
 
O objetivo do movimento é propiciar mais qualidade de vida com maior produtividade.
 
De lá para cá, associações e entidades que atuam nessa ciência contabilizam 11 mil médicos e cientistas, distribuídos em 65 países.
 
Precursor do movimento de antienvelhecimento no Brasil, o médico cearense Ítalo Rachid tem feito do tema uma cruzada de Norte a Sul do País, orientando médicos  neste novo conceito de Medicina Preventiva que  funde os novos ramos do conhecimento e as novas tecnologias para permitir às pessoas aliar a quantidade de anos vividos à qualidade de vida.
 
Estudos indicam que 30% dos que têm 100 anos ou mais chegam a essa idade com suas funções físicas e mentais praticamente preservadas, enquanto boa parte da população começa a definhar antes dos 80.
 
Calcula-se que apenas um terço desse sucesso possa ser atribuído a uma predisposição genética.
 
Isso significa que os 70% restantes dependem do estilo de vida. Portanto, para chegar aos 100 é preciso manter hábitos saudáveis desde a juventude.
 
Quanto maior o cuidado com a saúde, melhores serão as condições com que se chegará lá.
 
A Terceira Idade está aí para ser vivida em sua plenitude e para isso é preciso preparar-se desde cedo, com exercícios moderados e alimentação saudável.
 
Empresas européias estão começando a contratar funcionários da faixa de 50 e 60 anos, em razão de uma coisa que só os anos proporcionam: experiência!
 
No Brasil, as pessoas com mais de 60 anos poderão ultrapassar a casa dos 30 milhões nas próximas duas décadas. Essa tendência, evidentemente, tem a ver com o aumento da longevidade saudável.
 
Mas por que algumas pessoas na faixa dos 60 anos podem aparentar e se sentir com 45  e outras com 40 apresentam sinais e problemas como se tivessem mais de 65?
 
A idade cronológica é medida desde a data do nascimento, enquanto a biológica representa a idade funcional do organismo.
 
Viver com qualidade  é o que faz a diferença entre tempo cronológico e biológico.
 
A prevenção antienvelhecimento funciona para que as pessoas tenham uma longevidade saudável.
 
A ciência tem comprovado todos os dias que é possível retardar  a idade biológica por meio da escolha de um estilo de vida mais saudável, com a prática regular de exercícios físicos, distanciamento do fumo, alimentação balanceada, auto-estima elevada, vida social e relacionamentos gratificantes.
 
Ter uma saúde plena, longe das doenças decorrentes da idade, depende basicamente das atitudes associadas à prevenção.
 
Essa amplitude de procedimentos pede multidisciplinaridade de tratamentos, cuidados orientados, realizados por especialistas, para retardar o envelhecimento e melhorar a auto-estima.
 
Cada um pode e deve se sentir bonito e saudável com a idade que tem, independente da idade cronológica, mas com sua verdadeira idade biológica.
 
Para aqueles que já começaram a envelhecer ou envelheceram, a Medicina Estética é uma das grandes aliadas no processo antienvelhecimento.
 
Hoje existem procedimentos minimamente invasivos que tratam e devolvem a juventude sem interromper a rotina diária.
 
Também existe uma gama enorme de produtos e métodos disponíveis para o rejuvenescimento: toxina botulínica, preenchimentos, aplicações a laser, luz pulsada, bioplastia, medicamentos, cremes e loções que recuperam a pele.
 
Uma série de exames não convencionais como a dosagem de homocisteína, proteína C reativa, avaliação adrenal podem mostrar que caminhos nosso organismo está seguindo.
 
Desde já, um primeiro passo é começar a ingerir maiores quantidades de ômega 3 (provindo de óleo de peixes de águas profundas)  que será, em breve, a nova base da pirâmide alimentar.
 
Hoje se sabe que quanto menor o stress, mais se vive e há meios para tentar diminui-lo como yoga, meditação, ginástica, gargalhadas, biofeedback,  entre outros.
 
Nos tempos atuais, a proposta da Medicina Antienvelhecimento é rejuvenescer de dentro para fora. A meta, portanto, é manter a harmonia do corpo, mente e espírito.
 
 
Audrey Katherine Worthington (CRM 75398) é cirurgiã-plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, pós-graduada em Medicina Estética pela Sociedade Brasileira de Medicina Estética. É também membro da Academia Brasileira de Medicina Antienvelhecimento, fellow do Serviço de Cirurgia Plástica da Free University de Amsterdã, na Holanda. Atualmente é diretora da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia e coordenadora do curso de pós-graduação em Medicina Estética da FAPES – Fundação de Apoio à Pesquisa e Estudo na Área de Saúde.  Dra. Audrey acaba de fazer um curso sobre  medicina antienvelhecimento com o dr. Ítalo Rachid, único especialista brasileiro “board certified” nos Estados Unidos, com total respaldo da Cenegenics, uma das maiores empresas na área de antiaging atualmente.
 
 

Crédito:Fatima Nazareth

Autor:Audrey Worthington

Fonte:Link 2 Comunicação