Rio de Janeiro, 10 de Julho de 2020

Bebês a bordo: qual é a alimentação adequada nas férias?

Trânsito, sol e calor. A trilogia mais conhecida nas férias de verão de muitos brasileiros é também a maior vilã da desidratação e intoxicação alimentar entre bebês. Os cuidados com a alimentação têm de ser redobrados, já que as altas temperaturas fazem com que os alimentos se deteriorem rapidamente.

De acordo com a nutróloga Samantha Christie Enande, da Clínica Valéria Marcondes, o calor faz com que as bactérias presentes nos alimentos se multipliquem mais rapidamente, se tornando impróprios para o consumo. Samantha alerta que é preciso ficar de olho às características como cor, odor, textura e aparência, além de sempre verificar a data de validade do alimento.

Para quem pretende enfrentar estradas com os bebês, nada de leite. Ele pode azedar. O ideal é levar leite em pó, garrafas de água e sucos industrializados de marcas de boa procedência, conservados em bolsas térmicas. Bebês devem beber cerca de um litro e meio de líquido diariamente, principalmente no verão. Consumo essencial para repor o que foi perdido pelo suor, evitando a desidratação. Mas nada de água de torneira! Ela pode estar contaminada por substâncias tóxicas, bactérias e fungos.

Para complementar a hidratação, frutas com bastante água na composição como melancia e melão são ótimas fontes de vitaminas e minerais. “Mas lembre-se de higienizá-las devidamente antes de sair de casa e conservá-las também em bolsas térmicas para preservar os nutrientes”, lembra Samantha. Um bom exemplo são as frutas de cascas grossas que conservam mais fácil durante a viagem como maçã, laranja, mexerica e carambola.

As mães também devem ficar atentas quanto a alimentação nos dias mais quentes. Frituras têm de ser evitadas. Batata frita e hambúrguer, além de muito refrigerante pode ser prejudicial, já que a aparência do xixi deve ser incolor - quase transparente, e sem odor. A preferência são alimentos ricos em carboidratos, como macarrão com molho de tomate leve, cereais, arroz e muita salada. O intervalo entre as refeições também deve ser monitorados. O ideal é evitar períodos longos entre as refeições, já que nesta época do ano as crianças gastam muito mais energia em curto espaço de tempo.


Clínica Valéria Marcondes

Rua Almirante Pereira Guimarães, 192 - Pacaembu
São Paulo/ SP
Fone: (11) 3672-5911

Crédito:Cris Padilha

Autor:Erika Soós

Fonte:Universo da Mulher