Rio de Janeiro, 15 de Novembro de 2019

Super mãe

Lavar a louça, a roupa, o carro, cuidar do jardim, jogar o lixo fora, passar o aspirador, varrer... Ufa! A quem se deve atribuir as tarefas domésticas?

A resposta é óbvia: a casa pertence a todos, aos pais e aos filhos. Portanto, as tarefas domésticas devem ser igualmente distribuídas entre todos os membros da família.

Muitas vezes, o problema está em como delegar as tarefas domésticas aos filhos, para que sejam vistas como um fator positivo para o desenvolvimento pessoal e a convivência.

De acordo com a opinião de especialistas, o ideal é fazer com que as crianças, desde cedo, aprendam a ter responsabilidades domésticas. Assim, ao crescerem, irão colaborar naturalmente com a limpeza e a organização da casa.

Se os pais nunca estimularam a cooperação dos filhos pequenos nas tarefas domésticas, será mais difícil, na fase da adolescência, conseguir com que eles se integrem a essas tarefas. Os filhos podem pensar que este tipo de trabalho não é para eles.

Como fazer, então, para que os filhos colaborem?

O melhor momento para iniciar esta parte da educação é quando eles ainda são pequenos, pois é a fase em que os filhos imitam os pais, assim, não lhes faltará a espontaneidade ao dizer: “Mamãe, quer que eu ajude a varrer”?

E sempre que se oferecerem para algum tipo de tarefa, concorde. Esta “ajuda” será o primeiro passo para a futura participação dos filhos nas tarefas domésticas.

Com o passar do tempo, as tarefas destinadas a cada um vão se ajustando as suas habilidades motoras e intelectuais. O benefício será primeiramente sentido pelos pais, pois a carga de tarefas domésticas ficará menos pesada.

Mas, a longo prazo, os maiores benefícios serão para os que aprenderam desde cedo – e com gosto – a lidar com um assunto tão cotidiano e fundamental como a tarefa doméstica.

 

depois do parto:
casa ou trabalho?

Quando você se vê no papel de mãe, adaptando-se a uma rotina que funciona tanto para você quanto para o seu marido, chega o momento de pensar em voltar ao trabalho. A licença maternidade chega ao fim e, para muitas mulheres, voltar ao trabalho é uma necessidade financeira. Entretanto, para outras, essa fase torna-se simplesmente um descanso depois de tanto trocar fraldas e ter conversas de bebê.

Voltar ao trabalho requer uma nova organização e uma mudança drástica de suas prioridades. O melhor a fazer é considerar todas as opções disponíveis antes do bebê chegar. Trate de decidir, como família, qual alternativa será a mais conveniente. Por exemplo, considere a opção de voltar a trabalhar meio período ou trabalhar de casa alguns dias da semana. Essa adaptação não é fácil, mas se você aprender a criar e manter uma rotina com o bebê, ele não sofrerá por ter ambos os pais trabalhando.

Quando é o momento oportuno?

Além das leis trabalhistas, as necessidades de seu bebê e a sua vontade de voltar ao trabalho serão alguns fatores determinantes para o momento apropriado. Entretanto, alguns outros fatores devem ser cuidadosamente considerados, principalmente o momento apropriado em que você esteja mental, física e emocionalmente preparada para tomar tal decisão.

Se você desejar continuar a amamentar o bebê, pratique tirar o leite usando uma bomba específica para isso. Mas, se desejar começar a lhe oferecer a mamadeira, será preciso aguardar o momento certo. Para tal transição, geralmente recomenda-se que seja feita aos pouco.

Aspectos a considerar

Não importa que decisão você tenha tomado. O mais importante é observar sua situação financeira agora com o bebê e pesar as vantagens e as desvantagens de voltar a trabalhar:

  • Que tipo de cuidados para o bebê vocês poderão pagar? Não importa se terão alguém da família em casa, uma babá ou uma enfermeira, ou precisarão deixá-lo em um hotelzinho infantil. O mais importante é que a pessoa saiba interpretar o choro do bebê, identificar suas necessidades e as atender de maneira eficaz e correta.

  • O seu antigo trabalho lhe proporciona tempo suficiente para passar com o seu bebê? Ou será necessário mudar de carreira?

    E agora que já voltei ao trabalho...

    Se nos últimos meses, sua vida girou em torno de cuidar do bebê, você provavelmente se sentirá um pouco desambientada no trabalho. Entretanto, você precisará se esforçar para se colocar em dia com os últimos acontecimentos da sua carreira e do setor. Para isso, converse com seus colegas de trabalho e você verá que em muito breve já estará novamente no ritmo de sempre.

    Quando já estiver na empresa, é fundamental conversar com seus superiores e colegas de trabalho para esclarecer seu comprometimento perante o trabalho e de suas responsabilidades em casa. É importante deixar claro a necessidade de sair do escritório pontualmente todos os dias. O seu tempo deve ser produtivo para você, seus superiores e a empresa em geral. Isso implica em não pensar demais nem se preocupar com o bebê. Se você fez tudo o que estava ao seu alcance para lhe oferecer um bom cuidado, qualquer energia gasta em preocupações alheias afetarão a sua carreira.



  • Crédito:Luiz Affonso

    Autor:Marianella Carrilho

    Fonte:Conectadas