Rio de Janeiro, 22 de Janeiro de 2020

Emagrecimento e qualidade de vida

É inevitável ganhar peso durante a gravidez e é preciso cuidado para que os desejos das futuras mamães não façam com que a alimentação saudável fique em segundo plano, prejudicando o bebê. Uma alimentação balanceada durante a gravidez garante não só um bebê saudável, mas também o ganho de peso da mãe dentro da faixa ideal (entre 9 e 12 Kg) e um retorno mais rápido ao peso ideal após o parto. Por tudo isso, é primordial um acompanhamento nutricional sério durante a gestação.
 
O Forma Leve existe há 5 anos com uma equipe formada por psicólogos e nutricionistas, que acompanham não só a dieta de seus pacientes, mas também a cabeça, afinal, o bem-estar do paciente tem que estar em primeiro lugar. O trabalho com gestantes é especial, pois "muitas mulheres obesas engravidam e nós precisamos realizar um trabalho especial de controle do ganho de peso durante a gestação, para que nem mãe, nem bebê, corram riscos", afirma a psicóloga e criadora do método, Yara Daros. Ela completa reforçando que a maneira correta e eficaz de emagrecer é aos poucos, através de reeducação alimentar e acompanhamento psicológico, afinal, se bastasse uma dieta balanceada para se chegar ao peso ideal, não haveria mistérios no controle do peso.
 
O método é simples, aplicado em reuniões semanais - hoje 15 grupos -, onde o paciente coloca suas dúvidas, dificuldades e necessidades. A partir daí, todo o trabalho visa mudar a relação do paciente com a comida. Segundo Yara, os seres humanos tendem a misturar comida com sentimentos, problemas, dificuldades, carências e a gravidez é um período em que a mulher fica normalmente mais sensível e com os hormônios em plena atividade, o que contribui para os excessos alimentares. "O fato de comer quando se está com fome e parar quando se está saciado não é fácil. É aí que se instala, muitas vezes, um comportamento compulsivo. A pessoa come e não consegue parar, pois está utilizando a comida como droga para preencher vazios afetivos, ou esconder de si mesmo o verdadeiro problema", avalia Yara, com conhecimento de causa, afinal, o Forma Leve já emagreceu 2 toneladas de 1.500 pacientes nesses 3 anos de vida.
 
Nos encontros, os pacientes recebem dicas de nutrição e receitas lights, praticam caminhadas ecológicas, além de participar de terapia de grupo, focada na compulsão alimentar e na melhoria da qualidade de vida. Aprendem uma nova concepção alimentar, através de uma nutrição correta e balanceada, mudando, com isso, seus hábitos alimentares e de vida. Yara lembra que não é só no controle do peso que se deve agir, "muitas mulheres obesas engravidam. Nesse caso, é necessária a redução do peso para que a saúde da gestante e do feto seja preservada".

Crédito:Carolina Aló

Autor:Carolina Aló

Fonte:Universo da Mulher