Rio de Janeiro, 10 de Agosto de 2020

Plásticas associadas:

As cirurgias associadas ou combinadas como são conhecidas, ocorrem, mais comumente, em associação aos procedimentos ginecológicos. Por exemplo: quando é necessária a realização de uma histerectomia  é possível aproveitar o mesmo momento para realizar uma plástica de abdômen ou mesmo uma lipoaspiração. Da mesma forma, a retirada de um nódulo benigno de mama pode ser associada à redução ou aumento das mamas. Outras especialidades médicas também entram no rol das cirurgias associadas como a otorrinolaringologia e a cirurgia vascular, onde é possível associar a correção funcional com a parte estética.

Como as mulheres, acima dos 40 anos, respondem por 90% dos pacientes que se submetem a este tipo de procedimento, a parceria mais comum acontece entre o cirurgião plástico e o ginecologista, e não raro entre o cirurgião plástico, o mastologista e o otorrinolaringologista. Os homens, embora em número reduzido se comparado às mulheres, também se beneficiam das cirurgias combinadas. Em geral, eles realizam cirurgias funcionais, como a correção do desvio do septo nasal em associação à plástica para correção de imperfeições estéticas do nariz ou orelha. “Enviados pelo oftalmologista, também é comum o público masculino retirar ‘bolsas de gordura’ das pálpebras, que provocam secura dos olhos e dificultam a visão”, diz Ruben Penteado.

Restrições

A realização da cirurgia combinada só é recomendada pelo médico em casos em que não há processo infeccioso associado. “O diabetes descompensado, anemia, hipertensão descompensada são alguns dos problemas que também contra-indicam a utilização deste recurso”, afirma Ruben Penteado.

Associação de procedimentos estéticos

A prática de associar duas cirurgias também vem se tornando comum quando o assunto é puramente estético. Na última década, esta opção vem se firmando como uma alternativa benéfica e econômica para o paciente, quer pela internação e pelo tempo de recuperação únicos, bem como pela possibilidade de se beneficiar de uma única anestesia. “Hoje, as cirurgias associadas já respondem por 60% dos procedimentos realizados durante o mês”, afirma Ruben Penteado.A seguir, o médico destaca três cirurgias  que associam procedimentos estéticos:

Lipoaspiração na cintura + implante de silicone

Indicação: mulheres que têm um corpo reto e desejam deixá-lo mais curvilíneo.

Duração: de duas a quatro horas.

Internação: 24 horas.

Cicatrizes: a do seio pode ficar camuflada ao redor das aréolas, nas axilas ou nos sulcos mamários, dependendo por onde o implante foi feito. Já a marca da lipo costuma permanecer do tamanho de uma pinta, praticamente imperceptível.

Pós-operatório: é essencial usar cinta cirúrgica por 30 dias, ao menos, para ajudar na retração da pele, e uma faixa compressora, por dez dias, a fim de evitar o deslocamento da prótese. Sol e atividade física somente após um mês.

Abdominoplastia + redução de mama

Indicação: para quem tem seios grandes e caídos e perdeu peso, mas ainda está com excesso de gordura e flacidez de pele na barriga.

Duração: de quatro a seis horas.

Internação: 48 horas.

Cicatrizes: na base inferior do seio e rente aos pêlos pubianos, de uma ponta à outra da bacia.

Pós-operatório: a paciente sai do centro cirúrgico com uma cinta compressora, que deve ser usada por pelo menos um mês. Após cinco dias de repouso, pode voltar à rotina, evitando somente exercícios físicos e exposição ao sol por 30 dias. Os pontos são retirados depois de dez dias, em média. Recomendam-se sessões de drenagem linfática para acelerar a recuperação.

- Lifting de glúteos + lipo nos culotes

Indicação: para mulheres que desejam eliminar a gordura localizada dos culotes e acabar de vez com a flacidez do bumbum, deixando-o com um formato mais sensual.

Duração: de duas a quatro horas.

Internação: 24 horas.

Cicatrizes: na dobra do bumbum com a coxa e pequenas marcas na virilha, como se fossem pintas.

Pós-operatório: é essencial o uso de cinta por um mês. O período de repouso é de uma semana. Para não comprometer o resultado, o ideal é evitar exercícios físicos e banhos de sol durante 30 dias. Sessões de drenagem linfática também diminuem o inchaço do local.

Crédito:Cris Padilha

Autor:Márcia Wirth

Fonte:Excelência em Comunicação