Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2017

Cirurgia Plástica: Sonho ou Pesadelo?

Propagandas com resultados e parcelamentos inacreditáveis: vale a pena se arriscar?
Quantas propagandas de cirurgia plástica surgiram na última semana?
 
É só fazer o teste e conferir. Basta bater os olhos em outdoors, placas, jornais, revistas ou zapear pelos canais de TV para se deparar com inúmeros anúncios de clínicas ou empresas intermediadoras que oferecem cirurgias plásticas com valores, formas de pagamento e resultados.
 
Não raro, este tipo de publicidade sensacionalista traz imagens de "antes e depois" para reforçar as promessas extraordinárias. Como cirurgião plástico e presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - Regional São Paulo (SBCP-SP), Antônio Graziosi alerta que esta publicidade abusiva pode colocar em risco a saúde do paciente.
 
A realização de qualquer cirurgia precisa atender aos procedimentos médicos de segurança que recomendam essa forma de tratamento, considerando as condições físicas do paciente e o resultado desejado.
 
A relação médico-paciente é fundamental para diminuir os riscos à saúde, já que em alguns casos não há necessidade da realização da plástica ou o paciente não tem condições físicas adequadas que permitam a realização do procedimento cirúrgico.
 
Nestes casos, o especialista deve recomendar outra forma de tratamento.
 
Além disso, as empresas intermediadoras exploram os profissionais com baixa remuneração e excesso de horas de trabalho, obrigando-os a realizar procedimentos médicos sem segurança como forma de reduzir os custos e oferecer preços irreais, como se existisse um "mercado" de cirurgia plástica.
 
É incompatível discutir tratamentos médicos com base no raciocínio comercial e financeiro, transformando o trabalho do cirurgião plástico em um negócio que visa exclusivamente ao lucro.
 
Fora as propagandas agressivas de clínicas que ferem a ética médica e o Código de Defesa do Consumidor, existem outras empresas que deixaram de lado a legislação e passaram a oferecer cirurgias plásticas como prêmio de concursos e gincanas.
 
Há ainda as que oferecem financiamento, cartão de fidelidade, promessa de resultados e atuam como verdadeiros "corretores" que buscam intermediar um negócio comercial. 
 
Os pacientes devem sempre desconfiar quando as promessas forem tentadoras demais, mas nem por isso deixar o sonho da plástica de lado.
 
Caso haja realmente uma indicação médica para o caso, é preciso se programar para realizar a cirurgia. Buscar referências sobre os médicos e checar se são especialistas em cirurgia plástica.
 
Para isto, é recomendado entrar em contato com a SBCP por telefone ou pelo site www.cirurgiaplastica.org.br.
 
É fundamental verificar também se a operação será realizada em hospital ou clínica equipado com os equipamentos necessários para garantir a segurança no caso de uma emergência, como aparelhos de monitoramento, desfibrilador e UTI (Unidade de Tratamento Intensivo).
 
É imprescindível lembrar que a cirurgia plástica é um procedimento médico e deve ser encarado como tal para não se submeter a riscos desnecessários em busca do "corpo perfeito". 
 

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Denise Carvalho

Fonte:Word Brasil - Comunicação Empresarial