Rio de Janeiro, 26 de Março de 2017

A impontualidade do amor

 

Estou literalmente em uma saia justa.

 

Tenho 41 anos, nãotenho filhos e sou divorciada.

 

Divorciei-me ainda com 32 anos, e como foi um pouco traumático, devido a traições por parte dele fiquei ate hoje sozinha.

 

Cultivei boas e novas amizades e fortaleci as amizades antigas. Tenho umaamiga, que é do tempo de faculdade, e posso dizer que é a amizade mais forte e verdadeira que eu poderia ganhar e ter. Ela é como se fosse uma irmã, e jápassamos por muitas coisas juntas.

 

Ela tem 38 anos, e em dezembro do ano passado ela também se separou.

 

Conhecia o marido dela, e em vários momentos conversei com ele sozinha para tentar ajudar o casal.

 

Ambos me evidenciaram que o desgaste foi o responsável pela separação.

 

Ela já está ate namorando outro cara, e numa dessas conversas senti uma atração por ele.

 

Percebi que era recíproco, e desde então começamos a sair.

 

No inicio, achei que seria apenas sexo, mas o tempo passou epercebemos que estamos apaixonados.

 

Ele fala em casamento, porém tenho certezaque minha amiga jamais aceitaria.

 

Já tentei sondar, jogar verde e saberindiretamente e ela foi pontual.

 

Tenho medo de assumir esse amor e acabarperdendo uma grande amizade de anos, que posso considerar como uma irmã. Nãosei o que fazer.

 

Jussara – Nova Friburgo

 

 

A impontualidade do amor

 

Jussara, se não soubesse que sua carta está direcionada acoluna, acharia até mesmo que se trata de um capitulo da novela das oito.

 

Realmente essa é uma saia justa.

 

Em tempos de relações instáveis, superficiaise facebookianas, uma amizade sólida é coisa boa e rara.

 

Encontrar o amor depoisde um jejum de nove anos, em terrenos áridos faz parte do que posso chamar deimpontualidade do amor.

 

 O amor, é impontual, aparece assim, sem avisar, demaneira inoportuna, e nos faz lembrar que nosso coração ainda bate.

 

No seu caso, o amor a faz lembrar que existem duas relações no meio da sua relação;você com a relação de amizade e ele com a relação de ex-marido.

 

Sou sempre a favor de se entender o motivo, os significados e símbolos que estão presentes nesse ciclo.

 

Tente verificar com sua amiga o motivo da não aceitação dela, entendendo qual o significado, o simbolismo da não aceitação da sua relação com o ex-marido dela.

 

Coloque as cartas na mesa, pois muitas vezes as hipóteses e especulações acerca de um fato, não são nenhuns pouco parecidos com a vida como ela é.

 

Será que uma conversa franca com sua amiga, de peito aberto, não pode fazer com que ela não se incomode e aceite? 

 

De uma maneira geral, acredito que todos os seres humanos, sendo homens ou mulheres diriam que não aceitariam uma relação de um amigo com seu ou sua ex.

 

Mas porque não?

 

Assim como você esta pensando nela, se permitindo se questionar em prol da amizade que você tem, se permita em prol dessa mesma amizade receber uma resposta honesta, clara e que fuja simplesmente do porque não.

 

Muitas vezes, o maior incômodo é a falta de intimidade com a situação, eno seu caso a falta de intimidade é com o excesso de intimidade.

 

 

 

Envie seu e-mail para o psicólogo Thiago Spinelli responder.
E-mail thiago.spinelli@universodamulher.com.br
 

 

 

 

 

 

 

 

 

Crédito:Christina Gomes

Autor:Thiago Spinelli

Fonte:Universo da Mulher