Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2017

Por que as proteínas ativam o cérebro e os carboidratos nos deixam mais lentos?

Dra. Sylvana Braga

Os alimentos têm efeitos sobre as funções cerebrais, podendo estimulá-las ou acalmá-las.

Assim, o estado de alerta, o grau de energia e a qualidade da memória podem ser determinados pela alimentação.

Da mesma forma, estados como depressão, agressividade, ansiedade e letargia podem estar associados ao que se ingere.

Deficiências de certos nutrientes, mesmo que pequenas, podem favorecer a lentidão das ondas cerebrais.

 

Os alimentos ajudam a produzir neurotransmissores cerebrais como serotonina, dopamina e norepinefrina.

Alimentos portadores de triptofano produzem serotonina e os que contêm tirosina evoluem para dopamina, os quais ativam o cérebro determinando rapidez de ação.

Os carboidratos favorecem a lentidão cerebral e as proteínas estimulam a condução nervosa do cérebro.

A gordura, por exemplo, também é calmante, pois demora muito a ser digerida. Já os vegetais folhosos são neutros, já que não estimulam nem deprimem o cérebro. Mas existem algumas exceções destes tipos de grupos alimentares.

O carboidrato, por exemplo, age no cérebro de pacientes com TPM, depressão sazonal e ex-fumantes.

Para aumentar a vivacidade cerebral, nada melhor do que as proteínas extraídas de frutos do mar, leite desnatado, peito de peru, peixes, carnes brancas e carnes vermelhas magras. Um acréscimo de 10% de ingestão de proteína na dieta diária impede a produção de serotonina, indutor do sono.

Outra ótima fonte energizante para o cérebro é o café.

A cafeína acopla-se aos receptores cerebrais substituindo a adenosina e ainda reduz a fadiga e melhora o desempenho cerebral, garantindo reações mais rápidas e melhora na concentração. 

Por isso, basta um cafezinho para manter o cérebro em estado de alerta.

O ideal é consumir por dia até duas xícaras de café ou ingerir outros alimentos que contém cafeína, como chás, chocolates e refrigerantes.

O mineral boro, presente nas nozes, amendoim, maçãs, pêras, pêssegos, uvas e no brócolis, é um dos responsáveis por impedir o estado de depressão. Na ausência do boro surgem ondas cerebrais lentas.

Quando se introduz o boro, as ondas se normalizam.

Segue abaixo o cardápio ideal para garantir a vivacidade cerebral:

 

Café da Manhã:
Leite desnatado
Frutas
Iogurte
Café, chá ou chocolate
Ovos mexidos

Almoço:
Atum
Frutos do Mar
Frango
Rosbife
Ovos Cozidos
Queijo Branco
Peito de Peru

Lanche:
Maçã
Pêra
Pêssego
Uva

Jantar:
Salmão
Frutas
Brócolis
Peixe grelhado

 


 

* DRA. SYLVANA BRAGA – Médica ortomolecular, nutrologista, reumatologista e fisiatra

                        www.sylvanabraga.com.br
                            Tel. (11) 3168-1893

Crédito:Luiz Affonso

Autor:Fabiola Picozzi

Fonte:Universo da Mulher